segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Viagem virtual de trem pela Serra do Mar é a nova atração do Museu Ferroviário

"Uma viagem virtual pela história e pelos caminhos da estrada de ferro Curitiba-Paranaguá é a atração do Expresso Estação, novo espaço do Museu Ferroviário, no Shopping Estação, em Curitiba, que inaugurou ao público nesta quarta-feira (11).


A experiência acontece dentro de um vagão original que foi parte de uma das composições que faziam a viagem ferroviária no início do século. O novo espaço foi criado ambientado como um vagão de passageiros para receber grupos de no máximo 14 pessoas.

Durante 12 minutos, este grupo é levado à experiência que mistura sons e vídeo em uma viagem virtual que conta a história da estrada de ferro e depois passeia por alguns dos pontos mais icônicos da viagem.

Segundo a gerente de Marketing do shopping, Raphaela Zattar Lopes, uma das idealizadoras da atração, o Expresso Estação é mais que um simulador.

“Tudo foi pensado nos mínimos detalhes para uma experiência interativa e imersiva para crianças e adultos”, disse. “Usamos imagens, sons, palavras que fazem parte do vocabulário curitibano aliados a paisagens e fatos históricos para proporcionar uma experiência completa”, disse.

História e paisagens

Uma das preocupações do projeto é resgatar a história da antiga ferrovia paranaense. E história é o que não falta.

O Museu Ferroviário de Curitiba ocupa o espaço preservado da Antiga Estação Ferroviária de Curitiba cuja construção começou em 1880 com a simbólica pá inicial do então imperador Dom Pedro II.

Foi ali que chegou, cinco anos mais tarde, a primeira viagem de trem vinda de Paranaguá depois da construção da estrada de ferro de 110 quilômetros que precisou da força de nove mil trabalhadores para ficar pronta e é considerada um “milagre da engenharia”.

O local virou museu em 1982 e está sob o controle da administração do Shopping Estação desde a abertura em 1997.

A segunda parte da “viagem” é focada no roteiro Curitiba a Paranaguá, pela Serra do Mar com narrativas sobre as riquezas da região, paisagens naturais, animais, trajeto e pontos referenciais da Serra como a ponte São João, o Véu da Noiva e o Pico Marumbi.

A atração é gratuita, aberta ao público e funciona no mesmo horário de funcionamento do museu, de terça a domingo das 13h às 18h." Fonte: Gazeta do Povo

Inauguração do VLT de Ottawa

Com 13 estações, a Linha da Confederação do novo O-Train parece quase um metrô. A cada cinco minutos na hora do rush, ele usa um túnel cavado sob o núcleo da cidade e Parliament Hill, onde estão localizadas quatro estações de metrô, e circula em trincheiras de concreto em outros locais.


As estações são anunciadas por um sinal circular de um vermelho brilhante, que parece um doce da Life Savers, segundo alguns.

De acordo com autoridades eleitas, este trem brilhante finalmente trará Ottawa para a liga das cidades de "classe mundial", agora que a área metropolitana da capital federal atingiu um milhão de habitantes. Certamente, trará alívio aos usuários da OC Transpo, a empresa de transporte público, no eixo leste-oeste.

"A rede de barramento está na capacidade máxima. Adicionamos ônibus articulados, depois ônibus de dois andares, mas não podemos adicionar mais transporte de superfície, os ônibus estão presos no trânsito ", disse o vereador Mathieu Fleury, que representa um distrito central. Fonte: OC Transport






sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Trem projetado para parecer uma sala de estar

O caso de amor do Japão com trens continua no design encantador. O país inovador está consistentemente anos-luz à frente quando se trata de trens de alta velocidade, e seu mais novo trem não é exceção. Projetado pelo arquiteto vencedor do Prêmio Pritzker Kazuyo Sejima, a série Seibu 001, conhecida como "Laview", é uma criação impressionante.

O trem suburbano da Seibu Railway, que entrou em serviço em Tóquio em março, tem um exterior prateado refletivo projetado para se misturar à paisagem, enquanto viaja pela cidade até as montanhas.


Suas enormes janelas curvas proporcionam aos passageiros vistas panorâmicas impressionantes ao longo do caminho.

No interior, o Laview está equipado com cadeiras amarelas macias com um apoio de cabeça e mesa de braços ajustáveis ​​para "proporcionar uma sensação relaxante na sala de estar".
A iluminação suave, que se ajusta ao longo do dia, foi criada para gerar uma atmosfera relaxante para os passageiros.


Laview é o primeiro projeto de trem de Sejima, encarregado de criar um novo conceito "nunca visto antes" que daria o tom às futuras criações da empresa ferroviária.
"A diferença mais óbvia é que o trem pode se deslocar para lugares diferentes", disse Sejima em comunicado.

"Este trem se move pela cidade para as montanhas de Chichibu e eu pensei que seria bom o trem poder responder e se misturar com o ambiente de uma maneira suave. Além disso, eu queria fazer um trem que pareça um meio parecido com sua sala, onde os passageiros podem relaxar livremente e se sentir motivados a andar ". Fonte: CNN Travel

trem-bala-bonito --- Laview_interior1


segunda-feira, 9 de setembro de 2019

A História da Implantação dos Trens de Cascais desde 1870

A primeira iniciativa para trazer o caminho de ferro a Cascais foi lançada em 1870 pelo engenheiro M. A. Thomé de Gamond, que propôs a construção de uma linha de Lisboa a Colares, passando por Cascais, Alcabideche e Sintra. Embora este projeto tivesse falhado, fundou as bases para a futura linha de Lisboa a Cascais, que deveria acompanhar a orla costeira. Foto Divulgação


Em 23 de Fevereiro de 1871, um decreto autorizou a construção de uma linha no sistema americano entre Lisboa e Cascais, concessão que foi passada para a Companhia de Carris de Ferro de Lisboa por um decreto de 21 de Novembro de 1872. No entanto, a linha apenas foi construída até Algés, tendo a concessão sido anulada em 10 de Março de 1884 por não ter sido totalmente construída até Cascais no período determinado.

Em 29 de Agosto de 1871, o Duque de Saldanha foi autorizado a prolongar a sua rede ferroviária, no sistema Larmanjat, até Belém e Cascais, projeto não não chegou sequer a ser iniciado. Pouco depois, a Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses começou a manifestar a intenção de construir várias linhas de carácter suburbano em Lisboa, incluindo uma linha de Cascais à Estação de Santa Apolónia[5], tendo a empresa sido autorizada a construir esta linha por um alvará de 9 de Abril de 1887. Em Junho de 1888 já estava em construção a linha de Alcântara a Cascais, e o primeiro trecho do Ramal de Cascais, entre Cascais e Pedrouços, entrou ao serviço em 30 de Setembro de 1889.

A linha foi concluída com a chegada ao Cais do Sodré em 4 de Setembro de 1895, não tendo chegado a ser completada até Santa Apolónia, devido a vários problemas técnicos, e aos receios que a passagem do caminho de ferro danificasse a estética da Praça do Comércio. Fonte: Divulgação/Foto: Silvério Borges



sábado, 7 de setembro de 2019

A Renfe testou trem alimentado por gás natural liquefeito - Espanha

A Renfe testou o que descreveu como o primeiro trem de passageiros do mundo a ser alimentado por gás natural liquefeito (GNL). O projeto foi lançado para avaliar a viabilidade econômica e ambiental da fonte de combustível como alternativa ao diesel. O GNL é parte de uma estratégia de combustíveis alternativos que inclui a eletrificação da ferrovia. Novos testes estão previstos 2019.

Como parte de testes, um dos dois motores diesel em um trem Renfe 2600 foi substituído por um que utiliza gás natural para sua propulsão, de modo que uma comparação poderia ser feita, os elementos auxiliares necessários também foram instalados. Fonte: Renfe