quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Locomotiva da Canadian National Railway movida a gás natural

A Canadian National Railway está testando duas locomotivas movidas a gás natural em Alberta, para ver se é viável mudar de diesel, para um combustível que é barato, abundante e relativamente limpo. Gigante de gás natural Encana Corp (TSX: ECA) está fornecendo o abastecimento, juntamente com a manutenção, que será executado em Edmonton.

A Conversão de Energia Inc, empresa dos EUA, está fornecendo os kits de conversão para CN, a medida vai reduzir as emissões de dióxido de carbono em 30% e as emissões de óxido de nitrogênio em 70% ao longo de um ciclo de trabalho da locomotiva.

"O gás natural tem um teor de carbono menor em comparação com o combustível diesel, se a tecnologia ferroviária empregada com esta forma de energia, em última análise, revela viável, produziria significativamente menos emissões de dióxido de carbono", disse o diretor de operações CN Keith Creel. Fonte: CN

Locomotiva e Vagão Especial Tanque

VLI mais do que dobra sua frota de vagões em dois anos

A VLI, empresa de logística de carga geral com serviços que integram portos, ferrovias e terminais intermodais, adicionou à sua frota de vagões utilizada na Ferrovia Norte Sul um total de 306 novos ativos no acumulado de 2013, sendo 208 unidades do tipo hopper, para o transporte de grãos, e 98 vagões-tanque para combustível.

Somada aos 179 hopper e 30 tanques integrados à frota em 2012, a aquisição realizada no ano passado fez com que a quantidade de equipamentos operados pela empresa na ferrovia mais do que dobrasse em dois anos, saltando de 362 vagões em 2011 para as 877 unidades atuais. Os valores investidos não foram divulgados.

Os vagões adquiridos garantem ainda um aumento considerável no volume de carga transportada pela VLI, já que apresentam maior capacidade. Os ativos destinados à movimentação de grãos, por exemplo, podem carregar até 98 toneladas do produto, contra as 90 toneladas dos equipamentos utilizados anteriormente. Já os vagões-tanque transportam 116 mil litros, acréscimo de quase 30% em relação à capacidade volumétrica dos antigos, de 90 mil l.

De acordo com o gerente da Ferrovia Norte Sul, Leonardo Paiva, o aumento da frota reforça o atendimento logístico a uma região que vem crescendo significativamente no agronegócio e também abre fronteiras para o segmento de combustíveis, com o escoamento de produtos dos estados do Maranhão e Tocantins, no chamado corredor Centro-Norte. “Nossos investimentos devem continuar, pois a tendência é de crescimento da safra nos próximos anos”, completa Paiva. Fonte: VLI