quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Trens monitorados via satélite

A proposta é usar a estrutura do Galileu, o sistema de navegação da comunidade europeia, para organizar o fluxo de trens no país - o que reduziria os gastos de manuntenção com o sistema de sinalização.

De acordo com The Telegraph, o sistema ferroviário inglês conta com uma complexa rede que envolve 800 centros de sinalização.

Muitos deles ainda datam do tempo da Rainha Vitória, que reinou há 150 anos. Até 2016, o país quer reduzir para 12 o número de centros regionais.


Segundo The Telegraph, a adoção da proposta do ministro envolve alguns problemas. Um exemplo é o fato de que o uso do Galileu para essa finalidade não seria permitido.

Outro ponto é o risco envolvido em possíveis falhas do sistema, que poderiam resultar em colisões entre trens. O jornal lembra ainda que sinais do satélite poderiam não funcionar dentro de túneis - como acontece com celulares.

Entretanto, o ministro inglês é enfatico na defesa de sua ideia de multiplicar os usos possíveis do Galileu. "Aeroportos ficariam abertos com mau tempo; barcos fazendo pesca ilegal poderiam ser rastreados; serviços de banda larga poderiam ser levados a áreas remotas", afirmou Willetts

Em órbita há dois anos, o sistema de navegação Galileu deve reunir cerca de 30 satélites até 2020. Criado para competir com o GPS americano, o projeto é um dos mais ambiciosos da história aeroespacial europeia.


Fonte: Exame

_____________________Revista Eletrônica Transportes Sobre Trilhos - O Futuro da Mobilidade - RETT_____________________
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...