terça-feira, 29 de março de 2016

Hyundai-Rotem inaugura fábrica e investe pesado no futuro da mobilidade urbana no Brasil

Excesso de veículos nas ruas, trânsito parado, ônibus lotados e cidadãos levando cada vez mais tempo para chegar em casa ou no trabalho. Nesse cenário, o transporte ferroviário de passageiros é apontado como uma importante alternativa para resolver o problema da mobilidade urbana nas grandes cidades. 


É com a proposta de fazer parte dessa solução que a Hyundai-Rotem Brasil – uma empresa do Grupo Hyundai Motors, com sede na Coreia do Sul – vai inaugurar oficialmente sua fábrica de trens e composições ferroviárias em Araraquara (SP), nesta quarta-feira (30/03). O evento já tem as presenças confirmadas do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, do embaixador da Coreia do Sul no Brasil, Jeong-gwan Lee, do CEO mundial da Hyundai-Rotem, Seung-tack Kim, e do prefeito de Araraquara, Marcelo Barbieri.

Segundo Sungha Jun, presidente da Hyundai-Rotem Brasil, foram investidos R$ 100 milhões na instalação da fábrica que já está funcionando com capacidade para produzir até 200 carros (trens) por ano. A unidade – que recebeu apoio da Investe São Paulo, agência de promoção de investimento e exportações ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo - foi construída em uma área total de 150 mil metros quadrados, na Rodovia Antônio Machado Sant’Anna, com 21 mil metros quadrados de área construída. Cerca de 300 empregos estão sendo gerados em Araraquara e região. “O transporte ferroviário de passageiros é fundamental para o futuro da mobilidade urbana e o Brasil possui um grande potencial nesse sentido. A Hyundai-Rotem chega com todo seu know how na produção de trens modernos, confortáveis e eficientes, em benefício da qualidade de vida das pessoas”, afirma.

Ainda segundo o presidente, em termos logísticos, Araraquara oferece uma localização estratégica. “Nossa unidade, aqui no interior paulista, vai atender não apenas as demandas do Brasil mas também de toda a América Latina”, explica Sungha Jun.

Atualmente a Hyundai-Rotem Brasil está produzindo trens para a CPTM (Companhia de Trens Metropolitanos), em São Paulo, e para a Linha 2, do transporte público de Salvador (BA). Fonte: Núcleo da Notícia Comunicação Corporativa

segunda-feira, 28 de março de 2016

Trem de metrô Alstom MI09

Cada trem MI09 pode transportar até 1.725 pessoas, a uma velocidade máxima de 120 km/h. Com 110 metros de extensão, o trem é composto de cinco carros, cada um com três amplas portas de cada lado para otimizar o fluxo de passageiros nas estações. Seu sistema de travagem eléctrica de alta performance reduz o consumo de energia do trem. No trem através de ligações Wi-Fi transmite parâmetros de funcionamento do comboio, tornando possível para antecipar as operações de manutenção e garantir um serviço confiável.


Os trens MI09 são projetados e construídos na França, no parque industrial da Alstom em Valenciennes. Os cinco outros locais Alstom envolvidos são Ornans para os motores de tração, Le Creusot para os bogies, Tarbes para o equipamento de tração, Petit Quevilly para os transformadores de tração e Villeurbanne para os sistemas de computador de bordo. Fonte: Alstom

quinta-feira, 24 de março de 2016

Metrô de Toronto baixa o valor da passagem

Union Pearson Express (UPX), com o objetivo de facilitar a vida dos viajantes, ligando o aeroporto Pearson à estação de metrô Union, finalmente teve suas passagens reduzidas. Em 9 março, a viagem de UPX que dura 25 minutos passou a custar $9 com o Presto Card, ao invés de $19, e $12 sem o Presto Card, ao invés de $27.50. Quem não precisar fazer a viagem completa pode embarcar ou desembarcar nas estações intermediárias (Weston e Bloor) por menos de $6.


O objetivo da redução é atrair mais passageiros pro UPX pois, desde seu lançamento, em junho de 2015, apenas 2.200 pessoas, em média, estavam usando o trem diariamente, enquanto a projeção era estar recebendo aproximadamente 7.000 passageiros diários.

Apesar do número de passageiros já ter aumentado consideravelmente após a redução da passagem, a Metrolinx –agência do governo de Ontário responsável pela qualidade e melhorias no sistema de transporte de Toronto e Hamilton–, ainda não alcançou sua nova meta, que é estar recebendo uma média de 5.000 passageiros diários até o primeiro aniversário do UPX, em junho de 2016.

O Union Pearson Express sai a cada 15 minutos, funcionando entre 5:30am e 1:30am.

Para checar mapas, planejar sua rota e comprar passagens, visite o site do UPX. Fonte: Oi Toronto


quarta-feira, 16 de março de 2016

KLM paga trem, bebida e amigo para passageiros com conexão em Amsterdã

Uma promoção da companhia aérea KLM pretende transformar as longas (e tediosas) horas de espera entre um voo e outro em uma experiência bastante prazerosa. Bom, pelo menos para quem estiver fazendo escala em Amsterdã, na Holanda. Funciona assim, passageiros que tenham mais de seis horas de conexão no aeroporto de Schiphol podem conhecer a cidade gratuitamente e na companhia de um morador de Amsterdã, que mostrará locais interessantes da cidade. De quebra, ainda ganham a primeira rodada de bebida.


Para participar, o cliente deve se cadastrar no aplicativo da promoção com até 36 horas de antecedência. Um morador é escalado para ser o anfitrião. Ao chegar em Amsterdã, o passageiro recebe o bilhete do trem que o levará até o centro da cidade, onde o passeio começa. A partir daí, é só torcer para que o anfitrião seja “bom de papo''.

A missão do morador local é levar o passageiro para conhecer pontos interessantes da cidade e acompanhá-lo em uma rodada de bebidas, caso ele queira. O passeio dura em média duas horas. O aplicativo ainda manda lembretes, avisando que já é hora de voltar.

Gostou da ideia? A má notícia é que a promoção é válida apenas para clientes cujo ponto de partida da viagem seja Canadá, Estados Unidos ou Itália, entre os dias 22 de março e 31 de maio, e com uma escala que dure mais de seis horas em Amsterdã. Para complicar um pouco mais, o aplicativo desenvolvido para a ação e que faz toda a comunicação entre o anfitrião, companhia aérea e passageiro só funciona em iPhones.

E o que o anfitrião ganha? Para incentivar os moradores de Amsterdã a serem anfitriões, após a fase piloto da promoção, a companhia aérea vai sortear duas passagens para qualquer destino em Itália, Estados Unidos ou Canadá. Para isso, é preciso que ele se cadastre no aplicativo e tenha feito, no mínimo, um passeio com algum passageiro durante o período da ação.

A companhia garante que dados como telefone ou endereço nunca são passados tanto para o morador quanto para o passageiro. Toda a comunicação é feita pelo aplicativo.

Outras iniciativas, a KLM não é a primeira companhia aérea que incentiva os viajantes a sair do aeroporto e explorar a cidade. Em fevereiro, a Icelandair começou um programa de “stopover amigo'' que vai até 30 de abril em que empregados da companhia aérea são os responsáveis por mostrar a Islândia para os passageiros. A programação varia de acordo com os interesses do cliente, oferecendo programas relacionados ao turismo de aventura, cultura, gastronomia, saúde e natureza. Fonte: Todosabordo.blogosfera.uol/Eduardo Vessoni Foto: Silvério Borges


terça-feira, 15 de março de 2016

Alstom participa do evento de gestão urbana da América Latina

De 28 a 30 de março, a Alstom participará do maior evento de gestão urbana da América Latina, o Smart City Business America Congress & Expo, organizado pela Instituição Smart City Business America. O evento reunirá potenciais oportunidades de negócios para as cidades, considerando a globalização acelerada e os desenvolvimentos da urbanização. Gestores públicos, CEOs e especialistas de diversas áreas apresentarão ideias e cases de sucesso para estimular e colaborar com a qualidade e eficiência das administrações municipais.


Na ocasião, a Alstom abordará suas tecnologias que colaboram para o conceito de cidades inteligentes, como o Metropolis, modelo para metrôs de alta capacidade, e o Citadis, Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) reconhecido como um modal que promove integração dos sistemas, além de outras soluções que agregam significativamente para os planejamentos de mobilidade urbana.

Mais de 3 mil participantes são esperados este ano. Serão mais de 40 palestrantes que permearão os debates, entre lideranças brasileiras e internacionais que compartilharão informações de diversos temas e suas experiências. Ainda haverá uma área para exposição de tecnologias avançadas pelas empresas participantes. A Alstom estará presente com um estande de 26m2.

“Estamos motivados em falar sobre mobilidade inteligente por meio de modais que sejam integradores e que consigam trazer mais eficiência. O VLT Citadis da Alstom tem esse propósito. Com sua fabricação no país podemos trazer novos nortes aos projetos brasileiros e da América Latina. Participar do Smart City Business America é reforçar nosso compromisso com o país nesse contexto mais inteligente de gestão”, afirma Michel Boccaccio, Presidente da Alstom no Brasil e Vice Presidente Sênior da companhia na América Latina.

O evento também contará com a ONU-Habitat e Lincoln Institute of Land Policy, que debaterá temas ligados ao financiamento urbano, Parceria Público-Privada e outros modelos associativos que buscam a melhoria da qualidade dos serviços públicos e da infraestrutura urbana. Fonte: Alstom


domingo, 13 de março de 2016

Companhia Ferroviária Transcontinental do Canadá - CN

A Canadian National Railway conhecida como Canadian National Railways entre 1918 e 1960, é uma companhia ferroviária operada pela Canadian National Railway Company. É a maior companhia ferroviária do Canadá, tanto quanto pela extensão total de sua malha ferroviária quanto em lucro anual. É também atualmente a única companhia ferroviária transcontinental do Canadá, com uma malha ferroviária que estende-se desde a Nova Escócia até a Colúmbia Britânica. A Canadian National também possui uma extensiva malha ferroviária na região central dos Estados Unidos, ao longo do vale do Rio Mississippi, desde os Grandes Lagos até o Golfo do México. Sua sede está localizada em Montreal, Quebec. Fonte: CN

sexta-feira, 11 de março de 2016

Futuros operadores dos VLT`s treinam em simulador que reproduz situações reais - Rio de Janeiro

Os 130 profissionais responsáveis pela condução dos trens do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) da Região Portuária e Centro do Rio de Janeiro terão auxílio de simulador que reproduz situações típicas da operação no treinamento. Até o momento, 28 já utilizaram o equipamento. 

A nova turma, de 40 profissionais, ainda nas aulas teóricas, passará à próxima fase, com aulas no simulador. Fornecido pela empresa espanhola Citef (Centro de Investigación en Tecnologías Ferroviarias), o simulador replica todo o trajeto do primeiro trecho a ser percorrido pelo VLT, da Rodoviária Novo Rio ao Aeroporto Santos Dumont, passando pelo Centro Integrado de Operação e Manutenção (Ciom), na Gamboa, e pelo Túnel da Providência. Transposição de cruzamentos, atenção à sinalização viária, parada em plataformas e controle de velocidade são comandos testados durante o percurso.


Os condutores da Concessionária do VLT Carioca, contratada pela Prefeitura do Rio de Janeiro para implantar e operar o sistema no Centro e região do Porto Maravilha, também são examinados quanto à reação em situações de emergência. Interferências de pessoas ou objetos nos trilhos, sinalização fora de funcionamento ou mesmo percepção de avaria no trem surgem no ambiente virtual como na vida real. 

O software permite ainda a visualização das laterais dos trens por meio do sistema de retro visão, permitindo a reprodução da abertura e fechamento de portas para embarque/desembarque de passageiros. Em todos os casos, são repassados procedimentos de forma teórica para depois reproduzir a situação prática.

O sistema simula comunicação com o Centro de Controle Operacional (CCO) que acompanha o status do exercício e mantém contato com o condutor durante todo o tempo. As atividades do treinamento permitem acompanhamento do desempenho em duas telas projetadas que permitem que outros participantes observem pontos de atenção na condução durante as aulas. Fonte: Porto Maravilha


terça-feira, 8 de março de 2016

Hyundai-Rotem será inaugurada em Araraquara - São Paulo

A Hyundai-Rotem Brasil, fábrica de trens e composições ferroviárias - ligada ao Grupo Hyundai Motors - inaugura oficialmente, no próximo dia 30 de março de 2016 (quarta-feira), sua unidade em Araraquara (SP), a primeira planta da multinacional sul-coreana instalada no país.

O investimento foi de R$ 100 milhões com a estimativa de geração de 300 novos empregos.
Com uma capacidade de produção de 200 carros por ano, o complexo já está com sua linha de montagem ativa. Foi erguido em uma área total de 150 mil metros quadrados na Avenida Marginal de Acesso à Rodovia Antônio Machado Sant’Anna, sendo 21 mil metros quadrados de área construída. 


“Em termos logísticos, Araraquara nos oferece uma localização estratégica. Trouxemos para cá o que há de melhor em tecnologia e inovação, na fabricação de trens e composições ferroviárias que ganham cada vez mais importância à medida que ajudam a solucionar os problemas de mobilidade urbana nos grandes centros. Nossa unidade, aqui no interior paulista, vai atender não apenas as demandas do Brasil mas também de toda a América Latina”, explica Sungha Jun, presidente da Hyundai-Rotem Brasil.

A Hyundai Rotem Brasil já está produzindo 30 trens modernos, com oito carros cada, para a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). A previsão é de que comecem a circular ainda em 2016. A empresa também está produzindo trens e composições ferroviárias para o transporte público de Salvador (BA).

“A Hyundai-Rotem ajuda a melhorar a vida das pessoas conectando-as ao que há de mais moderno em transporte ferroviário”, conclui o presidente.

A inauguração oficial da Hyundai-Rotem já tem as presenças confirmadas do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e do prefeito municipal de Araraquara (SP), Marcelo Barbieri, entre outras autoridades. Fonte: ABIFER


quarta-feira, 2 de março de 2016

Portugueses vão investir US$ 300 milhões em polo logístico no Tocantins

Com uma visão de retorno para além da crise atual, um grupo de portugueses resolveu há quatro anos tirar dinheiro do próprio bolso e convidar alguns sócios para comprar uma área de 1,1 mil hectares no coração do Brasil.  Ali, estão construindo um novo polo logístico a ser lançado nesta terça-feira. O investimento da Zona Especial de Negócios (ZEN) em Porto Nacional, Tocantins, estará contíguo a um pátio da ferrovia Norte-Sul e próximo da futura hidrovia do rio Tocantins, além de contar com rodovias e aeroportos na região.


— Será o maior condomínio multimodal da América Latina, um projeto totalmente financiado por capital privado — disse José da Costa Lima, executivo da Logiport, que tem um plano para instalar outras onze ZENs pelo Brasil.

O investimento total da infraestrutura básica da ZEN será de R$ 300 milhões, sem que os sócios – além de portugueses, brasileiros e holandeses – tenham de recorrer a financiamento externo. Esses recursos preveem a implantação de uma infraestrutura básica para o funcionamento da área, como a instalação de um porto seco (área de desembaraço fiscal de mercadorias), tratamento de água e esgoto, energia elétrica, transbordo, hotéis, entre outros serviços.
Nessa área da ZEN, diversas empresas poderão instalar seus silos, armazéns ou mesmo fábricas.

O grupo espera arrecadar R$ 5,5 bilhões com a venda desses lotes e potencializar mais de R$ 20 bilhões em investimentos totais na área, além de 35 mil postos de trabalho. Experiência similar já existente é o Porto Seco Centro Oeste, mas a ZEN Tocantins deverá ser mais de 20 vezes maior às instalações atuais de Anápolis (GO).

Segundo Costa Lima, falta ao Brasil uma plataforma de suporte para a produção dos estados conhecidos pelo algorítimo Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) – equivalente a nove vezes a área de Portugal, destaca ele. A ZEN do Tocantins poderá, disse ele, ser um local de suporte à produção de toda essa região para distribuição interna ou exportação, haja vista sua conexão com a ferrovia Norte-Sul e, dali, aos portos do norte do país – hoje já existe a ligação direta ao porto de Itaqui (Maranhão).

— Hoje, na China, compra-se grãos dos EUA mais baratos do que do Brasil, embora o brasileiro seja mais em conta na porta da fazenda. Isso ocorre por deficiências na logística, que o nosso projeto pode reduzir - disse Costa Lima, lembrando que, quando for instalada, a ferrovia Bioceânica entre Atlântico e Pacífico poderá também contar com o apoio da ZEN do Tocantins.
Nesta terça-feira, será apresentado em Palmas o projeto desse condomínio industrial multimodal, o maior América Latina, em cerimônia com a ministra da Agricultura Kátia Abreu, e uma comitiva de mais de 40 empresários japoneses, com interesse no agronegócio brasileiro, além dos quatro secretários de infraestrutura da região do Matopiba.

— Dizem que a crise não chegou naquela região — disse Mário Arnao Metello, um dos sócios da Logiport. Fonte: O Globo