segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Freio de Via Eletromagnético com Acionamento Pneumático

Freio de via eletromagnético com acionamento pneumático, este freio auxiliar é mais utilizado em veículos leves sobre trilhos e bondes por todo mundo. É um freio que auxilia o condutor em uma frenagem mais eficaz em caso de parada imediata por algum obstáculo ou por medida de segurança do material rodante.


Ele é mais utilizado quando os VLT`s e Bondes trafegam nas ruas juntamente com o tráfego viário das cidades. O nosso VLT Carioca construído pela empresa Alstom é munido desse eficiente freio de urgência. Os saudosos trens que trafegavam na linha 2 do metrô a alguns anos atrás chamados Trens Articulados os TA`s, também possuem esse freio, que era chamado de freio de via no Metrô do Rio de Janeiro. Fonte: TransTrilhos.com Texto e Foto/VLT Bélgica: Silvério Borges




domingo, 30 de outubro de 2016

Metrô de Madrid 12 linhas com um total de 238 estações - Mapa das Estações

O metrô de Madrid abriu a sua primeira linha ferroviária metropolitana no dia 17 outubro de 1919, sob o reinado de Alfonso XIII. Ele tinha uma única linha de apenas 3,48 km de comprimento e 8 estações que ligam a Puerta del Sol à Cuatro Caminos em um tempo de 10 minutos. Hoje, de acordo com a Wikipedia, o Metrô de Madrid é o segundo maior metrô da Europa e o sétimo maior do mundo.


Embora no início do século XX Madrid tivesse uma população de cerca de 600.000 habitantes, o congestionamento já era um problema na capital espanhola e foi necessário substituir a rede de bondes para algum transporte subterrâneo. O metrô de Madrid foi o primeiro a entrar em funcionamento na Espanha. Em 1986, a Comunidade de Madrid e a Câmara Municipal de Madrid assumiram o Metrô. 

O metrô de Madrid tem 12 linhas com um total de 238 estações. Em 21 delas há correspondência com a rede de trens Renfe. Além disso, este sistema é complementado pela ligação que une Opera e Principe Pio e mais 3 linhas ferroviárias adicionais que somam 27,78 kms e outras 38 estações. No total, a rede tem mais de 324 km de viagem. O metrô de Madrid transporta mais de dois milhões de passageiros diariamente. 

Além da área metropolitana, a rede de metrô de Madrid abrange outros municípios, tais como: Alcobendas, San Sebastián de los Reyes, Coslada, San Fernando de Henares, Rivas-Vaciamadrid, Arganda del Rey, Alcorcón, Leganés, Getafe , Móstoles, Fuenlabrada, Pozuelo de Alarcón e Boadilla del Monte (os dois últimos estão ligados por linhas ferroviárias). O Metrô de Madrid tem tantas estações nos doze municípios em que atua que 80% dos moradores de Madrid tem uma estação a menos de 600 metros de suas casas ou destinos. A velocidade máxima de trens no metrô de Madrid é de 110 km / h. Além disso, estes têm um alto grau de automatização e sistemas de sinalização ferroviária modernos e de segurança. Fonte: Mapa Metro de Madrid






sábado, 22 de outubro de 2016

Metrô de New York - Bombardier

Estes carros fabricados pela Bombardier, ganharam a reputação de serem confortáveis, eficiente e altamente confiável, com um registro que excede consistentemente as expectativas dos clientes. Os carros R142, que são personalizadas com as especificações New York City Transit, representam alguns dos mais avançados sistemas em serviço para a propulsão AC e freio dinâmico, freios de atrito, portas, e de diagnóstico a bordo, de status e sistemas de comunicação. Os carros também apresentam avanços em conforto e segurança dos passageiros, tais como sinalização digital eletrônica, um sistema de anúncio público automático, um sistema de intercomunicação de passageiros de emergência ligada ao operador, e um sistema de controle do clima sofisticado. Fonte: Bombardier





quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Via Rail quer eletrificar suas principais linhas - Canadá

A Via Rail quer triplicar o número de trens de passageiros e eletrificar sua frota, especialmente em uma linha dedicada no corredor entre Quebec City, Montreal, Ottawa e Toronto. A empresa Crown depende de "mobilidade sustentável" e não quer ser um pato manco, disse seu CEO, Yves Desjardins-Siciliano, que tomou as rédeas há dois anos.


O custo do projeto é de US $ 5,2 bilhões. E, como o acionista Via Rail é o Governo do Canadá é Ottawa sua capital. Com base no serviço ao cliente Yves Desjardins-Siciliano não tomou a direção da Via Rail em 2014, "para entregar as chaves para a empresa", então em sério declínio.

"Não foi em qualquer lugar", disse ele em frente à Câmara de Comércio de Metropolitan Montreal. "O serviço não era prático, e cada vez menos úteis e relevantes. Ele estava gerando perdas. " Fonte: Martine Turenne/Le Journal Montreal Foto: Silvério Borges


segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Alstom entrega o primeiro Citadis transfronteiriço entre Estrasburgo e Kehl

Alstom entregou o primeiro dos novos VLTs Citadis para Estrasburgo, menos de dois anos após a assinatura com a empresa de transporte Strasbourg CTS (Compagnie des Transports Strasbourgeois) para o fornecimento de 50 bondes. A primeira parte deste acordo diz respeito a um pedido de 12 bondes, um total no valor de 41 milhões de euros. O primeiro bonde vai agora começar o ensaio dinâmico na via, e, seguida 11 Citadis deverão ser entregues até maio de 2017.


Os bondes serão adicionados à frota existente de CTS como parte das extensões de linhas A e D. Na linha D eles vão correr todo o caminho para Kehl, na Alemanha. Entrada em serviço comercial está prevista para o próximo mês de Abril. Este será o primeiro bonde saindo da França para atravessar a fronteira.

" A Alstom tem orgulho de ajudar a articular-se Kehl a Estrasburgo, a criação de um único vínculo de amizade entre as duas cidades. Os bondes da gama Citadis, que foram adotados por 54 cidades em todo o mundo, combinar o uso de tecnologia comprovada e modularidade em termos de disposição de combinar a confiabilidade, conforto e personalização ", disse Jean-Baptiste Eymeoud, Presidente da Alstom na França.

Os VLTs Citadis em Estrasburgo serão os primeiros bondes aprovados pelos regulamentos BOStrab federais alemãs que cobrem a construção e operação de bondes na Alemanha. Os bondes tem 45 metros de comprimento e tem capacidade para 288 passageiros. Eles são equipados com iluminação LED e portas de vidro cheios para aumentar a sensação de conforto e segurança dos passageiros. Em linha com PRM (Pessoas com Mobilidade Reduzida) regulamentos, os trens são equipados com maçanetas de fácil acesso, estão mais amplos as áreas especialmente reservadas para cadeiras de rodas e passageiros com carrinhos de criança.

Os bondes são em grande parte fabricados na França: La Rochelle (para a concepção e montagem dos bondes), Ornans (para a concepção e fabrico de motores), Le Creusot (bogies para os módulos intermédios), Tarbes (cadeias de tracção), Villeurbanne (equipamentos eletrônicos) e Saint-Ouen (o design). O site Salzgitter, na Alemanha fornecerá os bogies localizados abaixo das cabines de motorista.

Até à data, mais de 2300 Citadis foram encomendados por 54 cidades em todo o mundo, a primeira das quais estão em funcionamento desde 2000. Fonte : Alstom

domingo, 16 de outubro de 2016

Metrô do Chile

Em 2015, o Metrô comemorou 40 anos de operação. Em quatro décadas, o metrô foi crescendo junto com Santiago e seus habitantes, e tornou-se parte de sua história. Hoje, tornou-se a espinha dorsal do transporte público da capital: em média, registrou mais de dois milhões de viagens por dia e as contas por mais de 60% dos embarques que ocorrem dentro da cidade.


Nome Comercial: METRO SA - PASSENGER TRANSPORT COMPANY METRO SA
Tipo de Empresa: SOCIEDADE ANÔNIMA
Endereço: AVDA. LIBERTADOR BERNARDO O'HIGGINS NO. 1414, SANTIAGO
RUT: 61219000-3
Registro de Valores Mobiliários Reg .: NO. 0421 DE 22 DE SETEMBRO DE 1992
Contas externas: KPMG LLP.
Documentos organizacionais

Lei nº 18.772, publicada no Diário Oficial datado de 28 de janeiro de 1989, as regras estabelecidas para transformar a Direcção-Geral da Metro no âmbito do Ministério das Obras Públicas, uma sociedade anónima. A Lei nº 18.772 foi alterado pelo artigo 55 da Lei nº 18.899 lei, publicada no Jornal Oficial de 30 de dezembro de 1989, e no artigo 3, letra a) da Lei nº 19.046 Law, publicado no Jornal Oficial da 20 de fevereiro de 1991.

Constituição da sociedade: escritura pública datada de 24 de janeiro de 1990, executado antes de notário de Santiago Sr. Raul Undurraga Laso.

Publicação do social no Diário Oficial de 25 de Janeiro de 1990. Retificação publicada no Diário Oficial datado de 26 de janeiro de 1990.

Registro: Em 25 de janeiro de 1990, o Empresa inscrita no Registo do Comércio de Bens Imóveis de Santiago, Fs.2681 No. 1.427. Fonte: Metrô Chile

PRINCIPAIS FORNECEDORES ano de 2015

1 ALSTOM CHILE SA $ 1595666078
2 THYSSENKRUPP ELEVADORES SA $ 1247308557
3 SUPRIMENTOS E SOLUÇÕES TÉCNICAS $ 893 974 251
4 FAIVELEY TRANSPORT CHILE LTDA. $ 840451957
5 MERSEN CHILE LTDA. $ 746 110 008
6 COMPAGNIE FRANÇAISE DE PROMOÇÃO INDUSTRIELLE (COFIE) $ 704574602
7 GEINSE ENGENHARIA SA $ 670947519
8 GRUPOS DIFERENCIAIS SA $ 629637162
9 CAF SA $ 605733725
10 ELEVADORES OTIS CHILE SA $ 358569988
11 HOERBIGER DE CHILE SA $ 296 955 058
12 PRECISÃO TÉCNICA E LTDA MECÂNICA. $ 235354130
13 SOC. COMER. E DIST. RUIZ Y CIA. LTDA. $ 233296843
14 VOSSLOH COGIFER $ 225 084 024


quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Metrô de Madrid - Espanha

O Metrô de Madrid SA é uma empresa pública que está integrada no Regional Transport Consortium Madrid, uma organização criada em 1986 para reunir os esforços de instituições públicas e privadas relacionadas com o transporte público, a fim de coordenar os serviços, redes e tarifas, com o objetivo de oferecer ao usuário maior capacidade e melhor qualidade de transporte.

O Metrô de Madrid, com a tutelar administração da Comunidade de Madrid, que tem a principal função a operação das linhas da rede de metrô em operação, planejamento e melhoria da qualidade do serviço de transporte e instalações de manutenção da rede subterrânea. Fonte: Metrô de Madrid



segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro concorre ao ‘Oscar’ dos Túneis

Reportagem especial sobre a disputa da Linha 4 do Metrô do Rio como finalista do ITA Tunnelling Awards 2016, maior prêmio do setor de túneis do mundo, pelo inédito sistema de escavação utilizado na construção do empreendimento: o Tatuzão. O prêmio recebeu inscrições de 25 países e os vencedores serão anunciados em novembro, em Singapura. A obra é a única brasileira disputando o prêmio na categoria inovação.



Inédito sistema de escavação de túneis em solo arenoso e área densamente povoada é finalista do ITA Tunnelling Awards 2016.

A maior obra de mobilidade do Rio de Janeiro está concorrendo ao “Oscar” dos Túneis. O inédito sistema de escavação de túneis utilizado na Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro está entre os finalistas do ITA Tunnelling Awards 2016, maior prêmio do setor de túneis do mundo. O projeto brasileiro, inscrito por engenheiros da Construtora Norberto Odebrecht, está disputando na categoria de Inovação Técnica do Ano (Technical Innovation of the Year) junto com Singapura, Finlândia, Noruega e Grã-Bretanha. Este ano, o ITA Tunnelling Awards recebeu 98 inscrições de 25 países. Os 33 finalistas estão divididos em nove categorias. Os vencedores serão anunciados durante cerimônia em Singapura, no dia 11 de novembro.

Na sexta-feira (12/09), o projeto foi apresentado em um Congresso técnico em Buenos Aires, na Argentina.


Para construir 5,2 quilômetros de túnel da Linha 4 do Metrô no subsolo de Ipanema e Leblon, na Zona Sul do Rio de Janeiro (um misto de areia e rocha), a engenharia brasileira precisou desenvolver novos métodos que permitissem a execução das obras com menor impacto à superfície e sem desapropriar imóveis. A principal inovação foi a criação de um sistema inédito de escavação em solo arenoso. A equipe de engenheiros desenvolveu um sistema adicional específico para condicionamento do solo e mostrou, com isso, que é possível utilizar um Tunnel Boring Machine EPB (Earth Pressure Balance) híbrido em solo de areia com eficiência e segurança, comparável ao estado da arte de uma tuneladora do tipo Slurry, normalmente utilizada em solos arenosos.

“Usamos pela primeira vez no mundo um EPB em solo arenoso em uma região densamente edificada e com grande circulação de pessoas e veículos. Antes, o equipamento só havia sido utilizado duas vezes nesse tipo de solo, mas em trechos curtos e em áreas pouco ou nada povoadas. Para realizar nosso trabalho, criamos um sistema interno para injetar diversos tipos de material para condicionamento do solo durante a escavação, como uma espuma com polímero customizado para o subsolo da Zona Sul do Rio. Isso ampliou a capacidade de operação da máquina EPB em areia, avançando pela primeira vez sua atuação na área da máquina Slurry”, explicou Julio Pierri, engenheiro da Construtora Norberto Odebrecht, coordenador da área de Engenharia do projeto da linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro.

Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro

No desenvolvimento dessa nova técnica de escavação, Julio Pierri trabalhou ao lado dos engenheiros Alexandre Mahfuz e Carlos Henrique Turolla, também da Construtora Norberto Odebrecht, com apoio da consultora MTC. “O desafio era imenso.

Tínhamos que construir o túnel debaixo do leito das ruas, sem passar por baixo de nenhum prédio e com o menor risco possível de recalque para os edifícios, que em alguns trechos estavam a apenas 12 metros do túnel. Não tínhamos como usar o Tatuzão Slurry, normalmente utilizado em solos arenosos, porque era muito arriscado pela possibilidade de provocar recalques severos e pela maior complexidade de operação. O EPB também não tinha um sistema de condicionamento de solo adequado às necessidades do projeto. Por isso, a saída foi desenvolver um modelo específico para aquela região”, complementa Mahfuz.

O EPB híbrido possibilitou trabalhar com controle da pressão na frente da máquina e minimizar a possibilidade de recalques na superfície e edificações do entorno, além de proporcionar uma considerável redução no volume de materiais usados no condicionamento do solo e no consumo de energia. A aplicação desta tecnologia permitiu ainda reduzir a área de apoio à operação do equipamento, principalmente em uma região densamente urbanizada da cidade e com um dos metros quadrados mais caros do país.

Com a utilização do ‘Tatuzão’ EPB híbrido foi possível cruzar uma geologia complexa com eficiência e segurança, diminuindo os riscos de instabilidade. O terreno dos túneis incluía uma longa extensão de areia de praia delimitada por dois trechos de rocha altamente abrasiva. A máquina tem 2,7 mil toneladas e 123 metros de comprimento por 11,5 metros de diâmetro, o equivalente a um prédio de quatro andares e é a maior já utilizada na América Latina. Foi fabricada sob medida pela alemã Herrenknecht.

Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro

Considerada o maior legado em mobilidade que a cidade do Rio de Janeiro ganhou com os Jogos Olímpicos, a Linha 4 do Metrô foi a maior obra de infraestrutura urbana realizada nos últimos anos na América Latina. Construída em seis anos, dentro da média mundial para sua alta complexidade técnica, a nova linha metroviária cumpriu as normas internacionais mais rigorosas para a construção e operação de metrôs no mundo. O projeto utilizou tecnologias de ponta nacional e internacional para atravessar bairros densamente povoados, com menor impacto à superfície e aos moradores do entorno.

O projeto representa a execução, de uma só vez, de toda a malha de metrô subterrâneo construída na cidade nos últimos 30 anos. Com a nova linha, cariocas e visitantes passam a ter uma alternativa de transporte rápido, moderno, eficiente e sustentável. A Linha 4 vai transportar 300 mil pessoas por dia, retirando das ruas cerca de 4 mil veículos por hora/pico no eixo Barra-Zona Sul.

O Prêmio

Considerado o ‘Oscar’ dos tuneleiros, a premiação é concedida pela International Tunnelling and Underground Space Association (ITA). Esta é a segunda edição do ITA Tunnelling Awards, que recebeu a inscrição de 98 trabalhos de 25 países em nove categorias. Ao todo, são 33 finalistas, sendo cinco na categoria da Linha 4 do Metrô. A obra é a única brasileira disputando o prêmio de inovação. Além dela, outro projeto brasileiro é finalista no ITA Tunnelling Awards 2016, mas na categoria Young Tunneller of the Year.

“A classificação de finalistas tem grande valor. Em todas as categorias, houve submissões de vários países do mundo, entre aqueles em que a indústria de construção de túneis é praticada com grande intensidade, rigor e qualidade. Considerando a pequena atividade de construção de túneis em nosso país, quando comparada a de outros países, a presença de dois finalistas brasileiros é uma inquestionável indicação da qualificação técnica dos autores, de suas empresas e do meio técnico de nosso país. Isto é também corroborado pela classificação de finalista no ano passado do Eng. Eloi Palma Filho, na categoria de Jovem Tuneleiro. O fato é motivo de regozijo do Comitê Brasileiro de Túneis”, comemora Tarcísio Barreto Celestino, presidente do Comitê Brasileiro de Túneis.

Fonte: Isadora Silva/DOM Comunicações/Metrô Linha 4/Fotos: Flickr




domingo, 9 de outubro de 2016

Bonde o Elétrico de Lisboa

Os bondes amarelos rangentes da empresa de transporte público Carris parecem pertencer a um museu. Eles são uma das melhores maneiras de passear pela cidade. O bonde 28 é famoso, levando os passageiros por uma viagem de 40 minutos ladeira acima (ou abaixo) por bairros antigos como Graça, Alfama e Baixa, passando por pontos históricos, incluindo a catedral e o castelo. Todos a bordo!

Lisboa é uma das capitais mais baratas da Europa Ocidental. Mas isso não se aplica necessariamente ao transporte: um passeio num ônibus turístico de dois andares custa cerca de 15 euros. O passe diário de 6 euros para o bonde é uma solução muito mais barata e lhe permite andar de bonde por toda a cidade por um dia inteiro. Nem é surpresa que a linha 28 seja tão popular entre os turistas. Embarque no bonde antigo amarelo e sente-se para uma rápida e sacudida viagem pelas ruas tortuosas de Lisboa. Fonte: KLM


Foto: Silvério Borges


domingo, 2 de outubro de 2016

Os VLT`s são uma realidade mundial

Em países onde bondes tinham sobrevivido aos encerramentos maciços dos anos 50 e 60, por exemplo, Alemanha, Suíça, Bélgica, muitos sistemas restantes foram modernizados e atualizados e pode agora ser chamado de "sistemas ferroviários ligeiros". Em muitos outros países, onde bondes tinham desaparecido das ruas. Os VLT`s são uma realidade mundial que deram certo, por suas características de transporte limpo confortável e seguro. Fonte: Divulgação



_____________________Revista Eletrônica Transportes Sobre Trilhos - O Futuro da Mobilidade - RETT_____________________
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...