terça-feira, 30 de setembro de 2014

O Alcance da CN - Canadá

Nossa rede ferroviária se estende por três costas com mais de 21.000 quilômetros de trilhos. O que isso significa para você? É simples ... o acesso a mais de 75% da população norte americana e os mercados mundiais. A CN conecta os Estados Unidos e Canadá no transporte ferroviário de cargas.

Isso significa que você pode alcançar o inalcançável, significa que você pode enviar mais, mais rápido, mais barato. Isso também significa que você pode se sentir bem usando um meio de transporte que é melhor para o ambiente.


A história rica e um futuro brilhante a CN mais do que apenas uma estrada de ferro, é uma empresa de transporte que oferece serviços integrados de transporte: ferroviário, intermodal, transporte rodoviário, frete, armazenagem e distribuição. A CN continua a entregar mercadorias ano após ano. A CN é uma empresa cidadã engajada, comprometida com a segurança de nossos funcionários, clientes e do público, é investido na construção de valor para os acionistas e comunidades mais fortes, com foco em gestão ambiental e desenvolvimento de um ambiente excepcional no local de trabalho. Fonte: CN

domingo, 28 de setembro de 2014

Aparelho detecta fadiga ou microssono para ser testado em Locomotivas EMD

Na feira Innotrans a Seeing Machines anunciou lançamento de aparelho para fadiga do condutor e tecnologia de monitoramento de distração para ser testado em ElectroMotive Diesel, é projetado para intervir em caso de um maquinista ter um microssono ou se distrair.

A tecnologia é usada em veículos de mineração de grande porte fornecidos pela empresa EMD Caterpillar. Ele usa uma câmera infravermelha montada no painel de instrumentos para monitorar os movimentos da cabeça do condutor, especialmente os olhos. Se a câmara monitora movimentos de cabeça e piscar de olhos cessou ou o motorista está distraído e olhando em uma direção inesperada, em seguida, um alarme eletrônico é acionado. Os alertas podem assim ser enviado para a sala de controle para tratamento do incidente.

sábado, 27 de setembro de 2014

ANTT e agência europeia firmam parceria para o setor ferrovirário

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Agência Ferroviária Europeia (), assinaram, na terça-feira (23/9), em Berlim (Alemanha), um Memorando de Entendimentos com vistas a ampliar o diálogo entre o Brasil e a União Europeia. As conversas tiveram início em fevereiro, quando foi desenvolvido um plano de ação em que as partes se comprometeram a buscar uma cooperação mais estreita entre os reguladores, com vistas à obtenção de acordos de reconhecimento mútuo em matéria de requisitos técnicos, avaliação de conformidade e padrões na área ferroviária. Assinaram o documento o diretor-geral da ANTT, Jorge bastos, e o diretor executivo da ERA, Marcel Verslype. 


O Brasil está fazendo investimentos substanciais para ampliação e revitalização do seu sistema ferroviário. Por isso, a fim de maximizar a eficiência do sistema no mercado ferroviário brasileiro, a ANTT lançou, em junho deste ano, regulamentação sobre a atividade do Operador Ferroviário Independente (OFI), que implanta um novo modelo nos serviços de transporte ferroviário. O novo marco regulatório construído para o setor já é adotado amplamente na Europa e prevê a prestação do serviço de forma dissociada da exploração da infraestrutura.

Essa nova forma de concessão, caracterizada pela horizontalidade, difere do modelo vertical, em que a exploração da infraestrutura ferroviária e a prestação do serviço são executadas por uma única empresa. Isso permitirá a abertura do mercado e a competição entre vários agentes de transporte, tornando o serviço mais barato e eficiente. Esse modelo difere totalmente de tudo o foi feito no país até o momento e coloca o Brasil na vanguarda da regulamentação ferroviária, ao lado de países que são referência no setor. 


PIL – Em 2012, o governo federal lançou o Programa de Investimentos em Logística (PIL), que inclui um conjunto de projetos que contribuirão para o desenvolvimento de um sistema de transportes moderno e eficiente. Esses projetos serão conduzidos por meio de parcerias estratégicas com o setor privado, sempre buscando a conectividade entre os modais rodoviário, ferroviário, hidroviário, portuário e aeroportuário.
Em relação às ferrovias, o PIL propõe ampliar a malha ferroviária existente, com a construção de mais de 10 mil quilômetros de ferrovias e investimentos na ordem de R$ 99,6 bilhões. As linhas interligarão grandes centros de produção agrícola, mineral e industrial. Não apenas em direção aos portos, mas também para atender o transporte de carga voltada para o mercado interno.Fonte: ANTT

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Locomotiva de 3 Eixos H3 com Motor Híbrido da DB e Alstom

Deutsche Bahn AG e Alstom lançaram o primeiro de uma nova geração de híbridos H3 locomotivas de manobra. Os três eixos da locomotiva H3 com motor híbrido é ambientalmente amigável. Ele consome até 50% menos combustível do que as locomotivas de manobra convencional e reduz as emissões de poluentes em até 70%. As emissões de ruído também são reduzidos significativamente. Dependendo da utilização, a locomotiva com motor híbrido irá executar entre 50% e 75% em modo de bateria. Isso faz com que o transporte ferroviário livre de emissões possível em contextos urbanos.

Trem Coradia Continental - Alstom

O Coradia Continental é o trem regional nova geração recebeu inovações mais recentes da Alstom, altamente reciclável design adaptado para o conforto dos passageiros, seu interior espaçoso possibilitando livre circulação dos passageiros, um sistema de computador que fornece assistência para os maquinistas, bem como simplificando consideravelmente a manutenção.

Fonte: Alstom

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Painéis de células fotovoltaicas nos trens de passageiros

Os painéis de células fotovoltaicas solares montados em todos os vagões para gerar energia elétrica. O excesso de energia pode ser armazenada numa bateria para utilização durante a noite. Os cientistas em Bangalore colocaram a ideia em prática de instalar painéis solares nos trens de longa distância para gerar eletricidade e aliviar a carga de energia nas ferrovias em Nova Deli.

A eletricidade produzida pelas células fotovoltaicas é muito importante para ecologia, afirmaram pesquisadores do Instituto Indiano de Ciência (IISc) que elaboraram a economia por trás da proposta inovadora.

O custo dos módulos de instalação seria recuperado em 2 ou 3 anos. A proposta foi analisada pelo administrador chefe da Organização Indian Railways para combustíveis alternativos.

domingo, 21 de setembro de 2014

Hunter Valley - Austrália

A rede de transporte ferroviário de Hunter Valley irá submeter-se a uma atualização de $ 1,2 bilhão nos próximos cinco anos, vai haver um aumento substancial da capacidade de entrega de carvão de Hunter Valley para o Porto de Newcastle em New South Wales, Austrália.

O programa de atualização inclui a construção de uma terceira linha entre Maitland e Whittingham, O australiano RailTrack Corporation (ARTC) realizou a atualização para atender às crescentes necessidades de transporte da indústria do carvão. Fonte: Trains Aust

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Audiência debate viabilidade de trem regional entre Salvador e Alagoinha - Bahia

A implantação de um sistema ferroviário de passageiros de interesse regional na ligação Conceição da Feira – Salvador – Alagoinhas, no estado da Bahia, estará em debate na próxima terça-feira (23), a partir das 9 horas, em audiência pública que será realizada na Escola Politécnica da UFBA.

Na audiência, a Universidade Federal da Bahia irá apresentar o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica, Financeira, Social e Ambiental (EVTEA) da obra, que foi realizado por meio de convênio com o Ministério dos Transportes. 


O trem regional entre essas localidades abrange uma área onde a demanda diária de passageiros é superior a 116 mil pessoas, e a linha deverá ter 225 quilômetros de extensão. O estudo considerou a reutilização da malha ferroviária existente com requalificação da infraestrutura para o transporte de passageiros. A recuperação dos trechos estudados dará condições de operação com conforto, segurança e menor tempo de viagem.

Todos os interessados em contribuir com subsídios e informações adicionais para o aprimoramento do estudo poderão participar dos debates. O credenciamento dos participantes será a partir das 8h30, no auditório Leopoldo Amaral, 6º andar da Escola Politécnica da UFBA, na rua Aristides Novis, nº 02, Federação, Salvador (BA). Fonte: Ministério dos Transportes

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

A Alstom será a primeira empresa Brasil a fornecer um sistema de VLT sem catenárias

A Alstom será a primeira empresa Brasil a fornecer um sistema de Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) sem catenárias (cabos elétricos). A empresa irá inaugurar a primeira fábrica de VLTs da América Latina, em 2015, na cidade de Taubaté (SP).

O VLT será destinado para o Porto Maravilha (projeto de revitalização da região portuária do Rio de Janeiro), e será composto por 32 composições modelo Citadis. Além de sistemas de fornecimento de energia, sinalização e telecomunicações.


A empresa levará suas novidades para o maior evento metroferroviário latino americano, a NT Expo - 17ª Negócios nos Trilhos. A feira acontece entre os dias 11 e 13 de novembro, no Expo Center Norte, em São Paulo. A edição Outubro-Novembro da Revista Ferroviária é a revista oficial da feira. No evento, a RF irá lançar o Anuário RF 2014, o mais completo guia do setor metroferroviário brasileiro. Fonte: RF

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Ligação Europeia na Eslovênia, Turquia e Alemanha

A Slovenske železnice em parceria com AdriaKombi e Kombiverkehr, oferecendo serviços a clientes na Eslovênia, Alemanha e Turquia, começou a operar na rota Ljubljana - Halkali (Instanbul) em 2008 os volumes transportados aumentaram até abril de 2010 três trens por semana têm sido transportado de Ljubljana para a Turquia. O produto é chamado de Bósforo Europe Express e é o resultado dos esforços coordenados de empresas ferroviárias e os gestores de infraestrutura de esloveno, croata, sérvio, búlgaro, e ferrovias turcas.

Trens de cargas elétricos MTAB - Suécia

A linha para transporte de minério de ferro sueco tem 398 km, uma longa linha ferroviária entre Riksgränsen e Boden em Norrbotten County, Suécia. A linha contém dois ramais, a partir de Kiruna para Svappavaara e de Gällivare paraKoskullskulle. O termo é frequentemente utilizado coloquialmente para incluir também a Linha Ofoten, de Riksgränsen a Narvik na Noruega, e da parte norte da linha principal através Superior Norrland de Boden para Luleå. A estrada de ferro de Narvik a Luleå é de 473 km de comprimento. 


A linha é única faixa eletrificado em 15 kV 16 2 / 3 Hz AC e tem uma carga por eixo permitido de 30 toneladas (30 toneladas longas; 33 toneladas curtas). A parte sueca da linha é a ferrovia mais ao norte, na Suécia e em toda a União Europeia .

O primeiro trecho da linha, de Gällivare para Luleå, inaugurado em 1888 Em 1899, a linha foi estendida para Kiruna, e a partir de 1903, todo o caminho até Narvik. A eletrificação ocorreu entre 1915 e 1923. 

domingo, 14 de setembro de 2014

Trens Noturnos - Suécia

A melhor forma de viajar longas distâncias na Suécia é no conforto de um trem noturno, a companhia ferroviária sueca SJ oferece um dos serviços de trens noturnos mais modernos da Europa. Enquanto viaja pela Suécia, você pode desfrutar um delicioso jantar no vagão-restaurante, uma bebida no bar/bistrô ou simplesmente relaxar e apreciar um filme no cinema do trem.

O trem oferece uma variedade de acomodações compatíveis com todos os orçamentos, desde cabines com cabines de 6 camas até um compartimento privativo na 1ª classe com vaso sanitário e chuveiro privativos. Que tal fazer um safári de baleias assassinas na cidade norueguesa de Narvik, ver a aurora boreal em Kiruna ou esquiar no maior resort da Suécia, em Åre? Todas essas aventuras estão a apenas uma viagem de trem de distância.

Myrdal Station - Noruega

Myrdal Station é uma estação de trem de montanha e de junção, localizado na Linha Bergenmainline regional em Aurland, Sogn og Fjordane, Noruega. A estação ferroviária é também o terminal superior da Linha Flåmferroviária local, que sobe do fundo do vale do Sognefjord à junção no topo da montanha, proporcionando uma ligação de transportes públicos vital, mas derivando a maioria dos seus passageiros através do turismo. A maioria dos passageiros que utilizam estação de Myrdal estão realizando a conexão entre as duas linhas.

A Estação de Myrdal está localizada a cerca de 13 quilômetros (8,1 milhas) ao sul da aldeia de Flam e cerca de 20 quilômetros (12 milhas) ao sul de Aurlandsvangen. Não há ligação rodoviária para Myrdal, embora existam algumas casas e hotéis na região servida pela estação de Myrdal, e nas proximidades da Estação Vatnahalsen, cerca de um quilômetro antes de Myrdal, e 50 metros mais baixos para o nível médio do mar.

A estação está localizada entre dois túneis na Linha Bergen, o Gravahals túnel para o oeste e o Vatnahalsen túnel para o leste.Conclusão dos 5,3 quilômetros (3,3 milhas) de comprimento Gravahals túnel foi feito em 1905 A estação é de 867 metros (2.844 pés) acima do nível médio do mar.


sábado, 13 de setembro de 2014

Locomotiva da Union Pacific EMD DDA 40X

A EMD DDA 40X é uma locomotiva da Electro Motive Division construída entre Junho de 1969 e Setembro de 1971 para a Union Pacific Railroad UP. Um total de 47 locomotivas foram construídas com a numeração de 6900-6946. DD (arranjo de rodas D-D), gerador de tração de corrente alternada alternador, 40 (motor primário da série "40" da EMD - 16-645E), X dois motores primários DDA 40X.

Esta é a maior, mais pesada e mais potente diesel elétrica que já existiu, feita para rodar na linha de bitola standard (1.435mm) da UP puxando velozes trens de passageiros ou pesados trens de carga a velocidades de até 144 km/h (90 mph).


Seus 8 motores de tração são alimentados por 2 grupos moto geradores para cada motor produzir a potência de 6600 Hp, com a potencia máxima de 52.800 Hp

Foi chamada de sucessora da locomotiva a vapor "Big-Boy", que também rodou na UP e é uma das maiores locomotivas que já existiu.

Suas antecessoras foram as DD35 e DD35A, ambas máquinas D-D com 5000 hp e suas concorrentes foram as GE U50B de 5000 hp e a ALCO C-855 de 5500 hp, ambas com arranjo de rodas B+B-B+B.



quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Trem de Carga Transportando Blindados M113 BR do Exército Brasileiro

Na imagem abaixo retrata a locomoção de um Trem de Carga no Transporte de viaturas M113 BR, da 5ª Brigada de Cavalaria Blindada do Exército Brasileiro para o Exercício de Simulação Integrada. As viaturas embarcaram na cidade de Curitiba/PR e desembarcaram na Cidade de Cacequi/RS.

Os trens de cargas são versáteis pois além de transportarem cargas super pesadas também podem tracionar um número surpreendente de pranchas ou vagões em uma mesma viagem. Fonte: Exército Brasileiro


sábado, 6 de setembro de 2014

Trem Path em Nova Jersey

Port Authority Trans-Hudson ou trem PATH passando por uma área industrial em Nova Jersey, enquanto em rota para o centro de transporte e terminal no novo World Trade Center, em Lower Manhattan. 

PATH é uma estrada de ferro de trânsito rápido servindo Newark, Harrison, Hoboken e Jersey City, na região metropolitana norte de Nova Jersey e Manhattan, em Nova York. Tem um número de passageiros média por dia da semana de 259.100. Ele é operado pela Autoridade Portuária de Nova York e Nova Jersey.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Trens de cargas já substituem rodovias nas empresas de logística

Mesmo com o programa de concessões públicas do setor parado, empresas exportadoras brasileiras que utilizam as rodovias para levar suas mercadorias até os portos estão agora migrando para o modal ferroviário. Antes afastadas dos trilhos pela falta de investimentos nas Ferrovias brasileiras, essas companhias estão buscando parceiros logísticos privados na área para fugir da imprevisibilidade e também buscar redução de custos. Apesar de os trajetos serem mais longos de trem, em alguns casos a opção leva a uma economia de até 20% em relação aos caminhões.


Na opinião do especialista em infraestrutura da consultoria Inter.B, Cláudio Frischtak, a visão dos empresários vai além do cenário presente: eles estão se preparando para um futuro próximo, que tende a ser de aumento nos custos do transporte. "A tendência nos próximos meses é que haja reajuste no preço dos combustíveis. Um aumento virá de uma forma ou de outra. A ANTT (Agência Nacional De Transportes Terrestres) acaba de aumentar pedágio em nove estradas", lembrou Frischtak. "O que os empresários embarcadores estão fazendo é olhar com muito mais cuidado a opção Ferroviária. As decisões não são tomadas somente hoje. Eles avaliam custos futuros", ressaltou.

Com o reajuste dos combustíveis, o diesel utilizado pelos trens também sobe. Mas, para Frischtak, a balança fica menos desigual. Ele considera que o país ainda tem uma matriz "invertida", com excesso de peso nas rodovias, mas está havendo uma mudança no preço relativo dos transportes que deve levar a uma "maior racionalização" dos modais. "A preferência para quem transporta grãos e carga geral é pelo modal ferroviário. Mas, historicamente, as empresas optaram pelo rodoviário porque não há oferta e flexibilidade suficientes no transporte por trens no país", afirmou. "O problema não é de demanda. Na medida em que haja oferta, eu acho que a tendência hoje é de migração para as ferrovias", acrescentou

A gigante JBS é um dos exemplos de empresas que cederam às vantagens das Ferrovias. A companhia deve transportar este ano cerca de 125 mil toneladas de carne por trens, um crescimento significativo em comparação às 18 mil toneladas movimentadas em 2013. As cargas saem das unidades instaladas nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e São Paulo de caminhão, chegam ao terminal ferroviário em Cambé (PR) e percorrem o trecho de aproximadamente 500 quilômetros até o porto de Paranaguá de trem, onde são exportadas. Com a utilização da rota Ferroviária, consegue obter uma economia de 15% a 20% em comparação com o modal rodoviário.

A Floresta Real, exportadora da madeira nobre teca, também optou recentemente pelo ramo ferroviário. No caso da empresa, não pela questão dos custos que, no negócio, acabam se igualando aos do transporte rodoviário mas, pela pontualidade do serviço. "Optamos em trabalhar com modal ferroviário pela regularidade. Esse é o principal elemento. Com a Ferrovia, conseguimos ter planejamento, estabilidade e cumprir os cronogramas. Como exportadores, temos compromissos no exterior que precisam ser cumpridos no prazo e regularidade na entrega é fundamental", afirmou o sócio-diretor da empresa, Eduardo Medeiros.

Segundo ele, a empresa não quer correr o risco de passar por experiências como as dos produtores de soja que, com as dificuldades enfrentadas pelos caminhões nas estradas, não conseguiram fazer os embarques em Santos e Paranaguá e na última hora precisaram redirecionar as mercadorias para o porto do Rio Grande, para evitar a perda de contratos. Por isso, há pouco mais de um ano, passou a operar por trem, via terminal de Rondonópolis.

Outro fator que tem contribuído com a opção das empresas ferroviárias é a modernização que o setor privado está imprimindo ao modal, a despeito dos entraves no programa de concessões governamentais. Atenta às necessidades desse nicho, a operadora intermodal Brado apostou em investimentos no Transporte Ferroviário por containers e já colheu os frutos. A empresa fechou o segundo trimestre de 2014 com crescimento de 18% no volume transportado, na comparação com o mesmo período de 2013. "A demanda pelo nosso serviço vem aumentando a cada dia. Para atendê-la, estamos comprando mais duas locomotivas e 300 vagões em 2014. Já deixamos de ser uma empresa que roda só na Malha Ferroviária própria para operar como parceira em outras malhas", afirmou o diretor financeiro da empresa Adriano Bernardi. Fonte: Brasil Econômico

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Veículo Leve Sobre Trilhos Citadis - Alstom

Testes dinâmicos foram realizados ao longo de Karlsruhe em Nottingham. O primeiro de uma série de testes noturnos foram concluídos na Linha 2 de Clifford. Um dos novos VLT's Citadis de Nottingham trafegou do centro da cidade, sobre o rio Trent para Wilford em 22 de agosto.

Uma vez que os testes noturnos terminarem, em seguida, terá início o teste durante o dia, quando as pessoas vão achar que é mais bonito de apreciar a vista de bondes que trafegam pela estação de trem usando um dos mais emblemáticos novos marcos da cidade, a Ponte da Amizade Karlsruhe.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Turismo Sobre Trilhos

As viagens turísticas de trem pela Europa são uma tradição, mas no Brasil também há belos roteiros para se desfrutar sobre trilhos, em que as paisagens e a história se revelam de forma peculiar.

“O passeio de trem tem como diferencial a atmosfera nostálgica. As pessoas que fazem sempre têm uma relação histórica com o trem, seja um avô que foi ferroviário, seja por ter utilizado o transporte na infância ou mesmo por curiosidade”, diz o gerente.


Os passeios mostram a diversidade cultural do Brasil e alguns deles são regados a música típica local. Em ferrovias centenárias, mas com maquinário moderno, seja em Marias Fumaças ou trens atuais, de vagões standard, turísticos ou luxuosos com decoração de época, eles remetem a épocas em que esse era o único meio de transporte.

“No País existem grandes roteiros de trem e a procura cresce a cada ano. Na região Capixaba se vê as tradições das colônias portuguesas, espanholas e italianas; em Curitiba a riqueza da paisagem da Serra do Mar; no Pantanal a cultura indígena; no Rio Grande do Sul a cultura do vinho; e em São João Del Rei a história do País. Essas atrações fazem com que os turistas se encantem com os passeios de trem”, comenta Rogério Nunes, gerente da Serra Verde Express.

Pontos turísticos e receptivos em todos os roteiros enriquecem a viagem, seja pela gastronomia típica da região, natureza exuberante ou arquitetura de época das cidades.

“Embora não haja uma forte cultura turística de trens no País, é um produto mundial muito bem visto, com muitos estrangeiros explorando os nossos passeios, e os brasileiros também já se encantaram”, analisa Nunes.

Uma das mais consagradas rotas turísticas ferroviárias do País é o Trem da Serra do Mar, que proporciona ao passageiro um cenário de uma porção quase intocada da Mata Atlântica, com montanhas, túneis, pontes e picos que ligam a cidade de Curitiba ao litoral de Estado. Por ano, cerca de 200 mil pessoas desfrutam do passeio.