sábado, 26 de novembro de 2016

Estação Roma-Areeiro - Lisboa

Situada entre a Avenida de Roma e a Avenida Almirante Reis, a estação Roma-Areeiro disponibiliza um variadíssimo leque de destinos. Além de poder optar por se deslocar para duas zonas bem distintas e nobres da cidade de lisboa, pode também escolher por viajar até Sintra ou até mesmo atravessar o rio e ir até à margem Sul viajando com a Fertagus.


Esta estação apesar de não ter ligação direta ao Metro de Lisboa tem acessos muito próximos à estação de Metro de Roma e do Areeiro da linha verde. Inaugurada em 2003, com a abertura da estação de Roma-Areeiro a Fertagus pode assim, expandir seu serviço, estando cada vez mais perto dos seus clientes. Esta é uma estação explorada pela REFER, onde poderá encontrar uma área comercial e poderá ver algumas obras do escultor Fernando Conduta no interior e exterior da estação. Fonte: Fertagus Foto: Silvério Borges

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Trem de Manutenção Track Lifter

Estas máquinas são projetadas para ser mais produtiva e rentável em comparação com os serviços tradicionais. O TL pode levantar rastrear até 12 polegadas, a criação de uma nova camada de sublastro e estabelecer um lastro mais permeável e uma estrutura de via mais forte.

O Lifter é ideal para substituições parciais de lastro, programas de reabilitação de lastro e programas de substituição de lastro. O Lifter opera em velocidades mais altas do que as tradicionais e reduz os requisitos de compactadores. Fonte: Divulgação/Lifter


sábado, 12 de novembro de 2016

Gare do Oriente - Lisboa

Situada na zona leste de Lisboa, a Estação do Oriente foi projetada como gare intermodal de apoio à Expo 98 mas, também com o objetivo de se tornar a principal interface de transportes da cidade, integrando metrô, trem, terminal rodoviário e parqueamento. Para os passageiros de avião, existe a possibilidade de efetuar previamente o check-in.

O seu autor é o conceituado arquiteto e engenheiro espanhol Santiago Calatrava, bem conhecido pelo seu estilo único que combina materiais como o betão, o vidro e o aço, mantendo visíveis estruturas que outros arquitetos escondem. 

Na Gare do Oriente, Calatrava criou uma estrutura de grandes dimensões com um aspeto elegante e leve, que a alguns faz lembrar um bosque de árvores metálicas e a outros as colunas e os arcos de uma catedral gótica. Foto: Silvério Borges Fonte: Visit Portugal

sábado, 5 de novembro de 2016

VLT Alstom de Dubai

O diretor geral da Autoridade de Estradas e Transportes de Dubai (RTA, na sigla em ingês), Mattar Al Tayer, disse que um estudo mostrou que a densidade populacional na região onde o VLT foi implementado será, em alguns anos, bem maior que a média na cidade. Para evitar congestionamentos no futuro, foi preciso, segundo ele, construir uma rede de transportes integrada, o VLT de Dubai tem conexões com o metrô e o monotrilho.


Durante o primeiro ano de operação, o chamado Dubai Tram alcançou índices extremamente elevados de desempenho. O indicador de pontualidade dos trens chegou a 96,4%. Já a satisfação dos passageiros ficou em 98%. O Dubai Tram foi implementado para melhorar a mobilidade dentro da cidade, cobrindo áreas turísticas e de grande importância econômica.

Também contribuiu para a formação de um sistema de transporte de massa integrado e para a redução das emissões de carbono, proporcionando mais qualidade de vida”, escreveu Al Tayer. A segurança também tem sido prioridade em Dubai. Ainda na fase de testes e um mês após a inauguração, houve acidentes, com carros se chocando contra os trens. Alguns cruzamentos chegaram a ser fechados. Um regulamento estabeleceu ainda multas específicas para quem cometer infrações ou acidentes. O motorista que avançar o sinal e provocar acidentes com feridos, por exemplo, poderá ser cobrada uma multa de R$ 4.800 a R$ 14.400, além da perda de carteira de no mínimo 30 dias e, no máximo, seis meses. Jogar lixo nos trilhos rende uma multa de R$ 480. Já quem cruzar os trilhos em áreas proibidas, terá que desembolsar R$ 960. De acordo com Al Tayer, cerca de 230 policiais fazem o policiamento pelo VLT e 800 câmeras dentro e fora dos trens ajudam no monitoramento. Fonte: Globo.com



quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Alstom apresenta trem movido a hidrogênio que deve começar a operar em 2017

A Alstom apresentou nessa semana o Coralia iLint, um trem de passageiros movido a células de hidrogênio. Com esse combustível, o trem consegue se locomover sem emitir gás carbônico e com baixos níveis de ruído, o que o torna ideal para o uso em áreas metropolitanas e entre cidades.



De acordo com a empresa, o trem será capaz de viagar de 600 a 800 quilômetros por tanque a uma velocidade de 140 quilômetros por hora, usando apenas hidrogênio como combustível. O seu processo de queima de energia gera apenas água líquida e vapor, o que faz dele uma tecnologia extremamete limpa. O vídeo abaixo, em inglês, fala mais sobre o trem.

O trem utiliza como combustível gás hidrogênio (H2), que fica armazenado em reservatórios no seu teto. Quando esse hidrogêio se combina com o gás oxigênio (O2) presente no ar, ocorre uma reação exotérmica (que libera energia) e que gera água líquida, que também é armazenada no teto do trem.


Células de hidrogênio não são a única fonte de energia, porém: o trem também possui baterias de íon-lítio que conseguem armazenar energia. A energia das células é usada durante a aceleração, e as baterias são carregadas com a energia que sobra das células e quando o trem freia. As baterias usam sua energia em momentos de aceleração mais leve, o que ajuda a economizar combustível.

Inicialmente, o trem tem capacidade para levar 300 passageiros, e possui 150 assentos. A expectativa da empresa é implementar o trem em uma linha na Alemanha e tê-lo funcionando até dezembro de 2017. A Alemanha possui mais de 4000 trens movidos a diesel, e a Alstom pretende substituir boa parte dessa frota. Além dos trens, a empresa também providenciará a infraestrutura de abastecimento e manutenção dos veículos.

Segundo o site Tracks, o primeiro trem movido a hidrogênio entrou em funcionamento na China em 2015. Apesar da tecnologia já estar disponivel, o Engadget estima que o custo de implementação desses trens pode ser um pouco maior que o esperado, já que eles exigem também a atualização das garagens e estações de abastecimento para poder trabalhar com gás hidrogênio. Fonte: Olhar Digital/Gustuvo Sumares