sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Trem de levitação magnética passa em primeiro teste em campus da UFRJ

RIO - Sessenta pesquisadores de vários países acompanharam, nesta quarta-feira, a primeira viagem do trem de levitação magnética, o Maglev-Cobra, fabricado pela Coppe/UFRJ. Além do Brasil, apenas Alemanha, China, Japão e EUA detém a tecnologia.

Os testes se estenderão até 2015, quando o veículo será inaugurado, e passará a transportar pessoas na Cidade Universitária. A previsão é implantar a linha do trem ligando a estação do BRT da Ilha do Fundão até o Parque Tecnológico da UFRJ. Segundo o diretor da Coppe/UFRJ, Luiz Pinguelli Rosa, será preciso buscar financiadores para que o projeto entre em operação comercial.


Ao final da fase de testes, o Maglev-Cobra será certificado por uma instituição técnica, que avaliará o desempenho do veículo de levitação em quesitos como estabilidade, propulsão, velocidade, aceleração e frenagem. Após receber a certificação, o trem estará apto para entrar em fase de industrialização e poderá ser implantado em trajetos mais longos.

Inicialmente, o trem será conduzido por um piloto, mas é possível que ele circula automaticamente. Esta versão do veículo tem quatro módulos de 1,5 metro de comprimento cada e pode transportar até 30 passageiros por viagem. Mas é possível conectar novos módulos e aumentar sua capacidade caso haja necessidade. Como se trata de uma linha experimental para demonstrar a tecnologia de levitação, o trem circulará a uma velocidade de 20 km/hora, podendo atingir até 100 km/hora ou mais em percursos mais longos.

O Maglev-Cobra tem uma série de vantagens se comparado a outros meios de transporte. A principal delas é o baixo custo de implantação por quilômetro, que é de cerca de um teçro do valor necessário para implantação do metrô na mesma extensão. Isso se deve ao fato de o Maglev dispensar a construção de instalações complexas. A linha de demonstração existente na Coppe, por exemplo, foi instalada em uma passarela sustentada por pilares, que não interfere ou obstrui a passagem de veículos e pedestres.

A operação silenciosa e a não emissão de poluentes são outras vantagens do trem de levitação, que é movido à energia elétrica da rede convencional. O projeto de implantação de linha experimental incluiu também a instalação de quatro painéis de energia solar fotovoltaica capazes de gerar energia suficiente para alimentar o veículo. Fonte: Yahoo


_____________________Revista Eletrônica Transportes Sobre Trilhos - O Futuro da Mobilidade - RETT_____________________
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...