sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Projeto quer fazer viagens diárias com trens de passageiros entre seis cidades da Zona da Mata

A criação do Expresso Pai da Aviação foi discutida em audiência pública na noite dessa quarta-feira (14) em Barbacena. O trem de passageiros ligaria a cidade à Matias Barbosa. A previsão é de que ainda neste ano um trecho experimental já esteja em funcionamento.

Para que o projeto comece a funcionar, parte da malha ferroviária de Santos Dumont já foi restaurada. São apenas quatro quilômetros que vão ligar a estação central até o depósito. A autorização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) já foi concedida e a previsão é de que o trem de passageiros comece a funcionar em janeiro de 2012. No início serão apenas viagens experimentais, com no máximo 80 passageiros.

Essa é só a primeira etapa do projeto que quer fazer viagens diárias entre seis cidades da Zona da Mata: Antônio Carlos, Barbacena, Ewbank da Câmara, Santos Dumont, Juiz de Fora e Matias Barbosa. O trecho todo tem 125 quilômetros e será feito, segundo o presidente do Movimento Nacional Amigos do Trem, Paulo Henrique do Nascimento, em duas horas e 45 minutos. A intenção é que ele fique pronto até a Copa de 2014 e atraia turistas para região

.

Para que o trem de passageiros comece a rodar é preciso pelo menos R$ 400 mil para reformar locomotivas, vagões e litorinas. Em Barbacena, a proposta é incluir a iniciativa privada pra financiar parte do projeto.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Puxadinho do Metrô RJ é opção equivocada

O governo do Rio de Janeiro já está tocando as obras de extensão do metrô do Rio até a Barra da Tijuca, a partir de Ipanema, uma das mais importantes intervenções urbanísticas da agenda do poder público com vistas às Olimpíadas de 2016. Tanto quanto movimentar máquinas e operários, também avança a polêmica sobre o traçado escolhido para a nova rede, mobilizando forças da sociedade contrárias ou favoráveis à opção em curso.

A necessidade de aumentar a malha metroviária é um consenso, em razão das demandas de transporte da Região Metropolitana – que, se não forem atacadas com profundas e estruturais transformações na política para o setor, inviabilizarão de vez o sistema viário fluminense. Mas, se esse é um ponto em que há concordância geral da sociedade, o mesmo não se pode dizer do projeto escolhido para esticar a malha da Zona Sul à Zona Oeste. As críticas ao programa de expansão são consistentes e deveriam ser levadas em conta.

Recentemente, o Clube de Engenharia integrou-se à lista de críticos do projeto. Em carta ao governador Sérgio Cabral, a entidade defendeu a ideia de se fazer a expansão com vistas ao futuro aproveitamento da estação da Gávea, a ser construída, como cruzamento entre a atual Linha Um e a Linha Quatro, tal como previsto inicialmente.

A proposta do Clube reflete uma preocupação que se baseia numa realidade visível na rotina de superlotação e atrasos do metrô carioca. Mas, em lugar de conceber o desenvolvimento da rede metroviária a partir da criação de novas malhas, com a estação Gávea construída em dois níveis, o governo estadual optou por fazer uma espécie de “puxadinho” da atual Linha Um até a Zona Oeste. Ou seja, quando começarem a rodar no novo trecho, os vagões do metrô, em vez de desafogar um sistema sobrecarregado, agregarão mais passageiros, pressionando a atual demanda, que já compromete a eficácia da rede em operação.


Perde-se assim a oportunidade única de, graças às bilionárias inversões financeiras na infraestrutura da cidade, estimuladas pelos Jogos de 2016, o Rio promover em seu sistema metroviário melhorias substanciais, projetadas para superar deficiências presentes e suportar previsíveis pressões de aumento no número de passageiros no futuro. Isso sem falar no aperfeiçoamento global do sistema de transportes, no trânsito e no crescimento ordenado da cidade, prometidos legados das Olimpíadas e preocupação primordial do movimento que levou à candidatura carioca junto ao COI.

O documento do Clube de Engenharia, formulado por uma entidade que congrega especialistas na matéria, sugere que se abandone a opção equivocada e se volte ao projeto original. Do ponto de vista técnico, é viável alterar a concepção do plano de expansão do metrô. E, do ponto de vista dos interesses da cidade, a mudança é um imperativo. Caso contrário, a extensão da rede até a Barra poderá passar como mera intervenção para atender a vinte dias de competições esportivas em 2016, e não para enfrentar demandas de pelo menos mais vinte anos à frente.
O Globo

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Obra do aeromóvel recebe trilhos

Os trilhos do aeromóvel, projetado para fazer a ligação entre a linha da Trensurb e o Terminal 1 do Aeroporto Salgado Filho, chegaram ontem ao canteiro de obras. São cerca de 20,9 toneladas de material ferroviário. 
De acordo com o último relatório de fiscalização, a construção da via elevada está com 36% da obra executada, com 40 das 204 estacas já colocadas e a montagem das formas metálicas das vigas em fase de conclusão. Os dois veículos – um com capacidade para 150 passageiros, outro para 300 – têm 29% de conclusão. 




A licitação referente à construção das estações – uma na Estação Aeroporto da Trensurb, a outra no aeroporto – foi concluída em agosto e a empresa vencedora foi a Arcol Engenharia Ltda. O projeto, orçado em cerca de R$ 29,9 milhões, tem previsão de conclusão para o início de 2012.

Fonte: Zero Hora
Publicada em:: 16/09/2011

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

DEBATE - Traçado Original Linha 4 do Metrô

Assista o debate com a presença de autoridades no assunto e dê sua opinião.
Convidados: o vereador Carlo Caiado, presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Implantação do Traçado Original da Linha 4 do Metrô, Fernando Mac Dowell, engenheiro de Transportes e ex-diretor do Metrô-Rio e Odilon de Andrade, diretor da Câmara Comunitária da Barra.


O projeto da Linha 4 do Metrô para a Barra existe desde a década de 90.  O traçado original previa a ligação de uma estação no Morro de São João (localizada nas proximidades do Shopping Rio Sul) com estações no Humaitá, Gávea, São Conrado e Jardim Oceânico.  Posteriormente um estudo alternativo incluiu no percurso a estação Jardim Botânico, bem como a ligação da estação Humaitá com Botafogo, Laranjeiras e Largo da Carioca.
Como resultado da escolha do Rio para sede das Olimpíadas de 2016, o Governo do Estado do Rio de Janeiro anunciou a construção da Linha 4, mas para surpresa geral, não mais respeitando o projeto original. A opção divulgada foi o prolongamento da já saturada Linha 1 em direção ao Jardim Oceânico, passando pelas estações: N.S. Paz, Jardim de Alah, Antero do Quental, Gávea, e São Conrado. Essa opção não foi baseada em qualquer estudo atualizado de demanda, que tenha sido publicado.
A alegação para essa alteração são os chamados “compromissos olímpicos” de proporcionar ligação rápida do “polo hoteleiro” concentrado em Copacabana e Ipanema, com o “polo olímpico” concentrado na Barra da Tijuca. Fonte: Divulgação

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Túnel ferroviário entre a Sibéria e o Alasca


Vamos brindar os russos e seu túnel subaquático para um trem entre a Sibéria e o Alasca! Com 103km de extensão, o túnel proposto seria duas vezes maior que o Eurotúnel, que liga a França à Inglaterra pelo Canal da Mancha, e poderia ser expandido para conectar Nova York a Londres.
Infelizmente para os nômades viajantes, o sistema de trem de alta velocidade proposto pelos russos seria usado apenas para transporte de carga (cerca de 100 milhões de toneladas por ano), não para transporte de passageiros, mas mesmo com este detalhe menos empolgante, o túnel deve ser um grande feito de engenharia.Este projeto, financiado com capital público e privado, poderia também ser bastante sustentável e ecológico. .

As usinas elétricas propostas, que extraem energia das marés, poderiam fornecer 10 gigawatts de energia, e um conjunto de campos de energia eólica poderia criar uma oferta constante de energia limpa, servindo como uma conexão vital a uma rede mundial de energia. O túnel em si iria levar dez anos para ficar completo – e uma rede elétrica e ferroviária levariam mais outros anos – mas o projeto iria mudar de forma significativa a indústria de transporte de carga, além da indústria de energia.



sábado, 10 de setembro de 2011

Implantação do trem turístico Expresso Pai da Aviação

Implantação do trem turístico Expresso Pai da Aviação, inicialmente no trecho de 4km na cidade de Santos Dumont, estação central e antigo 4º Deposito, uma Parceria da Ong Amigos do Trem, do Governo Federal, do Ministério dos Transportes, do DNIT Ferroviário e da Prefeitura Municipal de Santos Dumont.




Após muito trabalho com pessoal da Oscip Amigos do Trem técnicos e colaboradores, o sonho de colocar novamente o trem de passageiros nos trilhos está virando realidade.


Juiz de Fora-MG


Com o projeto inicial de aproximadamente 125 Km de extensão que ligará as cidades de Matias Barbosa a Barbacena, na Zona da Mata, teve aprovação de 92% da população local em pesquisa encomendada.
Observe nas fotos alguns pontos turísticos das cidades inicialmente contempladas.



sexta-feira, 9 de setembro de 2011

O novo TAV japonês

Enquanto nosso trem-bala, que em tese ligaria Campinas, São Paulo ao Rio de Janeiro, ainda está no mundo das idéias delirantes — não se sabe o custo certo, o impacto ambiental correto, o trajeto ideal e, sobretudo, se sairá do papel --, o Japão esbanja tecnologia, beleza e conforto nesse terreno. O novo modelo, o Hayabusa, que significa “falcão peregrino”, é mais um shinkansen, trem de alta velocidade que interliga todo o país, com pontualidade, conforto e serviços que podem ser considerados, sem exagero, fantásticos.



O Hayabusa começou a operar no Japão em 5 de março deste ano, num trajeto de 900 quilômetros, ligando Tóquio a Aomori — cidade de 300 mil habitantes no norte do país — a uma velocidade de 320 quilômetros por hora, o que o faz chegar ao destino em 3 horas. A primeira classe é um dos ingredientes mais chamativos do novo trem. Uma passagem para desfrutar desse conforto custa 17 mil ienes, cerca de 340 reais. Para a viagem de inauguração, em um leilão na internet,  o bilhete da “GranClass” atingiu o valor de 4 mil euros. As vantagens são medidas pelo pacote de mordomias: muito espaço para o passageiro, assentos de couro, iluminação pessoal para leitura, descanso para as pernas, acesso irrestrito a refeições leves e bebidas alcoólicas, internet wi-fi e outros agrados.

Hayabusa, que significa “falcão peregrino”

O primeiro trem-bala do Japão foi inaugurado em 1º de outubro de 1964, e durante quase 2 décadas foi o mais rápido do mundo. Apesar da velocidade dos trens e dos frequentes desastres naturais que o Japão enfrenta, os trens-balas japoneses não registraram um só acidente fatal ao longo dos 46 anos de operação.

 Fonte: Veja

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Trem Expresso Pai da Aviação

A Oscip Amigos do Trem tem trabalhado incansavelmente para trazer de volta para população mais uma possibilidade de turismo, utilizando o mesmo Material Rodante da foto abaixo, uma Automotriz Litorina Budd, que está em fase de recuperação final e testes.

Com muito trabalho dos integrantes será possível alavancar o turismo na Zona da Mata Mineira e depois quem sabe para os demais estados.
A Oscip já conseguiu a Autorização de Circulação da ANTT, graças a um trabalho sério dos integrantes da Oscip, técnicos e engenheiros do setor metroferroviário.
Uma das cidades onde o Trem Expresso Pai da Aviação passará é a cidade Ewbank da Câmara-MG.

Como infraestrutura ao turismo e lazer, o município conta com dois hotéis para hospedagem, sendo um hotel fazenda e seis estabelecimentos para alimentação: dois restaurantes, um fast-food e dois bares. O calendário de eventos do Município dá destaque para a festa de Santo Antônio, comemorada em 13 de junho e o aniversário da cidade, comemorado em 30 de dezembro.

Trecho da Estrada Real
Localizada no morro atrás da Estação Ferroviária e do campo de futebol. Atravessa a cidade de Ewbank da Câmara. Faz parte do circuito da Estrada Real, antigo caminho trilhado pelos bandeirantes para circulação do ouro entre as cidades de Ouro Preto e Rio de Janeiro. Este trecho foi recentemente catalogado pelo Instituto Estrada Real.

ALL leva engenheiros aos trilhos

O engenheiro de produção Aender Guerra, hoje gerente de tecnologia e serviços de via permanente, fez parte da primeira turma e destaca, como principais vantagens, o conhecimento da companhia como um todo e a interação com os professores do Cepefer, que também são gestores de negócios. "Além do convívio com os funcionários mais experientes da ALL, recebemos profissionais gabaritados de todo o país. Essa troca aumenta nossa capacidade crítica em relação à empresa e nos dá subsídios para propormos soluções diferenciadas, tema da monografia de conclusão do curso", diz.




A exemplo de grande parte das empresas brasileiras, a América Latina Logística (ALL) enfrenta dificuldade no momento de preencher as vagas de engenheiro ferroviário. Por isso, a empresa criou um curso lato sensu de pós-graduação na área, em parceria com o Centro de Pesquisa e Estudos Ferroviários (Cepefer) e a Universidade Positivo. Criada em 2009, a especialização foi inclusive reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).
Ministrada em Curitiba (PR), nas instalações da universidade corporativa da ALL, a pós integra o conhecimento ligado aos sistemas de infraestrutura logística ferroviários e preenche uma lacuna na carência de formação dos profissionais - no Brasil, não há graduação em engenharia ferroviária. "Os cursos superiores abordam a ferrovia de forma dispersa. Nosso objetivo é dar formação conjunta, qualificada e específica para esses jovens ingressarem na base da sucessão operacional da companhia", destaca a diretora de Recursos Humanos, Melissa Werneck.
Com duração de um ano, o programa, gratuito, divide-se em um trimestre de teoria e o restante, em aulas em campo com supervisão dos especialistas internos e do Cepefer. As turmas - com 30 engenheiros de diversas especialidades - são formadas por recém-formados que se destacam no programa de estágio da ALL e pelos trainees que passaram por um processo seletivo. Todos os participantes são contratados. A empresa investe R$ 3,5 milhões por ano na pós.
08/09/2011 - Valor Econômico

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Matéria Série Ferrovias Parte 2- Zona da Mata - MG

Importante destacar, nesta matéria de número 2, o respeito e a educação no trânsito da população das cidades de Cataguases e Além Paraíba no Estado de Minas Gerais, com relação a passagem do trem, com isto, tendo uma situação de harmonia e tranquilidade entre o trem, carros e os pedestres. 


A Oscip Amigos do Trem apóia a iniciativa de divulgação da TV Panorama Juiz de Fora -MG com o transporte ferroviário na Zona da Mata.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Matéria Série Ferrovias - Zona da Mata - MG

Não deixem de assistir estas reportagens da TV Globo Minas, é muito interessante e importante para ajudarmos a salvar de fato as nossas ferrovias brasileiras e colocarmos de volta nos trilhos, os trens de passageiros, sejam eles na questão social ou turística.



Vejam o que pensa um prefeito consciente (Dona Euzébia), que fala da importância da ferrovia para sua cidade e região e outro prefeito sem consciência (Astolfo Dutra) que invadiu e deixou invadir a linha férrea em sua cidade, deixando construir postos de gasolina na faixa de doniminio da ferrovia. Deixamos uma pergunta no ar, como se consegue um alvará de funiconamento em uma área da União?

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Metrô de Paris completa 111 anos



Clique para ampliar
Estação Cité do Metrô de Paris. Fotos: metrobits.org
O metrô de Paris completa 111 anos de funcionamento. A primeira linha a operar, inaugurada sob o nome de linha 1, percorria trajeto entre as estações Porte de Vincennes e Porte Maillot.
Os primeiros planos para a construção do metrô na capital francesa começaram a ser elaborados em 1845. Contudo, a obra só foi concluída 55 anos mais tarde sob o comando do engenheiro Fulgence Bienvenüe. As elegantes entradas das estações, esculpidas no estilo chamado de Art Noveau, foram feitas pelo arquiteto Hector Guimard.
Atualmente, o metrô de Paris se estende por 211 km de trilhos em 16 linhas que percorrem 298 estações. De acordo com estimativas, cerca de 4,5 milhões de pessoas utilizam todos os dias o serviço de trens subterrâneos, que ainda empregam mais de 15 mil pessoas.
O termo metrô é, inclusive, originário da abreviação do nome da companhia que operava o sistema de transporte subterrâneo na cidade, a Compagnie du chemin de fer métropolitain de Paris, a métro.

domingo, 4 de setembro de 2011

Odebrecht ganha do Estado do RJ área de terminal do Trem Bala


A Odebrecht ganhou do governo do Rio de Janeiro, sem custos, o direito de administrar toda a área da Estação Barão de Mauá, onde está previsto o terminal do trem-bala na cidade. Até 2048, a empresa poderá explorar comercialmente o prédio e seu entorno, que somam quase 200 mil m². O prazo é quase o mesmo da concessão do trem de alta velocidade, de acordo com informações do jornal Folha de S.Paulo.
Dessa forma, quem vencer o leilão do trem-bala, cujo projeto é orçado em R$ 38 bilhões, terá de negociar com a Odebrecht para utilizar a área. A empresa terá de devolver, ao fim do prazo, tudo o que for construído ao governo. O preço do terreno cedido pelo Estado é estimado em cerca de R$ 400 milhões. (Fonte: Jornal do Brasil)

sábado, 3 de setembro de 2011

Prazo de concessão do Aeródromo é ampliado para 25 anos

O Aeromóvel foi assunto de debate na manhã desta quarta, dia 31, durante mais uma edição do Café com Ideias, encontro promovido pela Associação Comercial e Industrial (Acini) para discutir novas propostas para Nova Iguaçu. O engenheiro Fernando Mac dowell, coordenador dos Projetos Especiais da Prefeitura, apresentou o meio de transporte aos empresários e anunciou uma ampliação de 10 anos no prazo de concessão do Aeródromo em vez dos 15 iniciais.

Segundo Mac Dowell, a alteração é uma boa notícia, pois a ampliação no prazo de concessão do Aeródromo significa ampliação também nos investimentos. O engenheiro revelou que 28 empresas se interessaram pelo edital, a maioria sediada em outros estados.  "Trabalhamos neste projeto durante um ano, pesquisando, estudando. É um projeto inédito. Pela primeira vez, um sistema de transportes agrega no projeto um aeroporto", disse.


Macdowell também destacou a participação da prefeita Sheila Gama na concepção urbanística deste novo Centro comercial. "Nossa prefeita determinou que fizéssemos este projeto pensando sempre em acessibilidade, inclusive nas estações", concluiu.
Anfitrião do evento, o presidente da Acini, Antônio Alpino, considerou o Aeromóvel um projeto de vanguarda. "Realmente estou impressionado. Tenho certeza de que trará grandes benefícios à nossa cidade", enfatizou.
Aeromóvel
O Aeromóvel é um sistema de veículos leve sobre trilhos. Durante o encontro, foram detalhados os traçados do Anel Central e da ligação Centro a Santa Rita, que passará pelo Aeródromo e pelo Hospital Geral de Nova Iguaçu – HGNI. Posteriormente, a rota poderá ser ampliada e estendida até o Arco Metropolitano.
Uma segunda linha deixará o terminal da Coderte, no Centro, para o bairro de Cabuçu. Esta última rota foi apresentada ao governo federal para concorrência do PAC Mobilidade e selecionada com outras 23 cidades.
A construção, administração, operação, manutenção e exploração comercial para a implantação do aeromóvel e do aeródromo, serão integralmente de responsabilidade da iniciativa privada. A concessão será dada, por meio de licitação, para a empresa que apresentar o pagamento de maior valor de outorga para o município.
Também participaram do Café com Idéias , o vereador Carlos Ferreira, o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL-NI), Claudio Rosemberg  e o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Nova Iguaçu (Sincovani), Uéliton Pessanha.