domingo, 19 de maio de 2019

GE Locomotiva Evolution ES43BBi

Lançada recentemente ao mercado, a locomotiva Evolution ES43BBi, desenvolvida pela GE Transportation para atender as características únicas das ferrovias brasileiras, já tem o seu primeiro contrato de compra. O novo modelo foi fornecido à Klabin, em um contrato que prevê a venda de sete locomotivas que circularão no corredor de bitola métrica na Malha Sul, atualmente operado pela ALL (América Latina Logística).


A compra das novas máquinas foi necessária para suportar a execução do Projeto Puma, que prevê a construção de uma fábrica de celulose com capacidade de produção de 1,5 milhão de toneladas anuais. As máquinas serão utilizadas para transportar a produção de celulose da nova fábrica para o porto de Paranaguá, o maior porto exportador de produtos agrícolas do Brasil, localizado no estado do Paraná.

Sobre a Evolution ES43BBi

A nova locomotiva da GE foi desenvolvida para atender as especificidades das ferrovias brasileiras. Até então, não existia no mercado uma locomotiva para bitola métrica com oito eixos, tecnologia de corrente alternada (AC) e dimensões adequadas para as ferrovias nacionais. O produto foi baseado nos conceitos da bem sucedida locomotiva Dash 9 de 8 eixos, mas com as mais novas tecnologias, tais como tração de corrente alternada, controle de eixo individual e motor diesel Evolution, todos resultando em uma locomotiva com mais esforço trator e melhor eficiência. Atualmente, o Brasil tem uma extensão de 23 mil quilômetros em ferrovias de bitola métrica, o que representa praticamente 80% da malha ferroviária do País.

“Por ter sido desenvolvida de acordo com as necessidades do mercado brasileiro, a Evolution ES43BBi permite o transporte de quantidades maiores de carga associado a custos menores decorrentes de sua operação“, explica Marc Flammia, Diretor de Tecnologia da GE Transportation. Duas ES43BBi podem substituir de três a cinco máquinas com seis eixos.

O novo modelo de locomotiva da GE emitirá até 80% a menos de poluentes, apresentando maior eficiência, e terá índice de nacionalização superior a 60%. Fonte: GE