quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Bombardier apresenta seu novo trem regional

A Bombardier Transportation apresentou nesta quarta-feira (25/09), na França, seu novo trem de dois andares (double-deck), o Omneo Regio 2N.

O trem é maior que um TUE convencional. O trem pode ser formado por seis a dez carros, podendo chegar a um comprimento total 135 m. É capaz de viajar a uma velocidade de entre 160 km/h e 200 km/h.

Enquanto espera para a certificação a empresa construiu nove trens, eles farão viagens de teste a partir de Janeiro de 2014, operados pela SNCF que verificarão a confiabilidade operacional antes do pleno funcionamento.

O Omneo Regio 2N é capaz de viajar a uma velocidade de 160 e 200 km/h

A Bombardier Transportation apresentou nesta quarta-feira (25/09), na França, seu novo trem de dois andares (double-deck), o Omneo Regio 2N.

O trem é maior que um TUE convencional. O trem pode ser formado por seis a dez carros, podendo chegar a um comprimento total 135 m. É capaz de viajar a uma velocidade de entre 160 km/h e 200 km/h.

Enquanto espera para a certificação a empresa construiu nove trens, eles farão viagens de teste a partir de Janeiro de 2014, operados pela SNCF que verificarão a confiabilidade operacional antes do pleno funcionamento.

Na fábrica da Bombardier perto de Valenciennes, na França, as equipes de projeto se dizem prontas para garantir a produção e entrega de todos os 129 trens em dois anos.
Até à data, as regiões Aquitânia, Bretanha, Centro, Nord-Pas de Calais, Provence-Alpes-Côte d' Azur e Rhône-Alpes tem pedidos para essa primeira leva de 129 trens. O contrato permite um máximo de 860 trens.

Uma pesquisa realizada pela Unife (Associação da Indústria Ferroviária Europeia) mostra que a demanda por trens regionais deve permanecer alta, chegando a 4.000 carros por ano no período de 2014 a 2016. França, Alemanha e Reino Unido representarão mais de metade do mercado de TUEs regionais do mundo.
Fonte: RF
 

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Trens Regionais ganham força

Os trens regionais estão nos planos de revitalização de ferrovias do Governo Federal, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com base em experiências internacionais, avaliou que os trens regionais podem trazer grande desenvolvimento.

A partir dessa análise, o BNDES e o Ministério dos Transportes estão providenciando os estudos de viabilidade técnica e econômica de utilização de trens regionais para o transporte intermunicipal de passageiros.



As análises feitas colherão subsídios e informações para o aprimoramento dos trechos de ferrovias de cargas já existentes para o transporte de passageiros em trens de média velocidade.
“Ao serem concluídos, os estudos são apresentados em audiências públicas regionais e entregues aos governantes para que os mesmos possam decidir a melhor forma de implantá-los e as ações necessárias entre as diversas esferas de governo, iniciativa privada, instituições de financiamento e Agências competentes”, explicou o presidente da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros Sobre Trilhos (ANPTrilhos), Joubert Flores.


Dentro do Plano de Revitalização das Ferrovias está o “Projeto Trens Regionais”. Reativado a partir dos estudos originais desenvolvidos pelo BNDES na década de 1990, foram pré-selecionados 14 trechos para a elaboração dos respectivos estudos de viabilidade técnica, econômica, social, ambiental e jurídico-legal para a implantação de trens para o transporte de passageiros de forma regular.

Os trechos inicialmente selecionados para desenvolvimento dos estudos de viabilidade foram:

Estado
Trecho
Quilometragem
SE
São Cristóvão - Aracajú - Laranjeiras
40 km
PR
Londrina - Maringá
122 km
RS
Bento Gonçalves - Caxias do Sul
65 km
PE
Recife - Caruaru
139 km
RJ
Campos - Macaé
94 km
MG
Belo Horizonte - Ouro Preto / Cons. Lafaiete
149 km
SC
Itajaí - Blumenau - Rio do Sul
146 km
RS
Pelotas - Rio Grande
52 km
SP
Campinas - Araraquara
192 km
RJ
Santa Cruz - Mangaratiba
49 km
MG
Bocaiúva - Montes Claros - Janaúba
217 km
SP
São Paulo - Itapetininga
199 km
BA
Conceição da Feira - Salvador - Alagoinhas
238 km
MA/PI
Codó – Teresina - Altos
205 km
Fonte: RF Foto: Suiça News

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Alckmin diz que não renovará compartilhamento de malha

O Regulamento Operacional Ferroviário (ROF) é bem Claro, os trens de passageiros terão PRIORIDADE aos demais trens exceto os de socorro.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB), cobrou do governo federal, nesta quinta-feira (19), a construção do ferroanel em São Paulo ao comentar o acidente ocorrido na Linha 7- Rubi, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). No fim da manhã de quarta-feira (18), um trem de carga descarrilou e atingiu uma composição que transportava passageiros.


Para o governador, o convênio que prevê o compartilhamento das ferrovias entre trens de carga e de passageiros não deve ser renovado em 2016. O governo do estado quer que trens de cargas a partir de agora só circule à noite.

“Estamos hoje comunicando à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e à MRS Logística [que opera cargueiros, por concessão federal], que nós queremos diminuir a zero o trem de carga durante o dia, que eles precisam se adaptar durante a noite e comunicando também que depois de 2016 não tem mais”, afirmou em evento no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul de São Paulo.

De acordo com o governador, haverá um prazo para que sejam tomadas as providências para suspensão do tráfego dos trens de carga durante o dia. “Estamos sempre alertando o governo federal de que precisa ter uma alternativa para não passar mais dentro de São Paulo”, afirmou. Atualmente, dos 75 trens que passam todo dia por São Paulo, cerca de um terço circulam durante o dia, junto com o trem.


Alckmin afirmou que as negociações para a construção do Ferroanel e o Rodoanel datam da mesma época, porém, o projeto que caberia ao governo federal não avançou. O governador destacou que os trechos Oeste e Sul do Rodoanel já estão concluídos. O trecho leste deve ser terminado no primeiro semestre de 2014 e seis frentes de trabalho atuam na construção do trecho norte.“O Ferroanel nunca começou”, destacou.

Interdição

A linha 7 permanece com tráfego interrompido entre Franco da Rocha e Baltazar Fidélis nesta quinta-feira (19). De acordo com o secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, toda a carga de bauxita foi retirada do local do acidente. A expectativa é que na segunda-feira as duas já estejam liberadas.
Fonte: G1 e UOL

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Educação e Ferrovia

O Brasil vem apresentando diversos projetos de novas ferrovias, como o Programa de Investimento em Logística (PIL), que promete mais 10 mil quilômetros de ferrovias para os próximos cinco anos. Pensando nesses projetos é necessário fazer uma análise do cenário de mão de obra no Brasil para atendê-los.

Segundo o diretor executivo do Cepefer (Centro de Estudos e Pesquisas Ferroviárias), Manoel Mendes, o assunto levanta questões como: como fazer para atrair os jovens para a carreira metroviária? E qual é o papel das universidades na formação integração desses profissionais?



A partir da década de 70, o Brasil parou em relação ao setor metroferroviário. Hoje, candidatos aos cursos de engenharia afirmam que o modal ferroviário é coisa do passado, e essa mentalidade que precisamos mudar, afirma o diretor.

Mendes diz que devem ser louvadas iniciativas das empresas de fazer as universidades corporativas, e investir na educação de seus funcionários. Um exemplo é o programa de educação da Vale, o Valer, criado em 2003 com o objetivo de desenvolver e capacitar os funcionários através de treinamentos, aulas em simuladores e parcerias com a comunidade acadêmica.

Além da Vale, ALL, MRS, AmstedMaxion, Metrô de São Paulo, CPTM, entre outras operadoras, investem em formação profissional. Em suas estruturas ou parceria com instituições como o próprio Cepefer e o Senai, as empresas desenvolvem cursos de qualificação e formação profissional. Fonte: RF

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Viajar de trem no Canadá, possibilidade de cruzar o país.

Nada como fazer uma turnê pelo Canadá de trem. Seja qual for o destino escolhido, você pode ter certeza que as suas melhores férias estão prestes a começar, como você embarcar em um trem luxuoso e confortável, onde você pode relaxar com um bom livro, compartilhar com outros passageiros, ou apenas relaxar e desfrutar de pistas suave passagem, enquanto admira as paisagens magníficas canadenses.

São realidades que são possíveis serem realizadas no Brasil, somos um país continental com inúmeras possibilidades de turismo, viagens a negócios entre outras coisas mais.