Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2014

Trens monitorados via satélite

Imagem
A proposta é usar a estrutura do Galileu, o sistema de navegação da comunidade europeia, para organizar o fluxo de trens no país - o que reduziria os gastos de manuntenção com o sistema de sinalização. De acordo com The Telegraph, o sistema ferroviário inglês conta com uma complexa rede que envolve 800 centros de sinalização. Muitos deles ainda datam do tempo da Rainha Vitória, que reinou há 150 anos. Até 2016, o país quer reduzir para 12 o número de centros regionais. Segundo The Telegraph, a adoção da proposta do ministro envolve alguns problemas. Um exemplo é o fato de que o uso do Galileu para essa finalidade não seria permitido. Outro ponto é o risco envolvido em possíveis falhas do sistema, que poderiam resultar em colisões entre trens. O jornal lembra ainda que sinais do satélite poderiam não funcionar dentro de túneis - como acontece com celulares. Entretanto, o ministro inglês é enfatico na defesa de sua ideia de multiplicar os usos possíveis do Galileu. "Aeroporto

A primeira fabricante de sinalização ferroviária do Brasil - Alstom

Imagem
A Alstom Transporte é líder mundial em equipamentos e serviços ferroviários, oferecendo a mais ampla gama de equipamentos do mercado, de material rodante e infraestrutura a sistemas de sinalização, informação e manutenção. Somos referência mundial em VLTs, metrôs e trens regionais de alta e altíssima velocidade, com mais de 1.000 composições em operação comercial ao redor do mundo. No Brasil, fomos a primeira fabricante de sinalização ferroviária do Brasil e atuamos desde o projeto e fabricação de carros de passageiros, sistemas de sinalização de trilhos e de bordo, centros de controle operacional, manutenção e modernização de carros e locomotivas, até a gestão de projetos. Em 2014, anunciamos a inauguração da terceira unidade do setor em Taubaté, São Paulo. A unidade contará com a nova linha de produção dedicada a VLTs e entrará em operação a partir de dezembro de 2014. É desta forma que cumprimos o nosso objetivo de criar sistemas que superem diariamente os novos desafios da mobilid

Estação de Tóquio - Japão

Imagem
Muitos trens chegam e partem da estação de Tóquio, em detalhe na foto aparacem alguns trens regionais, alguns modelos de trem de alta velocidade e também o Hayabusa em verde. Esta é a vista do Fórum Internacional de Tóquio, perto da estação de Tóquio. O Japão foi o pioneiro na construção dos trens de alta velocidade, o primeiro trem bala circulou em 1964. O Japão tem uma tecnologia incrível em alta velocidade com índices invejáveis de pontualidade.

Alstom entrega o primeiro trem para SuperVia no Rio de Janeiro

Imagem
Um ano após a assinatura do contrato, a Alstom entregou o primeiro dos dez trens encomendados pela SuperVia Concessionária, no Rio de Janeiro. A nova composição está na fase de testes e vai começar a operar em março. Os trens têm design inovador, ar-condicionado, passagem interna entre os carros, o sistema não permitirá a abertura de portas durante a viagem, câmera de circuito fechado, painéis de LED e será capaz de transportar até 2.600 passageiros por trem. Os 80 novos carros serão entregues em setembro de 2014 e vai modernizar todo o sistema de transporte do Rio de Janeiro. O objetivo é levar mais conforto a quantia de 600 mil passageiros da SuperVia transporta diariamente. Fonte: Alstom

A modernidade no transporte ferroviário de passageiros

Imagem
A Vale vinha amadurecendo há alguns anos a ideia de substituir os trens de passageiros da empresa. Em 2014, o projeto começa a ser implementado. A primeira linha a ter os comboios renovados, a partir do fim de março, será a Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), que transporta um milhão de passageiros por ano. No primeiro semestre de 2015, será a vez de os novos carros, com padrão europeu de qualidade, chegarem à Estrada de Ferro de Carajás (EFC), entre o Pará e o Maranhão, na qual viajam 350 mil pessoas todo ano. A Vale vai investir US$ 135 milhões no programa de renovação dos trens de passageiros. Desse total, US$ 80,2 milhões estão sendo aplicados na compra de 56 novos carros ferroviários para a EFVM. Serão 10 carros de classe executiva e 30 de categoria econômica, além de veículos de apoio como vagões-restaurante, lanchonete, gerador e um vagão específico para cadeirantes (pessoas com dificuldade de locomoção). A empresa vai aplicar ainda US$ 55 milhões na compra de 39 ca

Locomotiva da Canadian National Railway movida a gás natural

Imagem
A Canadian National Railway está testando duas locomotivas movidas a gás natural em Alberta, para ver se é viável mudar de diesel, para um combustível que é barato, abundante e relativamente limpo. Gigante de gás natural Encana Corp (TSX: ECA) está fornecendo o abastecimento, juntamente com a manutenção, que será executado em Edmonton. A Conversão de Energia Inc, empresa dos EUA, está fornecendo os kits de conversão para CN, a medida vai reduzir as emissões de dióxido de carbono em 30% e as emissões de óxido de nitrogênio em 70% ao longo de um ciclo de trabalho da locomotiva. "O gás natural tem um teor de carbono menor em comparação com o combustível diesel, se a tecnologia ferroviária empregada com esta forma de energia, em última análise, revela viável, produziria significativamente menos emissões de dióxido de carbono", disse o diretor de operações CN Keith Creel. Fonte: CN Locomotiva e Vagão Especial Tanque

VLI mais do que dobra sua frota de vagões em dois anos

Imagem
A VLI, empresa de logística de carga geral com serviços que integram portos, ferrovias e terminais intermodais, adicionou à sua frota de vagões utilizada na Ferrovia Norte Sul um total de 306 novos ativos no acumulado de 2013, sendo 208 unidades do tipo hopper, para o transporte de grãos, e 98 vagões-tanque para combustível. Somada aos 179 hopper e 30 tanques integrados à frota em 2012, a aquisição realizada no ano passado fez com que a quantidade de equipamentos operados pela empresa na ferrovia mais do que dobrasse em dois anos, saltando de 362 vagões em 2011 para as 877 unidades atuais. Os valores investidos não foram divulgados. Os vagões adquiridos garantem ainda um aumento considerável no volume de carga transportada pela VLI, já que apresentam maior capacidade. Os ativos destinados à movimentação de grãos, por exemplo, podem carregar até 98 toneladas do produto, contra as 90 toneladas dos equipamentos utilizados anteriormente. Já os vagões-tanque transportam 116 mil litros

ALL opera no limite

Imagem
“Isso aqui é como o exército vietcong. Construímos as pontes abaixo do nível do rio para a aviação americana não ver”. A frase, de um alto executivo da ALL, bem definia o estilo de administração da então nova concessionária: criatividade, economia de meios e soluções heterodoxas. Mais viriam, no mesmo estilo: vagões tanque viravam graneleiros, vagões fechados viravam telescópicos, locomotivas operavam só com motores de tração; motores de tração GM eram usados em locos GE, e assim por diante, para general Giap nenhum botar defeito . Enchendo espaços vazios no pátio de Araraquara: criatividade sem fim Durante um bom tempo, deu resultado: o investimento foi contido, o tráfego subiu e os resultados de balanço – se não sustentaram as cotações em bolsa – permitiram a transferência para o público de 60% do capital da empresa. O problema é que – talvez não no Vietnam, mas com certeza na ferrovia – “manutenção postergada não reclama, se vinga”, como diz Julio Fontana, presidente da C

Metrô de Xangai passa a ser primeiro do mundo com mais de 500 km

Imagem
Esta semana, a cidade de Xangai estabelece um novo recorde: com a abertura das linhas 12 e 16, a metrópole chinesa passa a ter o primeiro sistema de metrô do mundo com comprimento total superior a 500 quilômetros. Nos próximos anos, serão adicionados mais 230 km, extensão superior à do metrô de Paris. Enquanto Xangai atinge esta semana 567 quilômetros de trilhos em operações, Londres tem 400 quilômetros, e Nova York, 337 quilômetros. Já o metrô de São Paulo, maior rede do Brasil, tem 74 quilômetros. Fonte: BBC Brasil