sexta-feira, 27 de junho de 2014

Estação Ferroviária Roma Termini - Itália

Viajando por toda a Itália utilizando trens pode ser uma das formas mais interessantes para conhecer este país maravilhoso e descobrir fora do caminho batido lugares que muitas vezes não recebem muita atenção. Compreensivelmente, os visitantes que têm apenas alguns dias na Itália não costumam ter o prazer de explorar a Itália por trens.

A empresa mais importante em solo italiano podemos afirmar que é a Trenitalia, de lá é possivel embarcar em trens confortáveis regionais e trens de alta velocidade que ligam a França e outros países da Europa.

A estação Roma Termini é muito grande e, assim como todas as estações ferroviárias da Itália, possuem dezenas de terminais, muitas vezes longes uns dos outros.


quinta-feira, 26 de junho de 2014

Estação St. Catharines - Via Rail

Um trem Via Rail liberando a estação em St. Catharines, Ontário. Como a província debate a possibilidade de trens de alta velocidade que liga Edmonton e Calgary, políticos locais dizem que é possível que a tecnologia poderia ser usada para conectar Fort McMurray para o resto da província. 

A estação de St. Catharines é servido por trens Via Rail conectando-a com Toronto, e pelo trem Maple Leaf (operado conjuntamente pela VIA Rail e Amtrak) entre Toronto e New York City.


quarta-feira, 25 de junho de 2014

West Virginia - EUA

Além do tráfego de carvão pesado, trens de grãos e os trens intermodais viajam neste double-track da NS Norfolk Southern na ferrovia de West Virginia nos Estados Unidos da América. Recentemente ampliado como uma linha adjacente, o tráfego de trens de cargas é intenso e representa um volume bastante alto no transportes de cargas, o transporte nos trens retira milhares de caminhões das estradas proporcionando mais segurança e economia nas operações.


segunda-feira, 23 de junho de 2014

Linha 3 do Metrô do Rio de Janeiro começam os trabalhos início operação 2018

São Gonçalo e Niterói começam a se preparar para um dos principais projetos de mobilidade urbana da Região Metropolitana: a Linha 3 do metrô, que ligará as duas cidades e beneficiará 1,5 milhão de pessoas. O investimento é de R$ 3 bilhões e envolve recursos dos governos estadual (51%) e federal (49%). A concorrência será aberta 15 de agosto, e o consórcio vencedor, anunciado um mês depois. Mas no próximo dia 30 o edital de licitação já estará disponível para consulta pública.

Em São Gonçalo, 300 casas foram desapropriadas nos últimos dois meses, no bairro Jardim Catarina, para preparar o terreno para as obras. As famílias foram realocadas em residências do programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal.


O projeto da Linha 3 prevê que a maior parte do trajeto seja monotrilho em elevação e, o restante, metrô de superfície. O início da operação só deve ocorrer em 2018, com todas as 14 estações funcionando dois anos depois.

A nova linha terá 22 quilômetros de extensão e é considerada a válvula de escape para atenuar os atuais engarrafamentos que afligem moradores de Niterói e São Gonçalo. As cidades não contam com transporte de massa desde que o trem da região deixou de operar, na década de 1980.


“Você chega a perder duas horas num trecho curto, entre São Gonçalo e Niterói, em ônibus ou vans. O metrô resolve 50% dos nossos problemas de locomoção. Vale a pena lembrar que São Gonçalo tem 1 milhão e 200 mil habitantes, sendo a segunda cidade mais populosa do Estado do Rio, atrás apenas da capital”, disse o prefeito de São Gonçalo, Neílton Mulim.

“O projeto começa a tomar corpo num momento importante, porque o Comperj (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro) vem alterando a dinâmica do fluxo de passageiros. Se o padrão antes era muita gente saindo de São Gonçalo e Itaboraí para trabalhar no Rio, hoje tem muito carioca que vem para os lados de cá. São pessoas interessadas em trabalhar no empreendimento da Petrobras”, disse o secretário de Transportes de São Gonçalo, Daelson Viana.

Há estudos para estender a Linha 3 até o município de Itaboraí, onde fica o Comperj, mas não há data estabelecida para abertura da licitação ou previsão para o início das obras. Fonte O Dia



domingo, 22 de junho de 2014

Centro de Controle de Tráfego de Trens

As redes ferroviárias são obrigadas a serem mais eficientes, para otimizar o uso dos ativos, os operadores precisam de um sistema que é capaz de fornecer um sistema completo de monitoramento e controle integrado para todos (controle de circulação dos trens, gerenciamento de incidentes, a alocação de recursos) e operacional elementos (na estação ou funções de bordo estáticos) funcionais de rede. Este sistema deve ser facilmente customizável para tomar rapidamente em conta organização e funcionamento os procedimentos do operador.

Centro de Controle na Europa

Os monitores do Centro de Controle controla todos os aspectos da rede. Ele organiza simultaneamente funções operacionais e de gestão de tráfego através Iconis ATS para a supervisão trem automatizado urbano, Iconis CTC para as linhas principais e Iconis SCADA para monitoramento de infra-estrutura, em interação e automatização de controle de trens (ATC) e sub-sistemas.


sábado, 21 de junho de 2014

Museu de Eisenbahn - Alemanha

O Museu Ferroviário alemão ou MEM foi fundada em 1977 como uma sociedade, seu objetivo era preservar veículos ferroviários históricos e operá-los no Minden Distrito Railway ( Mindener Kreisbahn ou MKB ). Não demorou muito para que o primeiro trem do museu rodar na linha. Veículos do museu foram inicialmente alojados no salão do antigo pátio de locomotivas do MKB ( Bahnbetriebswerk ) em Minden estação Stadt.


No mesmo ano, o MAM ganhou suas primeiras locomotivas, motores a vapor do MAM Mevissen 4 e o prussiano T 13 , Stettin 7906 foram retomadas do VEB (ex-DRG não 92 638.) Erfurt industrial Railway. Ao mesmo tempo, durante esse primeiro ano, as locomotivas foram inspecionadas e reparadas em nome de outras ferrovias do museu.

Trens do museu são operados nas linhas de propriedade do Minden Distrito Railway e Wittlage Distrito Railway. Mais tarde, as linhas do MKB foram gradualmente tomadas pelo MAM. A sociedade teve que mudar a sua sede para a estação Oberstadt, porque a sua antiga localização e depósito na estação de Minden Stadt foi fechada e vendida. Na estação de Minden-Oberstadt um novo galpão será construído, em torno do qual um grande depósito pode ser estabelecido com oficinas.

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Ferrovias em subúrbios dos EUA

As Ferrovias são conhecidas principalmente por causa de seu tráfego de mercadorias e de passageiros, tanto para as quotas de mercado dos transportes, bem como os parâmetros do trem, particularmente linear. No entanto, apesar de ter dominado o transporte de mercadorias tem um papel importante aqui, bem como o transporte de passageiros, que é dividido em duas áreas básicas. O primeiro e mais famoso transporte de longa distância, apresentou única empresa a Amtrak e seu produto de prestígio o Acela, e o outro é o direito em áreas suburbanas ao redor das vilas e cidades maiores.

Esta área tem experimentado recentemente um crescimento interessante quando a corrente começa a crescer para operações totalmente novas e as já existentes são, em muitos casos modernizada e ampliada. No início deve-se notar que ao contrário da maioria do resto do mundo, a maior parte do volume de transporte de passageiros, incluindo suburbano implementado em tração diesel e elétrica.


quinta-feira, 19 de junho de 2014

Locomotivas a Vapor as pioneiras

A Locomotiva a vapor é uma locomotiva propulsionada por um motor a vapor que compõe-se de três partes principais: a caldeira, produzindo o vapor usando a energia do combustível, a máquina térmica, transformando a energia do vapor em trabalho mecânico e a carroçaria, carregando a construção. O vagão-reboque (também chamado "tender") de uma locomotiva a vapor transporta o combustível e a água necessários para a alimentação da máquina.

As Locomotivas a Vapor foram as pioneiras no transporte ferroviário e abriram caminho para o futuro dos transportes sobre trilhos no mundo.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

OmniTrax - EUA

A autoridade Brownsville Navigation District, que administra o porto de Brownsville, Texas, nomeou grupo regional e shortline OmniTrax para gerenciar a Brownsville e Rio Grande Railroad Internacional em seu nome. O acordo tem vigência de 30 anos e inclui o desenvolvimento de um parque industrial em terreno adjacente.

Os 53 km de  ferrovia conecta o porto com as redes Union Pacific e BNSF, e via UP rota para o México de Kansas City Southern. "Esta é uma grande oportunidade para OmniTrax, a Brownsville e Rio Grande Railroad Internacional e do povo de Brownsville para trazer novas indústrias, criar novos postos de trabalho, aumentar a base tributária e impulsionar a economia local", disse o CEO Kevin OmniTrax Shuba. Fonte: OmniTrax



Trem Rocky Mountaineer - Montanhas Rochosas Canadenses

Um dos três serviços de trens de turismo para as Montanhas Rochosas canadenses, o Rocky Mountaineer é exclusivamente um serviço durante o dia, o que significa que você não perca um minuto da vista. Carros de vidro abobadada, serviço de primeira classe e comida requintada, fazem o Rocky Mountaineer mundialmente famoso. Normalmente você gasta apenas dois dias no trem para as Montanhas Rochosas canadenses em torno desta experiência maravilhosa.



terça-feira, 17 de junho de 2014

Depósitos de trens são declarados patrimônios históricos em Campinas

O Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural (Condepacc) tombou trilhos de linhas mortas, os depósitos de locomativas elétricas e a vapor, ferramentas e a alvenaria de uma caixa d'água do Complexo Ferroviário da antiga Fepasa, localizado no Centro de Campinas (SP). Além disso, áreas abertas e o próprio solo do espaço também passaram a ser patrimônio histórico e cultural reconhecido pela cidade. O tombamento foi publicado nesta segunda-feira (16) no Diário Oficial do município.

O tombamento possibilita a preservação de um "museu a céu aberto" sobre a ferrovia na região, segundo a coordenadora do setor patrimonial da Prefeitura e membra do Condepacc, Daisy Ribeiro. Os itens tombados não eram contemplados pela resolução de 1990 que tornava patrimônio apenas os galpões do complexo ferroviário. 


Segundo Daisy, até então não haviam sido concluídos os estudos que permitiam que os bens móveis fossem tombados como patrimônio histórico cultural. Ela informou que pelo menos 50 locomotivas também foram tombadas e que poderão ser futuramente restauradas. "Estamos conversando com a ABPF [Associação Brasileira de Preservação Ferroviária] para restaurar algumas locomotivas para circular na Maria Fumaça", conta.

A Prefeitura afirma que, com esta resolução, todos os imóveis, espaços e bens do Complexo Ferroviário passaram a ser patrimônio histórico e cultural. De acordo com a publicação no Diário Oficial, foram tombados duas cabinas, os depósitos de locomotivas elétricas e a vapor, o vestiário das locomotivas a vapor, a Casa de Areia, o prédio da administração da casa de carros, a alvenaria da caixa d'água de um antigo pátio circular, o poço, a balança, um bueiro, a Casa do Rádio, a baldeação - assim como o prolongamento metálico dela - , as paredes remanescentes do escritório de baldeação e as torres de distribuição e de iluminação da Companhia Paulista de Estradas de Ferro.

Já da Companhia Mogiana, foram tombadas a escola ferroviária, o vestiário da antiga quadra de esportes, o restaurante, a contadoria, o vestiário coletivo, a oficina, o museu, o mictório da oficina, o areeiro, os depósitos de ferro, de óleo e bronze e a nova casa de carros. Além disso, tornaram-se patrimônios culturais os espaços vazios entre os imóveis do Complexo Ferroviário e os trilhos das linhas mortas.

Preservação do sistema ferroviário
Entre os itens curiosos do tombamento, está a alvenaria de uma caixa d'água, além de um poço e um bueiro. Segundo Daisy, itens como esses são importantes para a preservação da memória do sistema ferroviário, tendo em vista que são aparatos que possibilitavam a circulação dos trens. "É aparentemente estranho, porém as caixas d'água eram fundamentais para as locomotivas movidas a vapor. Elas eram como se fossem postos de gasolina para o sistema", explica ela.

Sítio arqueológico

Daisy explica que o solo entre os galpões também passou a ser patrimônio, tendo em vista que há vestígios de que o local possa ser um sítio arqueológico recente. "Há indícios de que a região seja um sítio arqueológico histórico, com objetos de 100 a 200 anos". Ela afirma que ainda deve ser feito um diagnóstico para a exploração da área, mas que era necessário realizar o tombamento primeiro. A membra do Condepacc explica ainda que, com o tombamento do solo, será possível investigar as ligações subterrâneas que abasteciam outras estações com água, o "combustível" das locomotivas a vapor. Fonte: G1

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Locomotiva Newag Gliwice & Duro Dakovic

Newag Gliwice polonês produtor de locomotivas assinou um acordo com a fabricante croata Đuro Đaković para lançar a produção conjunta de locomotivas elétricas. Newag fornecerá seu parceiro croata com a tecnologia necessária e know-how para fazer locomotivas Griffin E4ACU na unidade de produção em Slavonski Brod, a empresa polaca disse em um comunicado.

A locomotiva é equipada com uma capacidade de até 3.200 toneladas e uma velocidade máxima de 160 km / h para os trens de carga e 200 km / h para os comboios de passageiros, de acordo com dados divulgados pelo Newag Gliwice.



terça-feira, 10 de junho de 2014

Vale compra 39 novos vagões de passageiros para a EFC

Além de transportar nossos minérios, duas ferrovias operadas pela Vale no Brasil oferecem as principais opções de trem de passageiros do país: a Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) e a Estrada de Ferro Carajás (EFC).

As ferrovias possuem sistemas de controle monitorados 24 horas por dia, garantindo a segurança das viagens. Os trens oferecem facilidades como lanchonete, restaurantes e ar condicionado na classe executiva.

A Vale comprou 39 novos carros de passageiros para renovar sua frota da Estrada de Ferro Carajás (EFC). Os primeiros carros desembarcaram no último sábado (07/06), em São Luís (MA). A Vale investiu US$ 55,6 milhões na aquisição dos modelos da empresa romena Astra Vagoane.


Dos 39 novos carros, seis são executivos e 21 são econômicos; há também vagões-restaurante, lanchonete, gerador e cadeirante (destinado a pessoas com dificuldades de locomoção). O segundo lote está previsto para chegar no segundo semestre. Logo após a chegada, os equipamentos serão montados e seguirão para testes na ferrovia. A previsão é que os trens comecem a operar no primeiro trimestre de 2015.

Os carros executivos têm capacidade para transportar até 60 passageiros, enquanto os econômicos contam com 79 lugares. Os novos carros têm tomadas elétricas individuais nas poltronas, banheiros, detectores de fumaça e displays internos e externos que exibirão informações sobre a viagem.

A EFC atende 27 municípios entre Carajás (Pará) e São Luís (Maranhão). O percurso de 892 km tem cinco estações, 10 pontos de parada e transporta aproximadamente 350 mil passageiros por ano. A fabricante Astra Vagoane foi fundada em 1891 e atende países como Brasil, Hungria, Itália, Alemanha, Rússia, Egito, Angola e Moçambique. Fonte: RF/Vale



domingo, 8 de junho de 2014

Japoneses querem investir no Brasil

O embaixador do Japão, Kunio Umeda e 29 empresários japoneses estiveram na tarde desta quarta-feira (4) no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) reforçando ao ministro da pasta, Neri Geller, o interesse em estabelecer parceria com o Brasil.

Neri Geller expôs o panorama da agricultura brasileira e colocou como um dos principais desafios no país os investimentos em logística no transporte dos produtos agrícolas.

"Temos interesse em fazer parceria com o Japão e também com outros países, pois acreditamos que podemos investir ainda mais em infraestrutura e logística", disse o ministro.

Na reunião, foi constituído um grupo de trabalho formado por representantes do Mapa, do Ministério dos Transportes, da Secretaria de Portos e do governo japonês para debater as questões que possam efetivar investimentos neste segmento no Brasil. A reunião ficou agendada para o dia 11 deste mês.

Fonte: Min. da Agricultura, Pecuária e Abastecimento


segunda-feira, 2 de junho de 2014

A Norfolk Southern comemora 18 anos sem incidentes com cargas químicas

O prêmio concedido anualmente há 18 anos, vai para fabricantes de produtos químicos e equipamentos que acompanham pelo menos 1.000 carros cheios de produtos perigosos em Norfolk Southern sem um único incidente. Em 2013, 55 empresas e cinco usinas alcançaram o padrão.

Produtos químicos industriais utilizados para a fabricação de diversos bens de consumo, petróleo bruto, etanol e fertilizantes. Embora essencial para a economia e os consumidores dos EUA, esses produtos químicos são classificados como materiais perigosos regulamentados pelo governo federal e são potencialmente perigosos.

Click here to close


A Amtrak irá permitir que animais de estimação viagem a bordo

A Amtrak e do Departamento de Transportes de Illinois estão se unindo para deixar os viajantes trazerem seus animais de estimação junto, entre Chicago e Quincy.

Cães e gatos de até 20 quilos cada um será aceito em portadores tais como aqueles usados ​​nas cabines de avião e colocados aos pés e sob o assento de cada proprietário do animal. Os trens 380-383 operam de Chicago, LaGrange, Naperville, Plano, Mend, Princeton, Kewanee, Galesburg, Macomb e Quincy.

A Amtrak dará suporte de acomodaros animais de estimação em trens, através da colaboração direta com o Departamento de Illinois de Transportes e um grupo de trabalho liderado por EUA Rep. Jeff Denham da Califórnia, estamos otimistas que o plano poderá ser alcançado para atender às necessidades e preocupações de todos nossos passageiros, disse o presidente e CEO da Amtrak Joe Boardman.