segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Metrô de Londres desde 1863

Aberto em 1863, lém de ser o mais velho, também é o mais extenso, seus trilhos subterrâneos se espalham hoje por 408 quilômetros (6 quilômetros a mais que a rodovia Rio-São Paulo), com paradas em 275 estações.

Locomotiva de 1898

O metrô londrino precisou ser construído porque, em meados do século 19, o trânsito já havia se tornado insuportável – veículos de tração animal se amontoavam no centro da cidade –, prejudicando o andamento dos negócios na capital do Império Britânico. Era preciso criar um meio rápido de transportar os “executivos” de então, que moravam em vizinhanças afastadas e agradáveis, até o centro financeiro, na época um ambiente pestilento.

Logo no primeiro dia de funcionamento, os primeiros trens subterrâneos do mundo transportaram 40 mil pessoas. Esse metrô ancestral usava locomotivas a vapor, com caldeiras aquecidas a carvão: embora a rede fosse dotada de um sistema de exaustão de último tipo, ele não bastava para acabar com todo o fumacê. O problema só foi 100% resolvido em 1905, quando o sistema metroviário passou a operar apenas com trens elétricos.

Nessa época, o metrô de Londres já tinha dois concorrentes de peso: o de Paris (o 2º mais antigo, inaugurado em 1900) e o de Nova York (o campeão em número de estações – 468 –, funcionando desde 1904). O sistema de Tóquio, recordista em número de passageiros (2,8 bilhões de viagens anuais), começou a operar em 1927. Fonte: Super Interessante/Marcos  Foto: Divulgação
_____________________Revista Eletrônica Transportes Sobre Trilhos - O Futuro da Mobilidade - RETT_____________________
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...