sábado, 28 de novembro de 2015

BNDES aprova R$ 587,8 milhões para VLI

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou ontem (26/11) a aprovação de financiamento no valor de R$ 587,8 milhões para a VLI Multimodal. A empresa utilizará os recursos na aquisição de 16 locomotivas de fabricação nacional, da Progress EMD, do Grupo Caterpillar, e 1.916 vagões, também fabricados no Brasil, pela Randon. O objetivo é aumentar os volumes de carga transportados na Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) e na Ferrovia Norte-Sul (FNS). 


As aquisições integram o plano de negócios da VLI, orçado em R$ 9 bilhões, que tem por objetivo aumentar o volume transportado em 73%, entre 2012 e 2017, e contempla também a construção de novos pátios e terminais, ampliações de oficinas e porto, além da compra de material rodante. A VLI tem sido responsável pela aquisição de boa parte da produção nacional de locomotivas e vagões. Em 2014, segundo a empresa, foram adquiridas 42 locomotivas, sendo 34 nacionais, e 2.155 vagões, todos fabricados no Brasil. Os números representam 42,5% da produção nacional de locomotivas, que, segundo números da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), foi de 80 unidades em 2014; e 45,8% dos 4.703 vagões produzidos em solo brasileiro, também segundo números da Abifer.

Do total do financiamento aprovado, R$ 392,9 milhões serão repassados diretamente pelo BNDES e R$ 195 milhões por meio do Banco Safra, em operação indireta. Fonte: Revista Ferroviária Publicada em: 27/11/2015 Foto: Divulgação 

domingo, 22 de novembro de 2015

Teste VLT Carioca na Praça Mauá

A região do centro do Rio vai ganhar um novo meio de transporte no primeiro semestre do ano que vem. Está prevista para abril a inauguração da primeira linha do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que lembra muito os bondes do começo do século XX, mas tem uma roupagem nova e muito mais moderna.


O VLT Carioca é um dos primeiros do mundo a não depender de fios no alto para funcionar, e os trilhos também não apresentarão risco de eletrocussão em dias de chuva e enchente: há um sistema que garante a alimentação das locomotivas pelo solo (APS), mas isolando a energia apenas onde o trem está passando. Fonte: RJ TV/Globo


domingo, 15 de novembro de 2015

Ministro e embaixadora dos EUA debatem investimentos em ferrovias no Brasil

Em visita ao ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, nesta quinta-feira (12/11), a embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Liliana Ayalde, reafirmou o interesse das empresas norte-americanas em participar da nova etapa do Programa de Investimento em Logística (PIL). Liliana Ayalde convidou o ministro para uma visita oficial à capital, Washington, para continuar as tratativas iniciadas pela presidenta da República, Dilma Rousseff, durante recente visita oficial aos Estados Unidos (julho/2015).


O ministro recomendou à equipe técnica do Ministério dos Transportes que comece a trabalhar com a embaixada norte-americana para organizar uma agenda produtiva que inclua o setor privado. “Pretendemos ampliar a divulgação dos projetos brasileiros de concessões de rodovias e ferrovias e dar mais visibilidade ao programa. É muito importante para o Brasil conhecer as melhores práticas norte-americanas e poder usá-las como exemplo para avançar nos investimentos em infraestrutura”, reiterou. A embaixadora concordou com a adesão do setor privado dos dois países nas discussões em torno de projetos de transportes. “ A viagem será uma oportunidade de detalhar as oportunidades de investimentos do governo brasileiro às empresas norte-americanas”, destacou ela.

Desde maio de 2013, Brasil e Estados Unidos mantém um acordo de cooperação na área de transportes, firmado entre Ministério dos Transportes e o Departamento de Transportes dos Estados Unidos. Os dois órgãos vem estabelecendo mecanismo de cooperação para aprimorar os intercâmbios técnicos. O objetivo da parceria é fomentar o trabalho de colaboração em todos os modais de transporte, coordenando recursos e expertise dos setores público e privado para alcançar sistemas de transportes cada vez mais seguros, eficientes e integrados. Fonte: Ministério dos Transportes Foto: Transtrilhos

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Gare do Oriente - Lisboa

Conhecido mundialmente por seus projetos de pontes e edifícios institucionais, Santiago Calatrava é, atualmente, um dos maiores nomes no campo da arquitetura e engenharia. A beleza de seus edifícios prove de sua própria solução estrutural. Calatrava explora em seus projetos todo potencial construtivo do aço, dando-lhe curvas e formas orgânicas. Ele utiliza a natureza como sua principal fonte de inspiração. A Gare do Oriente estação intermodal também foi obra do espanhol. Fonte: CP Foto: Silvério Borges


sábado, 7 de novembro de 2015

Missão britânica reafirma compromisso de colaborar com desenvolvimento da indústria metroferroviária brasileira

O terceiro e último dia da NT Expo – 18ª Negócios nos Trilhos, principal evento do setor metroferroviário da América do Sul, foi marcado por uma homenagem ao Reino Unido, precursor das ferrovias em todo o mundo. Na oportunidade, a missão britânica no Brasil, representada pelo Consulado Geral Britânico e o UK Trade & Investment, reafirmou o compromisso de colaborar com o desenvolvimento da indústria metroferroviária no País, durante um painel especial que reuniu nove especialistas que apresentaram cases sobre tecnologia, conhecimento e inovação. 


“O Reino Unido começou a construção ferroviária no Brasil. Temos total interesse em renovar constantemente nossa parceria”, destacou o embaixador britânico no Brasil, Alex Ellis, que acrescentou: “Estou honrado com a homenagem da NT Expo este ano ao meu país e muito contente em oferecer o que há de melhor em tecnologia, conhecimento e inovação no Painel do Reino Unido”. A missão envolveu dez empresas de vários setores como serviços integrados de engenharia, sistemas de monitoramento, transporte inteligente e gestão de projetos de infraestrutura.

O diretor de Programas de Infraestrutura do Metrô de Londres, George Mclnulty, apresentou o case de modernização do sistema de metrô mais antigo do mundo, que contabiliza 1,5 bilhões de viagens por ano. “Aplicamos, por ano, 1,6 bilhão de Libras em projetos de infraestrutura, que auxiliam a promover transformações tecnológicas e as alterações necessárias no sistema. Fizemos projetos para Cingapura, Japão e Buenos Aires e podemos oferecer aos brasileiros conhecimentos em operação, planejamento, marketing e capacitação”, frisou. Fonte: Conteúdo Empresarial