quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Nível de satisfação de público do TTC atinge recorde histórico - Toronto

Você está feliz com sistema de transporte público de Toronto? Aparentemente, muitas pessoas estão. De acordo com um comunicado da imprensa do sistema de transportes de Toronto, o nível de satisfação do TTC alcançou um marco em 2015, atingindo um recorde histórico de 81%.
Esta é uma tendência que vem se mantendo ao longo dos últimos anos.


Há inúmeras razões para o aumento da satisfação do público, embora a redução dos atrasos seja tipicamente um dos principais fatores. Para esse efeito, os minutos de atraso na Linha 1 (Yonge-University-Spadina) caíram 25% no ano passado (em comparação com 2014). Os minutos de atraso em toda a rede TTC, por sua vez, caíram 13%.

Hoje cedo, o prefeito John Tory anunciou que, até 2019, o TTC espera reduzir os atrasos em 50%. Para isso, a cidade procura investir mais em trânsito. No ano passado, Toronto acrescentou $95 milhões no orçamento do TTC. Além disso, de acordo com os relatórios do site de notícias 680 News, o orçamento da cidade propõe um investimento de mais $50 milhões em 2016.

No ano passado, o TTC acrescentou mais dois trens nas Linhas 1 e 2 durante o horário de pico. Em 2016, o público poderá contar com mais trens noturnos ​​na linha 1. A comissão de trânsito também está buscando melhorar o serviço durante o horário de pico, e ao mesmo tempo melhorar o serviço dos ônibus blue night e as rotas de ônibus expresso. Fonte: BlogTo/Cinthia Ferreira Language Services

Turismo ferroviário ganha adeptos

Longe da tensa maratona que se tornou viajar de avião, com direito a atrasos, filas, revistas e ameaças de bomba, pegar um meio de transporte rápido, confortável, que sai no horário e no qual se pode embarcar minutos antes da partida soa quase como o paraíso. Esses são alguns dos motivos que têm feito o trem ganhar cada vez mais adeptos entre os turistas, principalmente na Europa, onde o número de linhas e rotas também cresce a cada ano, criando um ciclo positivo.

"Está havendo uma espécie de 'revival' também pelo baixo impacto desse meio na natureza. Onde os trilhos entram você continua vendo a paisagem original, ao contrário do que acontece quando se abre uma estrada", diz Pablo Bernhard, CEO da TT Operadora Lufthansa City Center, cuja operação brasileira se baseia na comercialização de passagens e viagens ferroviárias pelo mundo, incluindo trens regulares e de luxo.


De 2012 a 2014 a empresa registrou alta de 87% no número de passageiros. Valor semelhante ao registrado no biênio anterior. Já em 2015, a alta veio nas compras on-line, que tiveram incremento de 75%, indicando, talvez, uma maior proximidade do cliente com o produto final.

O movimento também traz fôlego para que empresas ligadas ao setor invistam em novos projetos. Afinal, se há demanda, é preciso garantir ofertas à altura. Que o diga a rede hoteleira Belmond, que opera alguns dos trens mais famosos do mundo, entre eles o luxuoso Venice Simplon-Orient-Express, que em 2 de junho inaugura uma nova rota saindo de Londres com destino a Berlim, via Paris, sem abrir mão do glamour dos anos 20 pelo qual é conhecido.

A jornada de dois dias e uma noite entre as três capitais históricas será feita em vagões originais em estilo art déco, com móveis ornamentais e detalhes em marchetaria. Nos vagões-restaurantes, pratos de alta gastronomia acompanhados de champanhe. Nas cabines privadas, mordomos particulares estarão a postos para atender a qualquer demanda.O tíquete para embarcar em cabine dupla, com todas as refeições incluídas, sai a partir de US$ 3.206 por pessoa. 


A empresa ainda finaliza a construção de seu sétimo trem de luxo, o Belmond Grand Hibernian, que percorrerá as principais cidades da Irlanda e Irlanda do Norte saindo de Dublin, a partir do dia 9 de agosto.

Voltado a um público mais exigente, o primeiro trem de pernoite lançado no país terá 20 cabines de luxo com arquitetura georgiana de Dublin, inspirada na fauna e flora irlandesa, dois carros de jantar e um "lounge" de observação. A viagem inaugural tem tarifas a partir de US$ 3.450 (por pessoa) que inclui refeições e bebidas diárias nos vagões-restaurantes Sligo e Wexford, além de excursões guiadas. O trem contará com itinerários de duas, quatro e seis noites. Fonte: Valor Econômico