segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Avignon, na França, inaugura sua primeira linha de VLT

O VLT de Avignon, na região de Provence, na França, teve sua primeira linha inaugurada neste sábado, 19 de outubro de 2019.



O sistema de transporte, uma rede planejada de bondes modernos que serve a cidade e seu entorno, está sob a autoridade do governo da Grand Avignon, que administra o aglomerado urbano centralizado na cidade de mesmo nome, no sudeste da França.

Gerenciado pela operadora Orizo, a rede prevista será implantada gradualmente.

A iniciativa faz parte da política global votada em 2016 pelo governo da Grande Avignon cujo objetivo é diminuir o uso do carro particular e evoluir para outros modos de locomoção. Para se ter ideia do desafio da cidade, em 2015 as viagens de ônibus representaram apenas 7,5%, enquanto as de carro 72,5%, e os modos ativos (ciclismo, caminhada) 20%.

O objetivo da Orizo é até 2025 alcançar 11,5% da participação modal, com os modos ativos subindo para 25% e o automóvel de passageiros caindo para 63,5%.

A fase 1 (T1) do bonde de Avignon, inaugurada neste sábado entre Saint-Chamand e Saint-Roch, tem 5,2 km de extensão, com 10 estações.

A fase 2 (T2), uma segunda linha em perspectiva que se juntará à Ilha Piot e Saint-Lazare, deve começar as obras em 2022, visando entrar em operação no final de 2024.

A Alstom está fornecendo uma frota de bondes Citadis X05, o primeiro dos quais foi entregue em dezembro de 2018, antes da execução dos testes iniciados no mês seguinte. Estão sendo entregues quatro veículos para a futura rota T2, com mais 10 a serem utilizados na rota T1.

Os bondes bidirecionais de três seções têm 24 metros de comprimento e capacidade para 140 passageiros, com o tempo de viagem de ponta a ponta de 15 minutos.

Os veículos de piso baixo estão equipados com iluminação LED, ar condicionado e CFTV. A frota está sendo montada na fábrica da Alstom em La Rochelle, com componentes provenientes de outras fábricas da Alstom na França.

Avignon já teve uma primeira geração de bondes, encerrada em 1932.

Em setembro de 2010, as autoridades da cidade aprovaram um plano para construir um bonde padrão, mas que acabou cancelado em 2014.

Uma versão menor do projeto foi aprovada em janeiro de 2015. Em maio de 2017, o governo local assinou um contrato com um consórcio incluindo Alstom, Guintoli, EHTP e Agilis. Fonte: Diário do Transporte/Alexandre Pelegi