sábado, 14 de dezembro de 2019

A ficção nos trilhos de hoje

O One Russo é um novo bonde ( VLT) que parece algo de um filme de ficção científica. As características do bonde futuristas com iluminação da cabine de LED, corrimãos de madeira e portas de vidro deslizantes que operam por toque.

O R1 como também é chamado é certo ter algum sucesso em seu lançamento. UVZ em Yekaterinurg assinou um acordo de parceria no transporte elétrico com o governo regional de Sverdlovsk, a administração da cidade de Yekaterinburg e estatal Gazprombank. Fonte: Moscou Times




quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

Fertagus 70 mil por dia

A FERTAGUS é, assim, o primeiro operador privado a assegurar a gestão e exploração comercial de uma linha ferroviária em Portugal, mediante o pagamento à IP - Infraestruturas de Portugal de uma taxa pela utilização das infraestruturas, sendo também a primeira vez que este mecanismo foi introduzido no sistema ferroviário português.


No âmbito do contrato de concessão, a empresa assegura a exploração da ligação ferroviária, a segurança, manutenção dos comboios e de algumas das estações da Margem Sul (do Pragal a Penalva), sendo também responsável pela venda de títulos de transporte de Eixo Ferroviário Norte/Sul, assim como pelo recrutamento, formação e gestão de toda a equipa que opera nos comboios e nas estações.

A FERTAGUS serve atualmente 14 estações numa extensão de linha com cerca de 54 km . Dez na Margem Sul: Setúbal, Palmela, Venda do Alcaide, Pinhal Novo, Penalva, Coina, Fogueteiro, Foros de Amora, Corroios e Pragal, e quatro na Margem Norte: Campolide, Sete Rios, Entrecampos e Roma-Areeiro. O tempo total de percurso entre Setúbal e Roma-Areeiro é de 57 minutos. As estações do Sul geridas pela Fertagus, estão dotadas de um elevado número de espaços comerciais, parques de estacionamento e ainda ligações a outros modos de transporte.

Hoje a FERTAGUS é responsável por cerca de 70 mil deslocações diárias .

O contributo para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos é inegável: 35% dos clientes consideram hoje que têm mais tempo livre, 44% menos stress na viagem, e 46% maior flexibilidade.

O Índice Global de Satisfação dos clientes da Fertagus atinge 4,5 numa escala de 1 a 5. (Dados do Inquérito de Imagem e Qualidade de Novembro de 2014)

O grande desafio para o futuro consiste em continuar a demonstrar que o transporte público é uma alternativa de qualidade consolidando a posição de melhor e mais importante agente de Mobilidade da Península de Setúbal e caminhando para uma cada vez melhor articulação com os restantes operadores de transportes, num sistema que se constitua como a mais eficaz alternativa ao transporte individual, incluindo as deslocações internas à própria Península de Setúbal. Fonte: Fertagus Foto: Silvério Borges


sábado, 7 de dezembro de 2019

Estação da Luz - São Paulo

Aberta ao público em 1º de março de 1901, a Estação da Luz ocupa 7,5 mil m² do Jardim da Luz, onde se encontram as estruturas trazidas da Inglaterra que copiam o Big Ben e a abadia de Westminter. Não houve inauguração, já que o tráfego foi sendo deslocado aos poucos, mas não demorou muito para que o novo marco da cidade fosse considerado uma sala de visitas de São Paulo.


Todas as personalidades ilustres que tinham a capital como destino eram obrigadas a desembarcar no local. Empresários, intelectuais, políticos, diplomatas e reis foram recepcionados em seu saguão e por lá passavam ao se despedirem. Fonte: cidadedesaopaulo 



quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Metrô de Madrid - Espanha

O Metrô de Madrid SA é uma empresa pública que está integrada no Regional Transport Consortium Madrid, uma organização criada em 1986 para reunir os esforços de instituições públicas e privadas relacionadas com o transporte público, a fim de coordenar os serviços, redes e tarifas, com o objetivo de oferecer ao usuário maior capacidade e melhor qualidade de transporte.

O Metrô de Madrid, com a tutelar administração da Comunidade de Madrid, que tem a principal função a operação das linhas da rede de metrô em operação, planejamento e melhoria da qualidade do serviço de transporte e instalações de manutenção da rede subterrânea. Fonte: Metrô de Madrid



quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Novos 16 Centros de Controle Operacional - CCO até 2021

Uma grande operação foi realizada em Paris Gare de Lyon. A nova torre de controle ferroviária foi colocada no ano passado e substituíram instalações de 1933. Até 2021, 16 torres de controle ferroviário espalhados por toda a França estará em vigor. Isso permitirá, digitalização e gestão de tráfego centralizado.


Atualmente, 7 destas torres de controle já estão operacionais para: Bordeaux, Dijon, Lyon, Rennes, Pagny-sur-Moselle, Strasbourg e Paris Gare de Lyon. Os benefícios destas novas instalações trarão
melhor gestão do tráfego, garantir transporte regular, informações em tempo real através da detecção de composições.

A detecção precoce de incidentes operacionais, através de monitoramento remoto de instalações de sinalização permitir a extensão de Paris Gare de Lyon para aumentar a sua capacidade de tráfego. Fonte SNCF

Viajar em trens noturnos economiza o hotel

Os trens noturnos oferecem uma maneira confortável de viajar à noite. De assentos reclináveis até cabines privativas com leito, há uma opção ideal para satisfazer todo tipo de desejo e orçamento. Economize seu valioso tempo ao viajar de um destino ao outro enquanto dorme, podendo economizar em diárias de hotéis. Fonte: Divulgação/Eurail


Luzes de Budapeste

EuroNight Kálmán Imre

(Áustria - Alemanha - Suíça - Hungria)
Viaje à noite de Munique ou Zurique para Budapeste, a Hungria fica a apenas 9 horas. O trem também para nas cidades austríacas de Viena e Salzburgo.
EuroNight Lisinski

EuroNight Lisinski

(Áustria - Croácia - Alemanha - Eslovênia)
Viaje à noite de Zagreb, Croácia para Munique, Alemanha ou Zurique, Suíça em menos de 9 horas. Há paradas também em Liubliana, Eslovênia e Salzburgo, Áustria.
Reichstag, em Berlim

EuroNight Metropol

(Áustria - República Tcheca - Alemanha - Eslováquia - Hungria)
Viaje durante a noite de Berlim, Alemanha, para Budapeste, Hungria, em pouco mais de 14 horas.

Trem Berlin Night Express

Berlin Night Express

(Alemanha - Suécia)
O Berlin Night Express é o único trem direto que liga a Alemanha e a Suécia. Liga Berlim, capital da Alemanha, a Malmö, no extremo sul da Suécia. Funcionando durante os meses de verão, esse trem viaja até porto de Sassnitz, no norte da Alemanha, de onde o trem inteiro é transportado de balsa pelo Mar Báltico até o porto sueco de Trelleborg. De Trelleborg, o trem chega até Malmö em menos de 10 horas.
Trem noturno Lusitânia na plataforma

Trem noturno doméstico Trenhotel

(Espanha)
O trem noturno Trenhotel é conhecido por seu luxo e conecta muitas das grandes cidades da Espanha, incluindo Barcelona, Madri e Granada.
Vista de Cracóvia

Trem noturno EN República Tcheca-Polônia

(República Tcheca - Polônia)
O EuroNight República Tcheca-Polônia conecta Praga e outras cidades tchecas com a Cracóvia e Varsóvia, na Polônia.
Santo Sava, Belgrado

Hellas Express

(Sérvia - Grécia)
Viaje de Belgrado, Sérvia, para Tessalônica, Grécia, em menos de 16 horas.




Intercités de Nuit na estação

Trem noturno Intercités de Nuit

(Espanha - Luxemburgo - França)
O Intercités de Nuit é trem noturno francês que liga Paris a Toulouse e cidades nas fronteiras italiana e espanhola.



Trem-hotel da Lusitânia na estação ferroviária

Trem noturno internacional Trenhotel

(Portugal - Espanha - França)
O trem noturno internacional Trenhotel é conhecido por seu grande luxo e conecta a Espanha com Portugal e a França.

O trem noturno ÖBB Nightjet

ÖBB Nightjet

(Áustria - Itália - Alemanha - Suíça)
Os trens ÖBB Nightjet conectam muitas cidades na Áustria, Alemanha, Itália e Suíça. Você pode viajar confortavelmente durante a noite e chegar bem descansado ao centro de uma nova cidade. Os destinos populares incluem Viena, Berlim, Munique, Florença, Milão e Roma.
Trem noturno de dois andares finlandês

Santa Claus Express

(Finlândia)
Viaje até o Círculo Polar Ártico com este trem noturno de dois andares finlandês, conhecido como Santa Claus Express. Visite Rovaniemi, a cidade natal oficial do Papai Noel, e maravilhe-se com a Aurora Boreal, brilhando sobre um país das maravilhas coberto de neve.
Trem noturno SJ

SJ

(Noruega - Suécia)
Os trens noturnos SJ proporcionam aos viajantes uma oportunidade única para experimentar tudo da Suécia, dos pastos verdejantes do sul à região do Ártico, no norte. Para viagens no inverno ou no verão, o trem noturno SJ oferece uma maneira moderna e confortável de percorrer grandes distâncias na Suécia. Você pode embarcar em Estocolmo, Malmö ou Gotemburgo e visitar regiões remotas como Narvik no Círculo Polar Ártico ou Kiruna, a cidade mais ao norte da Suécia.
Trem noturno Veolia na plataforma

Snälltåget

(Suécia)
De dezembro a abril, a companhia ferroviária privada Snälltåget opera um serviço de trem noturno na Suécia, de Malmö até Åre. Não há melhor forma de percorrer a longa Suécia do que no trem noturno, onde é possível partir diretamente do extremo sul do país (Malmö) e acordar na manhã seguinte, depois de percorrer 1200 km, na cidade de esqui de Åre.
Trem noturno Thello

Thello

(Itália - França)
Viaje durante a noite de Paris para o norte da Itália com o trem noturno Thello. Chegue bem cedo em incríveis cidades históricas, como Milão, Verona e Veneza. Ou viaje durante o dia entre Marselha e Milão com o trem diurno da Thello.

Centro de Pesquisas da GE digitalizou os seus trens

Você deve ter acompanhado a história sobre a parceria pioneira da GE com a Vale, em que os trens da mineradora seriam otimizados com uma solução digital capaz de reduzir o consumo de combustível, simplificar a operação e seguir um plano de viagem mais eficiente, certo? Hoje, então, é dia de conhecer como o Centro de Pesquisas Global da GE, no Rio de Janeiro, trabalhou na remodelagem do Trip Optimizer a fim de superar adversidades e atender às necessidades específicas da Vale. 


Desenvolvida nos Estados Unidos, a solução é um sistema inteligente que funciona como uma espécie de “piloto automático” para trens. Porém, para ser efetiva para a Vale, precisava ser repensada de acordo com os desafios da Estrada de Ferro Carajás. Foi aí que entrou a expertise dos desenvolvedores do Centro de Pesquisas: depois de estudarem o relevo, a dinâmica de circulação e a rota dos trens, propuseram várias adaptações ao Trip Optimizer dentro do programa piloto na Vale. “Conseguimos simular cenários e estudar alguns parâmetros dos algoritmos que, se ajustados, trariam benefícios em termos de consumo de combustível e eficiência energética”, conta Lucas Malta, líder do programa de tecnologias digitais para Transporte e Aviação do Centro de Pesquisas da GE. Com as mudanças, a operação atingiu aproximadamente 3,65% de economia de diesel!

Graças à possibilidade de customizar a solução, os desenvolvedores da GE puderam acrescentar aplicações à base do Trip Optimizer para uma entrega mais assertiva para a Vale. Com o mapeamento de todo o trajeto, um banco de dados foi criado e, a partir daí, graças à ajuda do Analytics e do Predix, nossos especialistas extraíram informações para aperfeiçoar toda a operação. “Tendo isso em mãos, identificamos quando a locomotiva falhava, considerando diversos parâmetros territoriais e ambientais”, diz Malta. Esse diagnóstico apontou que duas funcionalidades eram essenciais para otimizar a operação: a tecnologia Moving Fence, que permite uma distribuição inteligente de potência das locomotivas, monitorando e gerenciando a aceleração da composição para evitar quebras e paradas não planejadas, e a tecnologia Slowdown, que detecta e automatiza em quais pontos da rota é imprescindível reduzir a velocidade.

Com isso, a Vale conquista outros ganhos importantes: flexibilidade na operação e train handling. “A flexibilidade foi um grande destaque no projeto, pois o cliente desejava mais liberdade na configuração dos trens. O train handling, por sua vez, automatiza o gerenciamento das forças dentro do trem para prevenir rompimentos ao longo dos veículos, algo que acontecia com frequência”, explica Gabriel Gleizer, engenheiro de controle e automação do Centro de Pesquisas da GE. Quem diria que o transporte ferroviário poderia ser tão high-tech?


Os resultados excepcionais do projeto refletem um esforço colaborativo e integrado. Parcerias com o Centro de Pesquisas americano da GE são corriqueiras nesses casos, já que as unidades fazem parte de uma rede que abrange o mundo todo. “O desenvolvimento coletivo de ferramentas com utilidade global, criadas a partir de uma demanda local, dá um gosto a mais”, pondera Gleizer. “O espírito da GE está muito atrelado a essa migração de soluções de certos projetos para outros, favorecendo a produtividade ao mesmo tempo que gera trocas muito significativas entre as diversas verticais”, acrescenta.

Hoje, já existem outras soluções capazes de deixar a operação ferroviária ainda mais eficiente e produtiva. O LocoVision, por exemplo, pode gravar imagens em HD a partir de uma câmera posicionada na frente do trem para depois analisá-las e reunir informações para a otimização do trajeto. O GoLINC permite que as operadoras reúnam dados de sensores e câmeras para entender melhor o fluxo do tráfego ferroviário e o estado dos trilhos, possibilitando tomar decisões mais inteligentes.

As condições de automação também estão em pleno processo de evolução. “Atualmente, boa parte do trabalho do Centro de Pesquisas é reduzir a necessidade de intervenção humana na condução do trem, que com o Trip Optimizer já é de apenas 20% do tempo em média. Para o futuro, o plano é garantir uma solução totalmente autônoma, em que o trem seja apenas monitorado remotamente”, diz Lucas Malta. Se dá para imaginar, dá para fazer!

A GE está fazendo história ao antecipar o futuro do transporte ferroviário no mundo inteiro. Acompanhe o GE Reports Brasil e fique por dentro! Fonte: GE


terça-feira, 26 de novembro de 2019

Separados por mais de cem anos

Os primeiros carros russos de dois andares foram construídos em 1905 na Tver Carriage Works. Os carros de dois andares ainda estão sendo construídos nessa mesma fábrica em Tver, mas a tecnologia deu um grande salto à frente! Esses carros modernos têm sistemas de controle de segurança, microclimas e banheiros ecológicos.


terça-feira, 12 de novembro de 2019

Trem intercidades entre São Paulo e Campinas será licitado em 2020 e será movido a biodiesel

O projeto do governo paulista de fazer um trem intermunicipal de passageiros será viabilizado com a renovação antecipada de ferrovias federais, como as da Rumo e da MRS, de acordo com o vice-governador do Estado, Rodrigo Garcia (DEM). “Há uma previsão expressa da obrigatoriedade de compartilhar trilhos com governo do Estado, isso é uma premissa”.


A linha ferroviária deverá ligar São Paulo a Campinas, e depois, chegar até a cidade de Americana.“O objetivo é licitar o trem intercidades até o fim de 2020. Poderá ser uma concessão ou até mesmo uma PPP, Parceria Público Privada, mas acredito que há viabilidade para uma concessão”, comenta Garcia.
O projeto será realizado pela concessionária do aeroporto de Guarulhos, em troca de descontos no pagamento de outorgas ao poder concedente, ainda de acordo com o vice-governador.

Já o secretário Alexandre Baldy, responsável pela secretaria dos Transportes Metropolitanos, e o presidente da CPTM, Pedro Moro, postaram no Instagram uma experiência a bordo de um trem da ex-Brightline (atual Virgin), ferrovia da Flórida que utiliza biodiesel como combustível. De acordo com eles, a tecnologia pode ser usada no Trem Intercidades (TIC), projeto iniciado no Governo Geraldo Alckmin e assumido pelo atual governador, João Doria, como uma de suas prioridades no setor ferroviário.

A adoção de locomotivas a biodiesel não só parece tornar o projeto mais barato em tempos de orçamento curto. Ela também denota um prazo mais rápido para ser executado o projeto Trem Intercidades, o que pode ser ótimo para a população. Fonte: Engenharia é/Ademilson Ramos


sábado, 9 de novembro de 2019

Acoplamento na cauda em movimento

O trem que transporta o minério de ferro de Carajás, no Pará, que tem as maiores e melhores minas a céu aberto do mundo, até o porto da Ponta da Madeira, em São Luís do Maranhão, é maior trem de carga do mundo. Ele tem 330 vagões, puxados por quatro locomotivas, com quase 3.500 metros de extensão. Pode carregar 40 mil toneladas em cada viagem, num percurso de 892 quilômetros, demorando quatro minutos para passar por inteiro.


Dez anos depois que esse imenso trem começou a circular, a mineradora Vale está testando um novo trem, com quase o dobro do atual. São 660 vagões, 110 por cada trem, que podem transportar 68 mil toneladas por viagem. É a mesma capacidade de um navio padrão de carga de alguns anos atrás e ainda um bom tamanho, como nos que atracam no porto de Vila do Conde, em Barcarena.

Até 2008, os comboios que operavam na ferrovia de Carajás tinham, no máximo, 220 vagões. O acréscimo de 110 vagões naquele ano teve o objetivo de aumentar a exportação de minério de ferro para 130 milhões de toneladas até 2009 e para 230 milhões a partir de 2012. O início da produção da mina do S11D, no ano passado, exigiu nova expansão, tornando a ferrovia o maior escoadouro de minério do planeta, grande parte da carga com um destino longínquo: a China e o Japão.

Apesar do tamanho do trem, que equivale ao percurso do Círio de Nossa Senhora de Nazaré, em Belém, as seis locomotivas são comandadas por um único maquinista. As mensagens de comando da locomotiva guia para as demais vão via satélite. Dado o comprimento total de 6,6 quilômetros, parte do trem pode estar subindo e parte descendo. Um programa de computador envia o comando correto, freando ou acelerando, para cada locomotiva. O treinamento de um maquinista envolve 380 horas em simulador. Deve ser semelhante ao de um piloto de avião.

O novo trem poderá entrar em funcionamento regular nos próximos dias, assegurando o fantástico fluxo de minério de ferro de Carajás para vários lugares do mundo – a Ásia em especial. Fonte: Vale/Colaboração - Marília Oliveira




domingo, 3 de novembro de 2019

Pátio em Coina - Empresa Fertagus Portugal

A estação de Coina foi inaugurada a 6 de Outubro de 2004, pelo Secretário-geral dos Transportes, Dr. António Mexia, dando assim início à extensão da Fertagus para Setúbal. Com uma arquitetura de Motta Guedes, é uma estação onde o vidro, a arquitetura, os espaços verdes e as obras de arte de Charters de Almeida e Nadir Afonso, ganham cumplicidade, fazendo desta estação um local amplo, luminoso e harmonioso. 

Com uma estrutura contemporânea, de linhas mais simples que as anteriores, com o espaço comercial que oferece, bem como os parques de estacionamento e as ligações Sulfertagus, T.S.T e Transportes Coletivos do Barreiro, fez com que esta estação, com gestão Fertagus , superasse largamente as expectativas no que diz respeito a afluência de passageiros. 

Atualmente com o espaço comercial, “Barreiro Retail Planet”, que foi construído perto da estação, faz com que esta continue a ser uma estação procurada também por motivos de lazer. Traga a sua bicicleta e coloque-a nos suportes disponíveis no exterior da estação. Fonte: Fertagus/Foto TransTrilhos


segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Avignon, na França, inaugura sua primeira linha de VLT

O VLT de Avignon, na região de Provence, na França, teve sua primeira linha inaugurada neste sábado, 19 de outubro de 2019.



O sistema de transporte, uma rede planejada de bondes modernos que serve a cidade e seu entorno, está sob a autoridade do governo da Grand Avignon, que administra o aglomerado urbano centralizado na cidade de mesmo nome, no sudeste da França.

Gerenciado pela operadora Orizo, a rede prevista será implantada gradualmente.

A iniciativa faz parte da política global votada em 2016 pelo governo da Grande Avignon cujo objetivo é diminuir o uso do carro particular e evoluir para outros modos de locomoção. Para se ter ideia do desafio da cidade, em 2015 as viagens de ônibus representaram apenas 7,5%, enquanto as de carro 72,5%, e os modos ativos (ciclismo, caminhada) 20%.

O objetivo da Orizo é até 2025 alcançar 11,5% da participação modal, com os modos ativos subindo para 25% e o automóvel de passageiros caindo para 63,5%.

A fase 1 (T1) do bonde de Avignon, inaugurada neste sábado entre Saint-Chamand e Saint-Roch, tem 5,2 km de extensão, com 10 estações.

A fase 2 (T2), uma segunda linha em perspectiva que se juntará à Ilha Piot e Saint-Lazare, deve começar as obras em 2022, visando entrar em operação no final de 2024.

A Alstom está fornecendo uma frota de bondes Citadis X05, o primeiro dos quais foi entregue em dezembro de 2018, antes da execução dos testes iniciados no mês seguinte. Estão sendo entregues quatro veículos para a futura rota T2, com mais 10 a serem utilizados na rota T1.

Os bondes bidirecionais de três seções têm 24 metros de comprimento e capacidade para 140 passageiros, com o tempo de viagem de ponta a ponta de 15 minutos.

Os veículos de piso baixo estão equipados com iluminação LED, ar condicionado e CFTV. A frota está sendo montada na fábrica da Alstom em La Rochelle, com componentes provenientes de outras fábricas da Alstom na França.

Avignon já teve uma primeira geração de bondes, encerrada em 1932.

Em setembro de 2010, as autoridades da cidade aprovaram um plano para construir um bonde padrão, mas que acabou cancelado em 2014.

Uma versão menor do projeto foi aprovada em janeiro de 2015. Em maio de 2017, o governo local assinou um contrato com um consórcio incluindo Alstom, Guintoli, EHTP e Agilis. Fonte: Diário do Transporte/Alexandre Pelegi

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

A Plataforma Desiro Siemens

A plataforma Desiro combina conforto com alto nível de segurança e confiabilidade em um design extremamente inovador - resultando em maior apelo do cliente e satisfação. Alta flexibilidade e qualidade combinadas com custos otimizados também garantem economia máxima. A ferrovia está perfeitamente equipada para o futuro com esta família de trens, que pode ser implantada em redes de transporte regional, ferrovias regionais ou para serviços alimentadores. Fonte: Siemens



Locomotivas são utilizadas no Canal do Panamá

Os navios são dirigidos no interior das eclusas por potentes locomotivas ferroviárias para não se chocarem com as paredes laterais das eclusas. A travessia do Canal é feita por três comportas, onde a água funciona como uma espécie de elevador. Vindo do Atlântico, por exemplo, o navio entra na comporta, com a água no mesmo nível do oceano. As eclusas são fechadas e as válvulas de enchimento são abertas.
 

A água entra através de poços do piso, elevando o navio 26 metros, até o nível do Lago de Gatún. As válvulas são fechadas novamente e os portões superiores abertos. O navio sai da comporta para o lago. E segue para as outras comportas, onde acontece o processo inverso de descida até o nível do oceano Pacífico. As portas das eclusas são maciças e de aço, sendo as eclusas triplas no lago de Gatún com 140 metros de altura e pesam 745 toneladas cada uma, mas são tão bem contrabalançadas que um motor de 56 kW é suficiente para abri-las.


O lago Gatún está à 26 metros acima do nível do mar, é alimentado pelo rio Chagres, onde foi construída uma barragem para a formação do lago. Do lago Gatún, o canal passa pela falha de Gaillard e desce em direção ao Pacífico, primeiramente através de um conjunto de eclusas em Pedro Miguel, no lago Miraflores, a 16,5 metros acima do nível do mar, e depois, através de um conjunto duplo de eclusas em Miraflores. Todas as eclusas do canal são duplas, assim as embarcações podem passar nos dois sentidos simultaneamente. Fonte: Divulgação



Trem utiliza os trilhos do Ferry Boat

Este pequeno país de pouco mais de 5 milhões de habitantes, localizado ao norte da Europa, tem motivos de sobra para ser considerado o país mais feliz do mundo. E não todos os dias se pode visitar um lugar dessas características e que, ademais, parece imerso numa grande fotografia. Dinamarca não é só Copenhague. Há bem mais por descobrir.


Chegar de trem na Dinamarca é o mais recomendável. Tire qualquer um dos passes disponíveis na Eurail (Global, National ou Passe Dinamarca) e chegue dos pontos mais importantes da Europa.

Da Espanha, por exemplo, o Talgo Trenhotel sai todos os dias, como também o Eurocity Barcelona-Paris (Joan Miró) ou o Eurocity Madri-Paris (Francisco de Goya). Estes trens chegam à estação Austerlitz.

De lá se pega o metrô até Gare du Nord, onde é possível abordar o serviço expresso noturno a Copenhague, com transbordo em Colônia ou Hamburgo na Alemanha. Soa cansativo… mas é um passeio realmente recomendável!

Os trens TGV percorrem os trechos Espanha-Dinamarca, Itália-Dinamarca, França-Dinamarca e Alemanha-Dinamarca. O trajeto Copenhague-Hamburgo pode ser percorrido em pouco menos de 4 horas e meia. Fonte: Divulgação

Drones para monitorar ferrovias

Ele já é utilizado diariamente para otimizar a mão de obra e buscar qualidade nas informações nos 33 km do metrô de Salvador, mas a partir deste ano também deverá ser usado como ferramenta tecnológica para monitorar os trilhos da capital baiana. Desde o segundo semestre do ano passado a concessionária que administra o metrô de Salvador (CCR Metrô Bahia) já utiliza um drone para sobrevoar os telhados de 20 estações e torres de retransmissão espalhadas por toda a extensão de trilhos em busca de problemas estruturais.


O próximo passo será utilizar o equipamento em instalações de média tensão energética, que atualmente só são acessadas após o desligamento da energia elétrica. Na sequência, será a vez de os trilhos serem monitorados pelo sistema, o que deve acontecer até o fim do ano, após a definição de metodologia e colocação de dados georreferenciados no equipamento.

“O drone dá rapidez, qualidade da informação e mitiga o risco de alguém trabalhar em lugares altos. Se ele encontra algum problema, com o vídeo gravado conseguimos colocar na mesa e discutir, o que normalmente numa inspeção não conseguiria. Conseguimos detectar se um parafuso está com folga ou se não está”, disse José Kako, gestor de manutenção da CCR Metrô Bahia.

Na próxima fase, ainda de acordo com o gestor, com o drone será possível fazer as inspeções energéticas de forma direta, sem a necessidade de desligamento de todo o sistema. O metrô baiano tem atualmente 40 trens, transporta em média 370 mil passageiros em dias úteis e emprega 1.500 funcionários. Fonte: CCR/Divulgação


segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Um dos mais avançados do mundo

É fácil conhecer Dubai, uma cidade com avenidas excelentes apesar de engarrafamentos em alguns bairros nos horários mais movimentados. Antes de sair, informe-se quanto tempo levará até o seu destino final, assim, você terá tempo suficiente para conhecer Dubai pela primeira vez. A maioria dos visitantes opta por pegar um táxi, já que o preço é bastante razoável, ou por dirigir por conta própria, apesar das constantes mudanças nas avenidas e do tráfego congestionado.


O Metrô de Dubai é um dos transportes públicos mais avançados do mundo, completamente automatizado, possui estações com ar condicionado e vagões separados apenas para mulheres e crianças e ainda vagões chamados de Gold Class para passageiros que desejam viajar com mais conforto. 

Duas linhas de metrô de Dubai cobrem uma grande parte da cidade, a linha vermelha vai de Rashidiya e do Aeroporto de Dubai pelo centro da cidade e ao longo de Sheikh Zayed Road, a linha verde passa por alguns dos mais movimentados bairros de Dubai em Deira e Bur Dubai.

O Metrô de Dubai é uma maneira rápida, inteligente e com preços razoáveis para os visitantes se locomoverem pela cidade e terem uma boa visão da cidade através das faixas mais elevadas do metrô. Integrado com o novo sistema de ônibus, muitas áreas de Dubai são acessíveis através do metrô.




Fonte: Emirates

domingo, 13 de outubro de 2019

Trens na Holanda estão sendo alimentados por energia eólica

A empresa nacional de ferrovias da Holanda, a NS, anunciou que todos os seus trens elétricos de passageiros agora estão sendo 100% alimentados por energia eólica. A NS anunciou o seu objetivo (de ter uma frota inteiramente movida por eletricidade captada do vento) pela primeira vez em 2015, e cumpriram isso com um ano de antecedência.


Desde 1 de janeiro, 100% dos nossos trens estão funcionando com energia eólica, disse Ton Boon, porta voz da empresa. “Então, de fato, atingimos nosso objetivo um ano antes do planejado.” Em 2015, a NS iniciou uma parceria com a Eneco, empresa local de eletricidade. Como mencionado, seu objetivo era fazer com que toda a frota de trens elétricos fosse movida a energia eólica em janeiro de 2018. Fonte: NS Holanda


sábado, 12 de outubro de 2019

Estação Aeroporto Internacional

Existem várias maneiras de viajar do Aeroporto Internacional de Incheon para o centro de Seul. As formas mais populares incluem tomar o Airport Railroad Express (AREX), Metrô Metropolitano de Seul, ônibus de limusine do aeroporto e táxis. Entre estes, a ferrovia do aeroporto tem o benefício de evitar o tráfego nas estradas, permitindo que os turistas cheguem ao seu destino em um momento específico.


O Incheon Airport Trem Maglev, é um trem do tipo Maglev na Coreia do Sul, ele foi inaugurado em 3 de fevereiro de 2016. É a segunda linha Maglev do mundo comercialmente operarando. Os trens com design futurista graças ao peso bem mais leve e com custos de construção cortados a metade é rápido para fazer as conexões. Ele liga o Aeroporto Internacional de Incheon à Estação de Yongyu e Complexo de Lazer ao atravessar a ilha de Yeongjong. A linha não é considerada parte do metrô metropolitano de Seoul, é possível realizar a transferência para o AREX do Metro Metropolitano de Seul na Estação do Aeroporto Internacional de Incheon. Fonte: Seul News


terça-feira, 8 de outubro de 2019

Trens em clima rigoroso - Via Rail

VIA Rail Canada popularmente chamada de VIA Rail ou VIA é uma corporação pública controlada pelo governo do Canadá. A empresa é responsável por administrar a maior parte do transporte ferroviário interurbano de passageiros no país.

A VIA Rail opera trens em oito províncias canadenses - todas com exceção da Terra Nova e Labrador e a Ilha do Príncipe Eduardo. numa rede que compreende 12.500 km de trilhos. Anualmente são transportados 4,1 milhões de passageiros, a maioria dos quais no corredor Quebec City - Windsor. Fonte: Via Rail


segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Viagem virtual de trem pela Serra do Mar é a nova atração do Museu Ferroviário

"Uma viagem virtual pela história e pelos caminhos da estrada de ferro Curitiba-Paranaguá é a atração do Expresso Estação, novo espaço do Museu Ferroviário, no Shopping Estação, em Curitiba, que inaugurou ao público nesta quarta-feira (11).


A experiência acontece dentro de um vagão original que foi parte de uma das composições que faziam a viagem ferroviária no início do século. O novo espaço foi criado ambientado como um vagão de passageiros para receber grupos de no máximo 14 pessoas.

Durante 12 minutos, este grupo é levado à experiência que mistura sons e vídeo em uma viagem virtual que conta a história da estrada de ferro e depois passeia por alguns dos pontos mais icônicos da viagem.

Segundo a gerente de Marketing do shopping, Raphaela Zattar Lopes, uma das idealizadoras da atração, o Expresso Estação é mais que um simulador.

“Tudo foi pensado nos mínimos detalhes para uma experiência interativa e imersiva para crianças e adultos”, disse. “Usamos imagens, sons, palavras que fazem parte do vocabulário curitibano aliados a paisagens e fatos históricos para proporcionar uma experiência completa”, disse.

História e paisagens

Uma das preocupações do projeto é resgatar a história da antiga ferrovia paranaense. E história é o que não falta.

O Museu Ferroviário de Curitiba ocupa o espaço preservado da Antiga Estação Ferroviária de Curitiba cuja construção começou em 1880 com a simbólica pá inicial do então imperador Dom Pedro II.

Foi ali que chegou, cinco anos mais tarde, a primeira viagem de trem vinda de Paranaguá depois da construção da estrada de ferro de 110 quilômetros que precisou da força de nove mil trabalhadores para ficar pronta e é considerada um “milagre da engenharia”.

O local virou museu em 1982 e está sob o controle da administração do Shopping Estação desde a abertura em 1997.

A segunda parte da “viagem” é focada no roteiro Curitiba a Paranaguá, pela Serra do Mar com narrativas sobre as riquezas da região, paisagens naturais, animais, trajeto e pontos referenciais da Serra como a ponte São João, o Véu da Noiva e o Pico Marumbi.

A atração é gratuita, aberta ao público e funciona no mesmo horário de funcionamento do museu, de terça a domingo das 13h às 18h." Fonte: Gazeta do Povo

Inauguração do VLT de Ottawa

Com 13 estações, a Linha da Confederação do novo O-Train parece quase um metrô. A cada cinco minutos na hora do rush, ele usa um túnel cavado sob o núcleo da cidade e Parliament Hill, onde estão localizadas quatro estações de metrô, e circula em trincheiras de concreto em outros locais.


As estações são anunciadas por um sinal circular de um vermelho brilhante, que parece um doce da Life Savers, segundo alguns.

De acordo com autoridades eleitas, este trem brilhante finalmente trará Ottawa para a liga das cidades de "classe mundial", agora que a área metropolitana da capital federal atingiu um milhão de habitantes. Certamente, trará alívio aos usuários da OC Transpo, a empresa de transporte público, no eixo leste-oeste.

"A rede de barramento está na capacidade máxima. Adicionamos ônibus articulados, depois ônibus de dois andares, mas não podemos adicionar mais transporte de superfície, os ônibus estão presos no trânsito ", disse o vereador Mathieu Fleury, que representa um distrito central. Fonte: OC Transport






sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Trem projetado para parecer uma sala de estar

O caso de amor do Japão com trens continua no design encantador. O país inovador está consistentemente anos-luz à frente quando se trata de trens de alta velocidade, e seu mais novo trem não é exceção. Projetado pelo arquiteto vencedor do Prêmio Pritzker Kazuyo Sejima, a série Seibu 001, conhecida como "Laview", é uma criação impressionante.

O trem suburbano da Seibu Railway, que entrou em serviço em Tóquio em março, tem um exterior prateado refletivo projetado para se misturar à paisagem, enquanto viaja pela cidade até as montanhas.


Suas enormes janelas curvas proporcionam aos passageiros vistas panorâmicas impressionantes ao longo do caminho.

No interior, o Laview está equipado com cadeiras amarelas macias com um apoio de cabeça e mesa de braços ajustáveis ​​para "proporcionar uma sensação relaxante na sala de estar".
A iluminação suave, que se ajusta ao longo do dia, foi criada para gerar uma atmosfera relaxante para os passageiros.


Laview é o primeiro projeto de trem de Sejima, encarregado de criar um novo conceito "nunca visto antes" que daria o tom às futuras criações da empresa ferroviária.
"A diferença mais óbvia é que o trem pode se deslocar para lugares diferentes", disse Sejima em comunicado.

"Este trem se move pela cidade para as montanhas de Chichibu e eu pensei que seria bom o trem poder responder e se misturar com o ambiente de uma maneira suave. Além disso, eu queria fazer um trem que pareça um meio parecido com sua sala, onde os passageiros podem relaxar livremente e se sentir motivados a andar ". Fonte: CNN Travel

trem-bala-bonito --- Laview_interior1


segunda-feira, 9 de setembro de 2019

A História da Implantação dos Trens de Cascais desde 1870

A primeira iniciativa para trazer o caminho de ferro a Cascais foi lançada em 1870 pelo engenheiro M. A. Thomé de Gamond, que propôs a construção de uma linha de Lisboa a Colares, passando por Cascais, Alcabideche e Sintra. Embora este projeto tivesse falhado, fundou as bases para a futura linha de Lisboa a Cascais, que deveria acompanhar a orla costeira. Foto Divulgação


Em 23 de Fevereiro de 1871, um decreto autorizou a construção de uma linha no sistema americano entre Lisboa e Cascais, concessão que foi passada para a Companhia de Carris de Ferro de Lisboa por um decreto de 21 de Novembro de 1872. No entanto, a linha apenas foi construída até Algés, tendo a concessão sido anulada em 10 de Março de 1884 por não ter sido totalmente construída até Cascais no período determinado.

Em 29 de Agosto de 1871, o Duque de Saldanha foi autorizado a prolongar a sua rede ferroviária, no sistema Larmanjat, até Belém e Cascais, projeto não não chegou sequer a ser iniciado. Pouco depois, a Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses começou a manifestar a intenção de construir várias linhas de carácter suburbano em Lisboa, incluindo uma linha de Cascais à Estação de Santa Apolónia[5], tendo a empresa sido autorizada a construir esta linha por um alvará de 9 de Abril de 1887. Em Junho de 1888 já estava em construção a linha de Alcântara a Cascais, e o primeiro trecho do Ramal de Cascais, entre Cascais e Pedrouços, entrou ao serviço em 30 de Setembro de 1889.

A linha foi concluída com a chegada ao Cais do Sodré em 4 de Setembro de 1895, não tendo chegado a ser completada até Santa Apolónia, devido a vários problemas técnicos, e aos receios que a passagem do caminho de ferro danificasse a estética da Praça do Comércio. Fonte: Divulgação/Foto: Silvério Borges



sábado, 7 de setembro de 2019

A Renfe testou trem alimentado por gás natural liquefeito - Espanha

A Renfe testou o que descreveu como o primeiro trem de passageiros do mundo a ser alimentado por gás natural liquefeito (GNL). O projeto foi lançado para avaliar a viabilidade econômica e ambiental da fonte de combustível como alternativa ao diesel. O GNL é parte de uma estratégia de combustíveis alternativos que inclui a eletrificação da ferrovia. Novos testes estão previstos 2019.

Como parte de testes, um dos dois motores diesel em um trem Renfe 2600 foi substituído por um que utiliza gás natural para sua propulsão, de modo que uma comparação poderia ser feita, os elementos auxiliares necessários também foram instalados. Fonte: Renfe


quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Controle remoto TRAXX AC3 Locomotive

A Bombardier entregou a primeira #TRAXX AC3 #locomotive com  motor a diesel da Last Mile e controle remoto por rádio para a Erfurter Bahnservice. O operador usará a locomotiva entre outras coisas para transportar fertilizante para a K + S KALI Agrar baseada em Kassel. Inovações e tecnologias são utilizadas em todo mundo no transporte ferroviário, oferecendo o máximo em rapidez e segurança. Fonte: Bombardier

 



segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Medição e Sonda a Alta Tecnologia na Manutenção Ferroviária

Medição e sonda dos trilhos, uma frota de veículos de testes de via permanente da Holland, foi concebido para satisfazer os requisitos de geometria da linha, medição e perfil do trilho da classe 1, e as propriedades de tráfego de trens na América do Norte. Nossa geometria de via está em conformidade com FRA Classe 5, Transport Canadá, os requisitos específicos do cliente para fornecer a avaliação mais precisa das condições da linha. a medição de perfil ferroviário simultâneo proporciona condições de leitura dos desgastes, enquanto os dados gerados pelos nossos veículos, testam a divisão da carga nos trilhos e possíveis fragilidades. Fonte: Holland