domingo, 31 de dezembro de 2017

Terminal intermodal inaugurado garante super produção

A Fibria, empresa brasileira e líder mundial na produção de celulose de eucalipto a partir de florestas plantadas, inaugurou o seu Terminal Intermodal no município de Aparecida do Taboado (MS).

Localizado às margens da BR 158, o terminal integra os transportes rodoviário e ferroviário, com capacidade para escoar 1,95 milhão de toneladas de celulose por ano, que serão produzidas na segunda fábrica da Fibria em Três Lagoas (MS), até o Porto de Santos (SP), de onde serão exportadas para clientes na Ásia, Europa e Estados Unidos.


A nova área da Fibria segue o padrão estrutural de terminais integradores de outras regiões do Brasil, que funcionam como polos concentradores de carga, aumentando a agilidade do escoamento por bitola larga (estrutura de trilhos que confere mais velocidade para os vagões).

O investimento da Fibria no novo Terminal Intermodal de Aparecida do Taboado (MS) está dentro do volume global de investimentos da segunda linha de produção de celulose da empresa em Três Lagoas (MS), que soma R$ 7,345 bilhões.

“Esse é mais um investimento da Fibria que beneficia o Mato Grosso do Sul e fortalece o corredor logístico do Centro-Oeste, fundamental para o crescimento das empresas que atuam na região”, afirma o presidente da Fibria, Marcelo Castelli.

“Com o terminal intermodal, reforçamos o diferencial da Fibria em logística integrada, que vai da floresta à fábrica e ao porto, garantindo a nossa competitividade e presença no mercado mundial”, diz Wellington Giacomin, diretor de Logística e Suprimentos da Fibria.

O terminal intermodal possui cerca de 7.800m² de área construída e compreende escritório, armazém com capacidade para estocar 16.788 toneladas de celulose, oficina de empilhadeiras e plataformas de embarque da celulose. Para operar o terminal, foram criados 235 postos de trabalho, entre diretos e indiretos, considerando todo ciclo da operação do terminal.

“A união de todas as estruturas e tecnologias do novo terminal possibilita que o tempo que a carga permanece no armazém seja de, no máximo, um dia e meio. Ou seja, a movimentação de carga é dinâmica, favorecendo a produtividade de armazenamento”, afirma Giacomin.

Para o escoamento da celulose da Fibria foram adquiridas 21 locomotivas do modelo AC44i fabricadas pela General Electric (GE), consideradas as mais modernas do mercado e que garantem eficiência operacional, preservação ambiental e produtividade.

Com potência de 4.400/hp, as locomotivas são responsáveis por tracionar os vagões que transportam a celulose produzida pela segunda linha de celulose da Fibria em Três Lagoas. O tempo de escoamento da produção até o Porto de Santos (SP) é de 199 horas (cerca de 8 dias) para ida e volta (ciclo total), incluindo carregamento, descarregamento e todos os demais procedimentos.

O pátio do terminal de Aparecida do Taboado também apresenta outro diferencial. Concebido de forma estratégica, esse espaço se destaca por sua excelência operacional, visto que opera no sistema contínuo de carregamento em pêra, ou seja, as composições entram no terminal e executam todas as operações sem a necessidade de desmembrar ou manobrar o trem.

Com o início das operações da sua segunda linha de produção de celulose em Três Lagoas (MS) em 23 de agosto, três semanas antes do previsto, a Fibria planeja produzir neste ano 377 mil toneladas de celulose destinadas ao mercado externo. Para 2018, a previsão é de que o volume de produção atinja 1,755 milhão de toneladas de celulose/ano, passando para 1,850 milhão em 2019. Fonte: Fibria


quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Estação Lyon Saint Exupery projetada pelo Arquiteto espanhol Santiago Calatrava

Projetada pelo Arquiteto espanhol Santiago Calatrava, a estação de Lyon na França, com 5.600 metros quadrados se assemelha a um pássaro no momento da fuga e é vista como uma porta de entrada simbólica para a região de Lyon.

Ao fundo TGV abordando a estação

A armação em aço atinge quase 40 metros de altura e sua estrutura de concreto refere-se à metáfora de um enorme pássaro com asas espalhadas. Chegando de carro você entra no salão principal através de um "Portal", formado por um pilar de concreto em forma de V que se juntam as extremidades de quatro arcos em aço.

O par do centro de arcos segue a linha do telhado para formar uma espinha, as vigas curvas exteriores abrangem mais de duas asas simétricas envidraçadas. No triangular salão principal da coluna central é formada por três arcos apoiados em conjunto por vigas diagonais. Duas grandes varandas suspensas penetram no espaço. Fonte: SNCF


sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

VLT Carioca lança aplicativo para consultar chegada das próximas composições

A Prefeitura do Rio tem novidade para usuários do VLT: já está disponível para download em aparelhos Android e iOS o aplicativo oficial do VLT Carioca, que permite consultar o horário de chegada das próximas composições em cada parada, além de planejar o trajeto e o tempo de viagem. Outro recurso é a possibilidade de consultar atrações turísticas, culturais e serviços no entorno do sistema e ver qual a parada mais próxima de cada um. O passageiro pode, por exemplo, buscar teatros, museus e hospitais próximos no próprio aplicativo, que indica o ponto de mais fácil acesso.



Na aba de informações há lista de paradas em operação, regras e normas de uso do VLT, forma de pagamento e questões gerais sobre o sistema. O usuário também tem a possibilidade de entrar em contato com a Ouvidoria para envio de dúvidas ou sugestões diretamente. Quem fizer o download poderá também adquirir créditos de viagem com acesso à página Recarga Fácil pelo app, garantindo a recarga de cartões Riocard (exceto vale-transporte). 

Paradas ganham novos terminais de consulta

O processo de recarga on-line ficará mais rápido com a instalação de novos terminais nas paradas do VLT. Diferentemente das máquinas de autoatendimento para recarga e venda de cartões (ATM) já existentes, os novos pontos terão a função de liberar recargas feitas pelo aplicativo ou pelo site da Riocard após a confirmação do pagamento. Eles permitirão ainda a consulta de saldo e desbloqueio de cartões, mantendo os terminais de autoatendimento originais exclusivamente para compra e recarga. Em processo de implantação, algumas das novas máquinas já podem ser vistas em paradas da linha 1. A tendência é que todos os 26 pontos de embarque das linhas 1 e 2 contem com a novidade até o fim de janeiro. Fonte: Com informações da Concessionária do VLT Carioca e da Prefeitura do Rio


domingo, 17 de dezembro de 2017

Israel testa trem de alta velocidade que atravessa a Palestina

O trajeto foi percorrido em 28 minutos, tempo que reduz em mais de dois terços as cerca de duas horas a viagem entre as duas cidades em horário de pico. Israel fez o primeiro teste do trem de alta velocidade que conectará as cidades de Jerusalém e Tel Aviv, e que atravessa uma pequena parte do território palestino ocupado da Cisjordânia, informou nesta segunda-feira a imprensa israelense.


O trajeto foi percorrido ontem com sucesso em 28 minutos, segundo o jornal “Jerusalem Post”, tempo que reduz em mais de dois terços as cerca de duas horas a viagem entre as duas cidades em horário de pico.

“O trem de alta velocidade garantirá o status de Jerusalém e a possibilidade de as pessoas que vivem ali abrirem negócios. Mudará totalmente a relação entre Jerusalém e o resto do país”, disse o ministro de Transporte, Israel Katz.

O projeto foi iniciado em 2001 e calcula-se que terá um custo final de US$ 1,8 bilhão, informou o portal de notícias “Times of Israel”.

Para o trajeto, foram criados 38 quilômetros de ferrovia, um terminal subterrâneo em Jerusalém, cinco túneis e dez pontes. A viagem terá paradas no aeroporto internacional de Ben Gurion e na cidade de Modi’in.

O projeto recebeu críticas da esquerda israelense e dos palestinos por cruzar em dois pontos a Linha Verde e ocupar território palestino na Cisjordânia: em sua passagem pela cidade de Latrun e perto de Mevaseret Zion, próxima a Jerusalém.

Segundo o jornal “Haaretz, no total o trem percorre seis quilômetros em território ocupado, a maioria por túneis subterrâneos.

A empresa alemã Deutxche Bahn, que assessorava nesta questão a Israel Railways (estatal que opera os trens do país), encerrou sua colaboração com a mesma por este motivo e uma visita de diplomatas ao projeto foi cancelada recentemente, em rejeição ao trecho na Cisjordânia, informou o “Haaretz”.

De fato, em 2004, o então procurador-geral, Menachem Mazuz, ordenou a paralisação da obra após o Tribunal Supremo indicar que a rota deveria ser alterada porque violava os direitos dos palestinos, mas o projeto finalmente foi autorizado e espera-se que esteja terminado e entre em funcionamento em abril de 2018. Fonte: EFE


terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Bart trens - São Francisco

BART Train - Bay Area Rapid Transit é um sistema público de transporte rápido que serve parte da área da baía de São Francisco, na Califórnia, incluindo as cidades de São Francisco, Oakland, Berkeley, Daly City, Richmond, Fremont, Hayward, Walnut Creek e Concord. Também serve o Aeroporto Internacional de São Francisco e mediante autocarros (AirBARTal) o Aeroporto Internacional de Oakland.



Metrô de São Francisco

O metrô de São Francisco é rápido e prático, embora, do ponto de vista turístico, não seja tão interessante como o Cable Car ou os ônibus. É especialmente útil para chegar ao aeroporto.

O metrô de São Francisco é operado por duas companhias diferentes: MUNI e BART. As duas empresas dividem quatro estações do centro de São Francisco: Civic Center, Powell, Montegomery e Embarcadero.

Para fazer uma baldeação entre as duas redes é necessário adquirir uma passagem para cada uma.
BART

As linhas BART (Bay Area Rapid Transport) poderiam ser comparadas ao sistema de trens metropolitanos do Brasil. Elas conectam São Francisco com outras cidades e regiões mais afastadas. Essa rede é usada por mais de 350.000 pessoas a cada dia. Fonte: Bart

BART tem 5 linhas:
Linha amarela: Pittsburg/Bay Point – Aeroporto de São Francisco.
Linha vermelha: Richmond – Daly City/Millbrae. 
Linha verde: Linha Fremont- Daly City. 
Linha laranja: Richmond- Fremont. 
Linha azul: Dublin/Pleasanton – Daly City/Millbrae. 




_____________________Revista Eletrônica Transportes Sobre Trilhos - O Futuro da Mobilidade - RETT_____________________
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...