sábado, 30 de março de 2019

Trens X2000 Estocolmo

Trens diurnos suecos, alta velocidade entre Estocolmo, Copenhague, Gotemburgo, Malmo e Oslo. O X2000 é um trem SJ de alta velocidade que viaja suave e silenciosamente em até 200km/h. O trem X2000 permite a você viajar pela Suécia de ponta a ponta, tendo Estocolmo como ponto central e proporcionando-lhe maior flexibilidade em suas opções de viagem. 


O trem é totalmente familiar e alguns vagões possuem até um salão de jogos (incluindo um escorrega!), onde as crianças podem se divertir e fazer novos amigos. Alguns dos trens X2000 tem dois andares, o que possibilita a você ter uma vista da paisagem sueca ainda mais agradável. Fonte: Rail Europe

quarta-feira, 27 de março de 2019

Pátio de Manutenção - Metrô São Paulo

Com cerca de 470 mil metros quadrados, 24 quilômetros de vias e capacidade para receber até 60 trens, o pátio de manutenção e estacionamento Itaquera, o maior do Metrô de São Paulo, completou 32 anos em março 2019.

Localizado a aproximadamente 1,5 km da estação Corinthians-Itaquera e ao lado do futuro estádio "Itaquerão", o pátio inaugurado em 7/3/1987 comporta as atividades de manutenção e limpeza dos trens da Linha 3-Vermelha, Corinthians/Itaquera-Palmeiras/Barra Funda.


Dividido em "blocos" (administrativo, de materiais, de pessoal de operação, de oficinas, das subestações elétricas e da manutenção de trens), o pátio Itaquera possui hoje cerca de 700 empregados, incluídos os das empresas contratadas. Eles se revezam em mais de 50 atividades nos trens da frota da Linha 3-Vermelha, que vão desde a manutenção corretiva e preventiva, passando pela limpeza, até a higienização dos trens. Ao todo, são mais de 17.000 intervenções por ano, a maioria delas realizada de madrugada (da 1 às 4h), fora do horário da operação comercial.

Diariamente, são lavados, em média, 45 trens, totalizando 16.000 lavagens por ano. A desinsetização e higienização dos trens da Linha 3-Vermelha também são feitas nesse pátio. Ao menos um trem por dia passa por esse processo.

O pátio passou a operar com plena capacidade a partir da inauguração das estações Itaquera (atual Corinthians-Itaquera), Marechal Deodoro e Barra Funda (hoje Palmeiras-Barra Funda), em 1988, quando foi concluída a atual linha. Fonte: Metrô SP

segunda-feira, 25 de março de 2019

Renfe inicia compra de 211 trens por 2.270 milhões de euros

A diretoria da Renfe aprovou nesta segunda-feira a licitação para a compra de 211 trens de grande capacidade, no valor de 2.270,5 milhões de euros. No total, o valor do concurso é de 2.726,6 milhões de euros. Este montante inclui a aquisição de peças do parque, a manutenção de parte dos trens adquiridos por 15 anos, bem como as ferramentas e o depósito inicial necessário para tal manutenção. A manutenção de primeiro nível será realizada através de uma empresa mista com a Renfe Fabricacion y Mantenimiento.


O objetivo desta operação é renovar a frota de material circulante para maximizar a capacidade de transporte em grandes núcleos Cercanias altamente saturado em pontos críticos, como perto de Madrid, túnel Sol ou de Recoletos. Para isso, serão adquiridos no mínimo 900 assentos (no caso de 100 metros), o que representa um aumento de 20% na capacidade sobre a atual frota de trens Civia.

Do total de 211 trens, 176 terão um comprimento de 100 metros (os do primeiro lote) e outros 35 atingirão 200 metros (os do segundo lote). Ambas as modalidades têm a opção de crescer em tamanho, se necessário.

Os novos trens Cercanias terão melhorias de acessibilidade e conforto para os passageiros, acesso para pessoas com mobilidade reduzida, áreas para bicicletas e carrinhos de crianças, além de acesso Wi-Fi público.

O concurso inclui a opção de adquirir até 120 trens adicionais também em dois lotes (96 de 100 metros e 24 de 200) e sua manutenção por um período coincidente com os trens adquiridos na empresa. Fonte: El País




sábado, 23 de março de 2019

Trem utiliza os trilhos do Ferry Boat

Este pequeno país de pouco mais de 5 milhões de habitantes, localizado ao norte da Europa, tem motivos de sobra para ser considerado o país mais feliz do mundo. E não todos os dias se pode visitar um lugar dessas características e que, ademais, parece imerso numa grande fotografia. Dinamarca não é só Copenhague. Há bem mais por descobrir.


Chegar de trem na Dinamarca é o mais recomendável. Tire qualquer um dos passes disponíveis na Eurail (Global, National ou Passe Dinamarca) e chegue dos pontos mais importantes da Europa.

Da Espanha, por exemplo, o Talgo Trenhotel sai todos os dias, como também o Eurocity Barcelona-Paris (Joan Miró) ou o Eurocity Madri-Paris (Francisco de Goya). Estes trens chegam à estação Austerlitz.

De lá se pega o metrô até Gare du Nord, onde é possível abordar o serviço expresso noturno a Copenhague, com transbordo em Colônia ou Hamburgo na Alemanha. Soa cansativo… mas é um passeio realmente recomendável!

Os trens TGV percorrem os trechos Espanha-Dinamarca, Itália-Dinamarca, França-Dinamarca e Alemanha-Dinamarca. O trajeto Copenhague-Hamburgo pode ser percorrido em pouco menos de 4 horas e meia. Fonte: Divulgação

sexta-feira, 22 de março de 2019

Trackmobile - Locomotiva Trator

Experiência na indústria em movimento ferroviário e de vagões e mais de 10.000 unidades em serviço em todo o mundo, TRACKMOBILE está utilizando tecnologia de ponta com segurança e eficácia fornecê-lo com uma solução de mobilidade de vagões em sua indústria. Este veículo ferroviário é de importantíssimo valor nas operações ferroviárias e metroviárias. Ele dá apoio para operação e manutenção principalmente em momentos de trens avariados, manobras, deslocamentos de pranchas entre outros atributos.


Ele pode se deslocar de uma via para outra utilizando um local próprio através dos pneus, economizando tempo na manobra, ele é capaz de movimentar composições inteiras com seu forte motor a diesel.Fonte: Trackmobile


China fará 5 linhas de Maglev até 2020 - Testes executados

A China operará mais de cinco linhas ferroviárias de levitação magnética com uma velocidade máxima de 160 quilômetros por hora em cidades como Chengdu, Wuhan e Guangzhou até 2020, disse a CRRC Dalian Co Ltd. Uma nova geração de trens chineses de baixa/média velocidade fabricada pela CRRC Dalian, uma subsidiária da China Railway Rolling Stock Corp, completou testes a uma velocidade de teste de 120 km/h em Xangai neste mês. Espera-se que os veículos entrem no mercado dentro de um ano.


"Mesmo que os trens do metrô possam atender a demanda para transportar um grande número de passageiros de um local para outro, é muito caro construir sua infraestrutura e difícil controlar o ruído", disse Qu Tianwei, engenheiro-chefe da CRRC Dalian. "Além disso, eles não podem trafegar muito rápido". Fonte: Chinadaily


quarta-feira, 20 de março de 2019

Estação de Tóquio

A estação de Tóquio está lindamente retratada na foto abaixo, cerca de 3.700 trens chegam e partem da estação por dia. Além do edifício principal da estação, é possível ver a vista do Palácio Imperial de Tóquio. A Loja Daimaru de Tóquio que é uma loja de departamento, fica situada ao lado da estação. 

Na estação de Tóquio, existe uma Galeria com museu, fica próximo ao portão de saída Marunouchi Norte. A estação conecta várias cidades no Japão com trens urbanos, trens regionais de grande e médio percurso e o trem de alta velocidade Shinkansen.



segunda-feira, 18 de março de 2019

Locomotiva de manobra TEM28 diesel

Um protótipo da locomotiva diesel de manobra TEM28 produzido na fábrica de Engenharia Bryansk, que faz parte da ZAO Transmash, está passando por testes comparativos no Penza Operacional Locomotive Depot. Viagens experimentais estão previstas na área de Penza, durante o qual especialistas irão avaliar as capacidades técnicas da nova locomotiva e compará-los com o modelo anterior TEM18, que também foi testada anteriormente em Penza.


Durante os testes, que estão sendo realizadas sob condições operacionais idênticas, será avaliada a eficiência da unidade de gerador a diesel e óleo e consumo de combustível, bem como confiabilidade técnica da locomotiva como um todo. Além disso, os engenheiros vão avaliar nova e mais confortável cabine da locomotiva, que é climatizado e oferece visibilidade a toda a volta.

Os testes com a nova máquina em Penza será realizada ao longo de quatro meses, durante os quais os especialistas do depósito irão analisar os parâmetros de funcionamento e resultados de testes e preparar uma conclusão para o fabricante. A Companhia participa ativamente no desenvolvimento de material circulante confiável e moderno.

De acordo com a estratégia de renovação da frota da Companhia, as locomotivas devem incorporar características técnicas melhoradas e custos de funcionamento, oferecer condições confortáveis ​​para os de locomotivas, um alto grau de eficiência energética e ser ambientalmente amigável. Fonte: RZD


sábado, 16 de março de 2019

Intercidades de dois andares - Alemanha

É difícil deixar de ver as enormes torres gêmeas da histórica catedral gótica de Colônia. Mas, para saber o que realmente faz esta cidade alemã se agitar, escolha uma confortável hospedaria junto ao rio Reno, peça uma cerveja kölsch e converse com os alegres habitantes locais.

Quatorze museus estão à disposição para serem visitados na quarta maior cidade da Alemanha, incluindo o Museu Farina Fragrance, lugar de nascimento da famosa Eau-de Cologne. Todos precisam de um descanso, depois de tanto passeio. Colônia é conhecida como a cidade alemã com muitos bares e restaurantes.


Fortemente danificada durante a Segunda Guerra Mundial, Colônia ainda mostra algumas construções históricas ao lado de muitos lugares reconstruídos. Também oferece muitas construções de arquitetura moderna, incluindo pontes e arranha-céus.

Com seu famoso Carnaval de novembro (um dos maiores festivais de rua da Europa), e sua tradição de música, mídias e tecnologia, Colônia mostra inúmeras facetas com animado charme. Fonte: Cidade Colonia Foto: Silvério Borges


quinta-feira, 14 de março de 2019

Veículo Leve Sobre Trilhos ACR - Acumuladores de Carga Rápida

Trem Leve Sobre Trilhos ACR - Acumuladores de Carga Rápida - capaz de operar sem catenária, sem terceiro trilho, sem alimentação pelo solo e sem baterias convencionais. O veículo - que já opera em Sevilha e em Saragoça -possui um pantógrafo que só se eleva durante as paradas, para uma carga rápida de 20 segundos.


A carga é feita em uma seção de catenária com o mesmo comprimento do VLT. Uma vez carregados, os acumuladores dão ao veículo autonomia de 1.400 metros, mais que suficiente para chegar à próxima estação e carregar de novo. Um sistema de recuperação de energia na frenagem complementa a alimentação dos motores de tração. O ACR foi desenvolvido pela Trainelec, empresa do grupo CAF. Fonte: CAF Vídeo/Foto: Silvério Borges




segunda-feira, 11 de março de 2019

Estação da Luz

A Estação da Luz, que se encontra em um espaço de 7.500 metros quadrados do antigamente bem frequentado Jardim da Luz, em São Paulo, foi projetada pelo Barão de Mauá para suceder a primeira estação, a qual data de 1867. Foi edificada entre os anos de 1895 e 1901 e hoje é parte integrante da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e do Metrô de São Paulo, constituindo-se em um dos principais centros metroferroviário da cidade.


Idealizada na estética vitoriana, a Estação foi construída sob a supervisão do engenheiro James Ford, com matéria-prima vinda da Inglaterra. Seu propósito era abrigar a nova Companhia São Paulo Railway, empresa natural da Bretanha. Na época ela também foi utilizada para o transporte do café, então o principal produto brasileiro, para o porto de Santos. Seu relógio foi, desde o início, um ponto de referência para que todos mantivessem seus horários ajustados.

A linha que atravessava a Estação da Luz ia de Santos, cidade litorânea paulista, a Jundiaí, localizada no interior do Estado. Através dela São Paulo recebia todos os produtos importados de que necessitava, tanto para o consumo quanto para a produção, em uma era na qual a industrialização ainda não avançara o suficiente. Por este tronco ainda transitam, hoje, as mais variadas linhas ferroviárias e metroviárias.

A estrutura desta Estação foi toda importada da Inglaterra. Mecanismos pré-moldados desembarcaram em São Paulo e aí foram montados. O material de alvenaria, porém, é de origem brasileira. Ela foi inspirada em uma estação australiana, a Flinders Street Station, localizada em Melbourne. Fonte: Infoescola






sábado, 9 de março de 2019

Trem de carga com 330 vagões e 3,3 quilômetros de extensão

Estrada de Ferro Carajás Transporta a Maior Extração de Minério do Mundo - Brasil, ela tem 892 quilômetros de extensão, ligando a maior mina de minério de ferro a céu aberto do mundo, em Carajás, no sudeste do Pará, ao Porto de Ponta da Madeira, em São Luís (MA). Por seus trilhos, são transportados 120 milhões de toneladas de carga e 350 mil passageiros por ano. Circulam cerca de 35 composições simultaneamente, entre os quais um dos maiores trens de carga em operação regular do mundo, com 330 vagões e 3,3 quilômetros de extensão. 


Inaugurada em 1985, a Estrada de Ferro Carajás não é só grande: ela também lidera o ranking das ferrovias mais eficientes do Brasil graças ao nosso constante investimento em tecnologia.

Os trilhos dos primeiros 15 km da Estrada de Ferro Carajás foram instalados em agosto de 1982. A ferrovia teve seus estudos de viabilidade, juntamente com os projetos de engenharia, iniciados quase uma década antes, em 1974. Mas a inauguração oficial só ocorreria 11 anos depois, no dia 28 de fevereiro de 1985.

Em março de 1986, chegaram os primeiros passageiros. No ano seguinte, foi a vez da soja. Os trens da ferrovia passaram a fazer o transporte de grãos e, no mesmo ano, os produtos derivados de petróleo entraram para a lista de materiais transportados pelas composições.
Hoje, os trens carregam granéis sólidos (soja e outros grãos), líquidos (combustíveis e fertilizantes, entre outros), além do minério de ferro.

A EFC está ainda interligada com outras duas ferrovias: a Companhia Ferroviária do Nordeste (CFN) e a Ferrovia Norte-Sul. A primeira atravessa, principalmente, sete estados da região Nordeste e a segunda corta os estados de Goiás, Tocantins e Maranhão, facilitando a exportação de grãos produzidos no norte do estado do Tocantins pelo Porto de Ponta da Madeira, no Maranhão. Fonte: Vale


sexta-feira, 8 de março de 2019

Metrô de Londres desde 1863

Aberto em 1863, lém de ser o mais velho, também é o mais extenso, seus trilhos subterrâneos se espalham hoje por 408 quilômetros (6 quilômetros a mais que a rodovia Rio-São Paulo), com paradas em 275 estações.


O metrô londrino precisou ser construído porque, em meados do século 19, o trânsito já havia se tornado insuportável – veículos de tração animal se amontoavam no centro da cidade –, prejudicando o andamento dos negócios na capital do Império Britânico. Era preciso criar um meio rápido de transportar os “executivos” de então, que moravam em vizinhanças afastadas e agradáveis, até o centro financeiro, na época um ambiente pestilento.

Logo no primeiro dia de funcionamento, os primeiros trens subterrâneos do mundo transportaram 40 mil pessoas. Esse metrô ancestral usava locomotivas a vapor, com caldeiras aquecidas a carvão: embora a rede fosse dotada de um sistema de exaustão de último tipo, ele não bastava para acabar com todo o fumacê. O problema só foi 100% resolvido em 1905, quando o sistema metroviário passou a operar apenas com trens elétricos.

Nessa época, o metrô de Londres já tinha dois concorrentes de peso: o de Paris (o 2º mais antigo, inaugurado em 1900) e o de Nova York (o campeão em número de estações – 468 –, funcionando desde 1904). O sistema de Tóquio, recordista em número de passageiros (2,8 bilhões de viagens anuais), começou a operar em 1927. Fonte: Super Interessante/Marcos  Foto: Divulgação

Metrô de Londres na Atualidade

quarta-feira, 6 de março de 2019

Grand Central Terminal - Maior Estação Ferroviária do Mundo

Grand Central Terminal, é um importante terminal metroferroviário de New York, no Centro de Controle Operacional - CCO, os trabalhadores mantém o olho no tráfego de trens indo e vindo no terminal em uma sala de controle no alto do prédio em Nova York. Grand Central Terminal faz ligação com o metrô através da estação adjacente Grand Central 42 nd Street. É considerada a maior estação ferroviária do mundo, com 44 plataformas, em dois níveis, com 41 linhas no nível superior e 26 no inferior. Em média, 125 mil usuários passam por ela todos os dias.



Em 1º de fevereiro de 2019 o Terminal Grand Central celebrou o seu 106º aniversário de operações nos Estados Unidos. Fonte: Kathy Willens / Associated Press

domingo, 3 de março de 2019

Conheça 30 Incríveis Estações de Trens Pelo Mundo

Nos séculos passados, viajar de trem costumava ser a única opção e muito era investido nas estações para parecerem as maiores e mais imponentes possíveis, tornando-se símbolos do império e da riqueza de cada cidade e país. Hoje em dia, muitas estações de trem tornam-se não só um ponto de chegadas e partidas durante uma viagem, mas viram mesmo atrações turísticas por si só. Fonte: TransTrilhos/Divulgação


 Estação Central da Antuérpia, Bélgica


 Estação de Dunedin, Nova Zelândia


 Estação Central de Helsinque, Finlândia


 Estação de São Bento, Porto, Portugal


 Gare du Nord, Paris, França


 Grand Central Station, Nova York, EUA


 Union Station, Los Angeles, EUA


King’s Cross Station, Londres, Inglaterra


 Estação de Sirkeci, Istambul, Turquia


 Estação Ferroviária do Rossio, Lisboa, Portugal


 Estação de Atocha, Madrid, Espanha


 Estação Central de Amsterdam, Holanda


 Estação Chhatrapati Shivaji, Mumbai, Índia


 Denver Union Station, Colorado, EUA


 Halifax Railway Station, Inglaterra


 Tren del Fin del Mundo, Ushuaia, Argentina


 Estação de Kanazawa, Japão


 Estação Central de Maputo, Moçambique


 Estação de Haydarpasa, Istambul, Turquia


 Estação Central de Berlim (Hauptbahnhof), Alemanha


 Estação da Luz, São Paulo, Brasil


 Estação Ferroviária de Kuala Lumpur, Malásia


 Gare de Strasbourg, Estrasburgo, França


 Estação Central de Lviv, Ucrânia


 Estação Keleti, Budapeste, Hungria


 Estação Central de Groningen, Holanda


 Estação de Calatrava, Liège, Bélgica


Gare de Limoges-Bénédictins, Limoges, França


 Estação de Hua Hin, Tailândia


 Southern Cross Station, Melbourne, Austrália



Veículos de manutenção em clima severo

A boa manutenção dos trilhos é fundamental para o bom funcionamento de uma linha férrea. De fato, quando um trilho está obstruído os trens correm perigo, por isso, os materiais depositados devem ser removidos: os veículos ferroviários Tesmec foram projetados para enfrentar estes problemas.


A Tesmec projeta e produz veículos especiais ferroviários para fazer a manutenção dos trilhos de linhas férreas, bondes e metrôs, assim como veículos para a limpeza e remoção de obstruções e materiais - tais como neve, gelo e folhas - depositados no percurso dos trilhos.

Os veículos ferroviários de manutenção de trilhos da Tesmec são capazes de trabalhar também em baixas temperaturas e podem ser equipados com diversos itens opcionais para diferentes usos. Fonte: Tesmec