domingo, 5 de julho de 2020

Locomotivas são utilizadas no Canal do Panamá

Os navios são dirigidos no interior das eclusas por potentes locomotivas ferroviárias para não se chocarem com as paredes laterais das eclusas. A travessia do Canal é feita por três comportas, onde a água funciona como uma espécie de elevador. Vindo do Atlântico, por exemplo, o navio entra na comporta, com a água no mesmo nível do oceano. As eclusas são fechadas e as válvulas de enchimento são abertas.


A água entra através de poços do piso, elevando o navio 26 metros, até o nível do Lago de Gatún. As válvulas são fechadas novamente e os portões superiores abertos. O navio sai da comporta para o lago. E segue para as outras comportas, onde acontece o processo inverso de descida até o nível do oceano Pacífico. As portas das eclusas são maciças e de aço, sendo as eclusas triplas no lago de Gatún com 140 metros de altura e pesam 745 toneladas cada uma, mas são tão bem contrabalançadas que um motor de 56 kW é suficiente para abri-las.


O lago Gatún está à 26 metros acima do nível do mar, é alimentado pelo rio Chagres, onde foi construída uma barragem para a formação do lago. Do lago Gatún, o canal passa pela falha de Gaillard e desce em direção ao Pacífico, primeiramente através de um conjunto de eclusas em Pedro Miguel, no lago Miraflores, a 16,5 metros acima do nível do mar, e depois, através de um conjunto duplo de eclusas em Miraflores. Todas as eclusas do canal são duplas, assim as embarcações podem passar nos dois sentidos simultaneamente. Fonte: Divulgação




domingo, 21 de junho de 2020

Estação PATH do World Trade Center

A Estação PATH do World Trade Center foi originalmente inaugurada em 19 de julho 1909 como Terminal Hudson. Quando o Terminal Hudson foi demolido para abrir caminho para o World Trade Center, uma nova estação foi construída, inaugurada em 1971. Esta estação serviu de terminal para as linhas Newark-World Trade Center e Hoboken-World Trade Center até que foi destruída durante os ataques de 11 de setembro de 2001.

A estação foi reconstruída em uma estrutura temporária que foi inaugurada em 23 de novembro de 2003. A estação projetada por Santiago Calatrava, ganhou novo nome World Trade Hub Transportation Center, uma estação metroferroviária. Fonte: Capitalnewyork



sábado, 6 de junho de 2020

Trem de Alta Velocidade Lisboa Madrid

Um novo balde de água fria nas expectativas do comboio de alta velocidade entre Lisboa e Madrid, isto segundo o relatório apresentado pela plataforma privada e independente “Sudoeste Ibérico en Redes”. Segundo o seu coordenador, António García Salas: “gostaríamos de poder apontar horizontes mais próximos e estamos conscientes de que muitos podem achar estas datas distantes algo desmoralizadoras”.



A espera de uma reação de ambos os governos, a incerteza quanto aos prazos para a construção da ligação ferroviária entre Lisboa e Madrid (via Estremadura) aumenta devido à pandemia. No entanto, reduzir o número de voos e assentos, bem como as exigências médio ambientais, pode aumentar a competitividade dos comboios como meio de locomoção.

Esta plataforma pretende levantar o ânimo e continuar uma campanha de pressão junto aos poderes públicos. Como objectivo imediato, García Salas propõe que ambos os governos assumam o compromisso de uma linha de comboio adicional a diesel que ligue, por Badajoz, Lisboa a Madrid até 2021. Este pedido deverá fazer parte da “agenda da Cimeira Ibérica de 2020 na Guarda”.

A duração da viagem ferroviária Madrid-Lisboa, cujo actual serviço é prestado pela Lusitânia Express tem uma duração de 11 horas (comboio noturno a diesel por Salamanca). Esta duração poderia ser reduzida para 8 horas em 2021 (se o mesmo partisse por Badajoz), em 2022/2023 seria de 6 horas e meia (com um híbrido diesel/eléctrico), em 2024 esta mesma viagem teria uma duração de cinco horas (comboio eléctrico) e em 2028 o mesmo caminho seria feito em apenas quatro horas (num comboio de alta velocidade). Além disso, a linha atual de Aveiro para a Guarda está programada para ser cortada para obras e os trabalhos de reestruturação da estrada alternativa de Castelo Branco para a Guarda, através da Serra da Estrela, estão muito atrasadas.

O relatório indica que “este novo serviço entre Lisboa e Madrid poderia ser realizado em duas fases: primeiro Badajoz-Madrid em meados do ano de 2021 e depois, no último trimestre de 2021, a conexão completa Lisboa-Madrid”. No entanto, se os atrasos decorrentes da crise afetassem esses prazos, outra opção a tomar seria “estender a rota do actual traço Madrid-Badajoz para Lisboa, sem esperar para poder usar as novas infra-estruturas. Isso já pode ser feito”.

Comboio a hidrogênio

A plataforma sugeriu que “seria muito oportuno e importante propor um projeto piloto, ao nível europeu, com um troço entre o Entroncamento e Puertollano, de um comboio que permita a conexão ferroviária entre Lisboa e Madrid através de fontes eléctricas e renováveis imediatamente. Este projeto pioneiro na Península Ibérica, mas já desenvolvido em outros países europeus, pode abrir caminho para a inovação e o desenvolvimento da mobilidade do hidrogênio com o apoio financeiro de diferentes fontes de grande importância para o Corredor do Sudoeste Ibérico”.

O que é o Corredor do Sudoeste Ibérico?

O Corredor do Sudoeste Ibérico é um espaço transnacional europeu, de fronteiras difusas, que aproximadamente coincide com as planícies do Tejo e Guadiana, caminhando do centro da península até ao Atlântico. Esta é a conexão mais direta entre Lisboa e Madrid e os portos e cidades do Corredor Mediterrânico. O seu eixo ferroviário central faz parte do Corredor Atlântico da Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T).

Atualmente, devido à crise do coronavírus, o serviço de comboio noturno da Lusitânia Express entre Lisboa e Madrid foi temporariamente cancelado. Fonte: Divulgação



quarta-feira, 27 de maio de 2020

Glacial Express

O Glacial Express é uma lendária ferrovia entre as cidades de St. Morits e Zermatt na Suiça. Desde 1930, trens a vapor são conduzidos pelo percurso panorâmico sobre montanhas e vales dos Alpes Suíços. Desde 1993, carros luxuosos de primeira classe fazem a travessia alpina no Glacial Express uma experiência espetacular. Durante o percurso de 07:30 horas você passará por nada menos que 291 pontes, 91 túneis e o Oberalp Pass com 2.033 m de altitude. Fonte: Divulgação

                             

quinta-feira, 14 de maio de 2020

Locomotiva propulsão Elétrica e Diesel

A locomotiva de passageiros elétrica / diesel ALP-45DP em massa dupla da empresa canadense Bombardier para o NJ Transit e as agências de transporte AMT da cidade de Montreal, estavam em exibição. A locomotiva é um derivado da locomotiva elétrica ALP 46, mas equipado com dois motores diesel Caterpillar V-12 que fornecem o poder de propulsão para os motores de tração quando a locomotiva opera além de trilhos eletrificados.


Com 132 toneladas métricas de peso (145 toneladas) em apenas quatro eixos, a locomotiva monstro apresentou algumas dificuldades logísticas com sua viagem de Kassel, onde foi montada, para Berlim, uma vez que relativamente poucas linhas ferroviárias na Alemanha e no resto da Europa são Avaliado para 30 toneladas métricas por eixo, muito menos 35 toneladas, que é quase o que esta besta pesa. Mais típico em toda a Europa é de 25 toneladas por capacidade de eixo. Acredita-se que o ALP-45D seja a primeira vez que a série produziu uma locomotiva de modo duplo que pode operar a partir de eletrificação ferroviária de alta tensão AC. Fonte: Bombardier 


segunda-feira, 4 de maio de 2020

Trem utiliza os trilhos do Ferry Boat

Este pequeno país de pouco mais de 5 milhões de habitantes, localizado ao norte da Europa, tem motivos de sobra para ser considerado o país mais feliz do mundo. E não todos os dias se pode visitar um lugar dessas características e que, ademais, parece imerso numa grande fotografia. Dinamarca não é só Copenhague. Há bem mais por descobrir.


Chegar de trem na Dinamarca é o mais recomendável. Tire qualquer um dos passes disponíveis na Eurail (Global, National ou Passe Dinamarca) e chegue dos pontos mais importantes da Europa.

Da Espanha, por exemplo, o Talgo Trenhotel sai todos os dias, como também o Eurocity Barcelona-Paris (Joan Miró) ou o Eurocity Madri-Paris (Francisco de Goya). Estes trens chegam à estação Austerlitz.

De lá se pega o metrô até Gare du Nord, onde é possível abordar o serviço expresso noturno a Copenhague, com transbordo em Colônia ou Hamburgo na Alemanha. Soa cansativo… mas é um passeio realmente recomendável!

Os trens TGV percorrem os trechos Espanha-Dinamarca, Itália-Dinamarca, França-Dinamarca e Alemanha-Dinamarca. O trajeto Copenhague-Hamburgo pode ser percorrido em pouco menos de 4 horas e meia. Fonte: Divulgação

quinta-feira, 30 de abril de 2020

Trem Palácio Sobre Rodas - Índia

O Palace on Wheels é a melhor maneira de explorar a Índia. Uma semana longa viagem deste trem de luxo oferece os melhores locais para visitar, no estado de Rajasthan . O nível de conforto supremo desses trens é apenas inexplicável. A viagem começa a partir de Nova Deli levando passageiros para Jaipur , no segundo dia. Popularmente conhecida como a cidade rosa da Índia, Jaipur é famosa por seus palácios, fortalezas, jóias, passeios de elefante e artesanato.

A viagem continua então a uma série de parques nacionais, Jodhpur , excursões ao redor Pichhola Lake e também visitar as estruturas de arenito mil anos de idade de Jaisalmer . Agra é o último destino que permite que os turistas explorar uma das Sete Maravilhas do Mundo e um Mundial da UNESCO Heritage Site - Taj Mahal. O Palace on Wheels é a melhor forma de saborear o aspecto tradicional da Índia.

sábado, 18 de abril de 2020

Sinalização Embarcada - Segurança Máxima Via Satélite

ARINC Railway Net SM é uma solução de rede e mensagens projetado para aumentar a segurança e confiabilidade no setor ferroviário e ajudar as ferrovias a atender aos requisitos de controle de trens positivo (PTC) conforme pela Lei de Melhoria da Segurança Ferroviária. Uma plataforma de rede e mensagens para trens de passageiros e de mercadorias. A nova solução foi projetada pelo setor ferroviário atender aos requisitos de controle positivo de trem via satélites e pontos base em terra.


Construído sobre a infraestrutura de missão crítica da mesma Rockwell Collins invocado pelos clientes da aviação em todo o mundo há mais de 80 anos, ARINC RailwayNet℠ pretende abordar os desafios técnicos de adoção PTC, oferecendo um serviço hospedado para linha regional e suburbano de ferrovias na América do Norte. Fonte: RailwayNet



terça-feira, 14 de abril de 2020

Retificadora de Trilhos Linsinger construída na Áustria

Linsinger Áustria, é uma empresa global que se estabeleceu através da inovação em um nicho de mercado altamente especializado. Com cerca de 350 funcionários a Linsinger representa uma empresa de porte médio, que forma a espinha dorsal da estrutura de economia austríaca.

As máquinas produzidas na fábrica nacional são 98% exportados, o seus principais mercados na Ásia, os países da UE e da Rússia. A Linsinger está para cooperação a longo prazo com os clientes, realizado através de produtos de primeira classe e um serviço ao mais alto nível.


A partir das experiências combinadas de Fresagem e tecnologia de corte de foco resultou na tecnologia ferroviária, desenvolvido com base em veículos de tecnologia mais avançadas do mundo para o processamento e manutenção de trilhos.

A gama de produtos é completada com a tecnologia de ferramentas que é exclusivamente para máquinas Linsinger disponíveis. Fonte: Linsinger


quinta-feira, 9 de abril de 2020

Chicago põe fogo em trilhos para manter trens funcionando no frio de -22ºC

Com o frio intenso em Chicago (EUA) causado pelo vórtice polar, que baixou as temperaturas na cidade para -22ºC, com sensação térmica de -44ºC, os trilhos do sistema ferroviário da cidade estão em chamas para evitar que os trens parem. A Metra, responsável por administrar o sistema ferroviário metropolitano de Chicago, está usando um aparato que gera chamas e calor nos trilhos para evitar a ferrugem e os problemas causados pelo frio que podem interromper o serviço de trens.

Sistema de chamas funciona em ferrovia da Metra, perto da estação Western Avenue, em Chicago Imagem: Kiichiro Sato/AP Fonte: UOL

quinta-feira, 2 de abril de 2020

Trem CAT - City Airport Train

O CAT leva apenas 16 minutos sem parar para ir do centro de Viena para o aeroporto e vice-versa. O City Airport Train opera diariamente das 05:36 a 23:39  O Terminal de Aeroporto City está apenas a 10 minutos da Catedral de St. Stephan na estação Wien Mitte, que pode ser facilmente alcançada de elétrico, metrô, ônibus ou táxi. 



O Trem oferece uma viagem confortável e relaxante nos vagões de dois andares com ambiente conectável e assentos de primeira classe. Os monitores localizados no interior dos carros de passageiros, fornecem informações online sobre partidas e chegadas. Fonte: CAT


segunda-feira, 23 de março de 2020

Turismo Sobre Trilhos

As viagens turísticas de trem pela Europa são uma tradição, mas no Brasil também há belos roteiros para se desfrutar sobre trilhos, em que as paisagens e a história se revelam de forma peculiar.

“O passeio de trem tem como diferencial a atmosfera nostálgica. As pessoas que fazem sempre têm uma relação histórica com o trem, seja um avô que foi ferroviário, seja por ter utilizado o transporte na infância ou mesmo por curiosidade”, diz o gerente.


Os passeios mostram a diversidade cultural do Brasil e alguns deles são regados a música típica local. Em ferrovias centenárias, mas com maquinário moderno, seja em Marias Fumaças ou trens atuais, de vagões standard, turísticos ou luxuosos com decoração de época, eles remetem a épocas em que esse era o único meio de transporte.

“No País existem grandes roteiros de trem e a procura cresce a cada ano. Na região Capixaba se vê as tradições das colônias portuguesas, espanholas e italianas; em Curitiba a riqueza da paisagem da Serra do Mar; no Pantanal a cultura indígena; no Rio Grande do Sul a cultura do vinho; e em São João Del Rei a história do País. Essas atrações fazem com que os turistas se encantem com os passeios de trem”, comenta Rogério Nunes, gerente da Serra Verde Express.

Pontos turísticos e receptivos em todos os roteiros enriquecem a viagem, seja pela gastronomia típica da região, natureza exuberante ou arquitetura de época das cidades.

“Embora não haja uma forte cultura turística de trens no País, é um produto mundial muito bem visto, com muitos estrangeiros explorando os nossos passeios, e os brasileiros também já se encantaram”, analisa Nunes.

Uma das mais consagradas rotas turísticas ferroviárias do País é o Trem da Serra do Mar, que proporciona ao passageiro um cenário de uma porção quase intocada da Mata Atlântica, com montanhas, túneis, pontes e picos que ligam a cidade de Curitiba ao litoral de Estado. Por ano, cerca de 200 mil pessoas desfrutam do passeio. Fonte: Divulgação


domingo, 15 de março de 2020

Transporte Público e Corona Vírus

Com o início da transmissão local do Covid-19 no Rio de Janeiro, anunciada na quarta-feira (11), e a entrada do plano de contingência, os meios de transporte coletivo da cidade e intermunicipais tomam providências para evitar o contágio em terminais e vagões onde há circulação de muitas pessoas.

No dia 13 representantes das empresas de ônibus intermunicipais e interestaduais que operam no Terminal Rodoviário Novo Rio farão uma reunião com representantes do governo do estado para definir as ações de prevenção. O terminal já disponibilizou álcool gel nas entradas, saídas, sanitários e praça de alimentação e está veiculando campanhas educativas nas TVs espalhadas pelo local.


O MetrôRio informa que segue as normas e recomendações do Ministério da Saúde e apoia ações de outros órgãos. “A concessionária vem monitorando a situação e está veiculando campanhas educativas a fim de orientar os passageiros e colaboradores” além de reforçar a limpeza nos trens e estações.

O VLT Carioca informa que vai liberar automaticamente a abertura das portas para que os usuários não precisem tocar no botão, como ocorre normalmente. A concessionária também intensificou as ações diárias de limpeza das composições, incluindo a desinfecção dos balaústres, fará a limpeza nos aparelhos de ar-condicionado com mais frequência e distribui frascos de álcool gel para os fiscais.

Já a SuperVia, que opera o sistema metropolitano de trens, instaurou ontem um comitê interno para planejar e implementar as ações para mitigar os riscos de contaminação. A concessionária está elaborando material informativo e terá equipes especiais para fazer a desinfecção interna dos trens.

No sistema de barcas, a concessionária CCR disponibilizou dispensers com álcool gel 70% nas estações e iniciou campanha educativa sobre a prevenção contra a propagação do Covid-19. O Departamento Médico da empresa está treinando os funcionários.

Ontem o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que a situação no país ainda não é de epidemia, com 77 casos confirmados. A recomendação é redobrar os cuidados de higiene, manter a etiqueta respiratória e evitar aglomerações e ambientes não ventilados. Fonte: Agência Brasil



terça-feira, 10 de março de 2020

Primeiro trem do mundo movido a hidrogênio - Coradia iLint - Alstom

A Alstom realizou com êxito o primeiro teste a 80 km/h, o único trem de passageiros movido com célula de combustível de hidrogênio com o Coradia iLint, no seu próprio circuito de testes em Salzgitter, na Baixa Saxónia, Alemanha. Uma extensa campanha de testes será realizada na Alemanha e na República Tcheca nos próximos meses antes de a Coradia iLint realizar suas primeiras provas de passageiros na rota Buxtehude-Bremervörde-Bremerhaven-Cuxhaven, Alemanha à partir de 2018. 

   Alstom recibe el mayor pedido de trenes de pila de combustible de ...

Os ensaios de quatro semanas atualmente em curso em Salzgitter visam confirmar a estabilidade do sistema de fornecimento de energia com base na interação coordenada entre a unidade, a célula de combustível e a bateria do veículo. A potência de frenagem também está sendo testada para verificar a interface entre o freio pneumático e o freio elétrico. 

O iLint Coradia é o primeiro trem de passageiros de piso baixo no mundo alimentado por uma célula de combustível de hidrogênio, que produz energia elétrica para a tração. Este comboio de emissão zero é silencioso e só emite vapor e água condensada. A Coradia iLint é especial por sua combinação de diferentes elementos inovadores: uma conversão de energia limpa, armazenamento de energia flexível em baterias e uma gestão inteligente da potência de tração e energia disponível. Baseado no trem diesel Coradia Lint da Alstom, o Coradia iLint é particularmente adequado para operação em redes não eletrificadas. Permite a operação sustentável do trem enquanto mantém o alto desempenho do trem. 

"Este teste é um marco significativo na proteção ambiental e na inovação técnica. Com a Coradia iLint e sua tecnologia de células de combustível, a Alstom é o primeiro fabricante ferroviário a oferecer uma alternativa de emissão zero para trens de transporte coletivo. Hoje, o nosso novo sistema de tração, até agora comprovado com sucesso no anel de ensaio, é utilizado em um trem pela primeira vez - um passo importante para uma mobilidade mais limpa na Europa ", disse Didier Pfleger, Vice-Presidente da Alstom Alemanha e Áustria. Fonte: Alstom



Tecnologia utilizada nas ferrovias agora nas estradas

Para auxiliar na redução de gases poluentes emitidos por caminhões movidos a diesel, a Siemens e a montadora Scania se uniram para criar um projeto sustentável, capaz de tornar os veículos mais ecológicos.


O projeto resultou em uma rodovia elétrica batizada de eHighway, construída em uma estrada comum com linhas elétricas na parte superior, e usando um caminhão híbrido que absorve a energia dessas linhas, sendo semelhante aos sistemas usados em trens e bondes.

Para fazer a adaptação da tecnologia aos caminhões, a Siemens criou um acoplador de energia que se estende automaticamente da parte superior do veículo, se conectando com linhas elétricas quando os sensores detectam a aproximação.

O projeto não só é benéfico ao meio ambiente, como também é capaz de gerar economia de tempo e dinheiro, pois os caminhões não precisarão fazer paradas para o recarregamento, e não será necessária a construção e manutenção de estações de recarga.

A eHighway foi lançada na Alemanha no último dia 7, em um trecho movimentado ao sul de Frankfurt, com 10 quilômetros de extensão. A tecnologia também está sendo testada na Suécia e em Los Angeles, Estados Unidos, mas em trechos mais curtos. Autoridades alemãs esperam que o resultado seja positivo, levando a eHighway a outras estradas importantes do país.

Mesmo com as linhas de transmissão, os caminhões conseguem manter uma velocidade constante, garantindo um tráfego estável. Caso ele se depare com um veículo mais lento na eHighway, ele poderá se desacoplar, ultrapassar e acoplar novamente. Fonte: eHighway/Siemens e Scania


Solução high-tech digital para consumo de combustível

Você deve ter acompanhado a história sobre a parceria pioneira da GE com a Vale, em que os trens da mineradora seriam otimizados com uma solução digital capaz de reduzir o consumo de combustível, simplificar a operação e seguir um plano de viagem mais eficiente, certo? Hoje, então, é dia de conhecer como o Centro de Pesquisas Global da GE, no Rio de Janeiro, trabalhou na remodelagem do Trip Optimizer a fim de superar adversidades e atender às necessidades específicas da Vale. 


Desenvolvida nos Estados Unidos, a solução é um sistema inteligente que funciona como uma espécie de “piloto automático” para trens. Porém, para ser efetiva para a Vale, precisava ser repensada de acordo com os desafios da Estrada de Ferro Carajás. Foi aí que entrou a expertise dos desenvolvedores do Centro de Pesquisas: depois de estudarem o relevo, a dinâmica de circulação e a rota dos trens, propuseram várias adaptações ao Trip Optimizer dentro do programa piloto na Vale. “Conseguimos simular cenários e estudar alguns parâmetros dos algoritmos que, se ajustados, trariam benefícios em termos de consumo de combustível e eficiência energética”, conta Lucas Malta, líder do programa de tecnologias digitais para Transporte e Aviação do Centro de Pesquisas da GE. Com as mudanças, a operação atingiu aproximadamente 3,65% de economia de diesel!

Graças à possibilidade de customizar a solução, os desenvolvedores da GE puderam acrescentar aplicações à base do Trip Optimizer para uma entrega mais assertiva para a Vale. Com o mapeamento de todo o trajeto, um banco de dados foi criado e, a partir daí, graças à ajuda do Analytics e do Predix, nossos especialistas extraíram informações para aperfeiçoar toda a operação. “Tendo isso em mãos, identificamos quando a locomotiva falhava, considerando diversos parâmetros territoriais e ambientais”, diz Malta. Esse diagnóstico apontou que duas funcionalidades eram essenciais para otimizar a operação: a tecnologia Moving Fence, que permite uma distribuição inteligente de potência das locomotivas, monitorando e gerenciando a aceleração da composição para evitar quebras e paradas não planejadas, e a tecnologia Slowdown, que detecta e automatiza em quais pontos da rota é imprescindível reduzir a velocidade.

Com isso, a Vale conquista outros ganhos importantes: flexibilidade na operação e train handling. “A flexibilidade foi um grande destaque no projeto, pois o cliente desejava mais liberdade na configuração dos trens. O train handling, por sua vez, automatiza o gerenciamento das forças dentro do trem para prevenir rompimentos ao longo dos veículos, algo que acontecia com frequência”, explica Gabriel Gleizer, engenheiro de controle e automação do Centro de Pesquisas da GE. Quem diria que o transporte ferroviário poderia ser tão high-tech?


Os resultados excepcionais do projeto refletem um esforço colaborativo e integrado. Parcerias com o Centro de Pesquisas americano da GE são corriqueiras nesses casos, já que as unidades fazem parte de uma rede que abrange o mundo todo. “O desenvolvimento coletivo de ferramentas com utilidade global, criadas a partir de uma demanda local, dá um gosto a mais”, pondera Gleizer. “O espírito da GE está muito atrelado a essa migração de soluções de certos projetos para outros, favorecendo a produtividade ao mesmo tempo que gera trocas muito significativas entre as diversas verticais”, acrescenta.

Hoje, já existem outras soluções capazes de deixar a operação ferroviária ainda mais eficiente e produtiva. O LocoVision, por exemplo, pode gravar imagens em HD a partir de uma câmera posicionada na frente do trem para depois analisá-las e reunir informações para a otimização do trajeto. O GoLINC permite que as operadoras reúnam dados de sensores e câmeras para entender melhor o fluxo do tráfego ferroviário e o estado dos trilhos, possibilitando tomar decisões mais inteligentes.

As condições de automação também estão em pleno processo de evolução. “Atualmente, boa parte do trabalho do Centro de Pesquisas é reduzir a necessidade de intervenção humana na condução do trem, que com o Trip Optimizer já é de apenas 20% do tempo em média. Para o futuro, o plano é garantir uma solução totalmente autônoma, em que o trem seja apenas monitorado remotamente”, diz Lucas Malta. Se dá para imaginar, dá para fazer!

A GE está fazendo história ao antecipar o futuro do transporte ferroviário no mundo inteiro. Acompanhe o GE Reports Brasil e fique por dentro! Fonte: GE


sábado, 7 de março de 2020

Conheça as mais Incríveis Estações de Trens Pelo Mundo

Nos séculos passados, viajar de trem costumava ser a única opção e muito era investido nas estações para parecerem as maiores e mais imponentes possíveis, tornando-se símbolos do império e da riqueza de cada cidade e país. Hoje em dia, muitas estações de trem tornam-se não só um ponto de chegadas e partidas durante uma viagem, mas viram mesmo atrações turísticas por si só. Fonte: TransTrilhos/Divulgação


 Estação Central da Antuérpia, Bélgica


 Estação de Dunedin, Nova Zelândia


 Estação Central de Helsinque, Finlândia


 Estação de São Bento, Porto, Portugal


 Gare du Nord, Paris, França


 Grand Central Station, Nova York, EUA


 Union Station, Los Angeles, EUA


King’s Cross Station, Londres, Inglaterra


 Estação de Sirkeci, Istambul, Turquia


 Estação Ferroviária do Rossio, Lisboa, Portugal


 Estação de Atocha, Madrid, Espanha


 Estação Central de Amsterdam, Holanda


 Estação Chhatrapati Shivaji, Mumbai, Índia


 Denver Union Station, Colorado, EUA


 Halifax Railway Station, Inglaterra


 Tren del Fin del Mundo, Ushuaia, Argentina


 Estação de Kanazawa, Japão


 Estação Central de Maputo, Moçambique


 Estação de Haydarpasa, Istambul, Turquia


 Estação Central de Berlim (Hauptbahnhof), Alemanha


 Estação da Luz, São Paulo, Brasil


 Estação Ferroviária de Kuala Lumpur, Malásia


 Gare de Strasbourg, Estrasburgo, França


 Estação Central de Lviv, Ucrânia


 Estação Keleti, Budapeste, Hungria


 Estação Central de Groningen, Holanda


 Estação de Calatrava, Liège, Bélgica


Gare de Limoges-Bénédictins, Limoges, França


 Estação de Hua Hin, Tailândia


 Southern Cross Station, Melbourne, Austrália



domingo, 23 de fevereiro de 2020

VLI - Equipamentos de manutenção ferroviária

A VLI, empresa especializada em operações logísticas que integram ferrovias, portos e terminais, colocou em operação na Ferrovia Norte Sul (FNS) dois novos equipamentos: um caminhão ultrassom e um guindaste ferroviário, que prometem trazer ganhos em segurança e produtividade aos trabalhos de manutenção ferroviária. As aquisições fazem parte do Programa de Mecanização de Via Permanente, que busca ampliar o uso de máquinas em serviços realizados na malha ferroviária administrada pela companhia.

Foto: MRS

O caminhão ultrassom, montado no Brasil com peças fabricadas na República Tcheca, permite identificar com maior precisão a vida útil dos trilhos, e tem o objetivo de evitar ocorrências ferroviárias. Desde que entrou em operação, o ultrassom já percorreu mais de 100 km da FNS.
Já o guindaste ferroviário traz mais agilidade no atendimento a demandas que envolvam o içamento de vagões, locomotivas ou materiais pesados. O equipamento de fabricação alemã tem capacidade para 225 toneladas e é o maior da categoria no Brasil.

Sobre a VLI

A VLI tem o compromisso de apoiar a transformação da logística no País, por meio da integração de serviços em portos, ferrovias e terminais. A empresa engloba as ferrovias Norte Sul (FNS) e Centro-Atlântica (FCA), além de terminais intermodais, que unem o carregamento e o descarregamento de produtos ao transporte ferroviário, e terminais portuários situados em eixos estratégicos da costa brasileira, tais como em Santos (SP), São Luís (MA) e Vitória (ES). A VLI transporta as riquezas do Brasil por rotas que passam pelas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste. Fonte: Burson-Marsteller - Corporate Communications


domingo, 16 de fevereiro de 2020

Trens Vossloh

Como um dos principais fabricantes da indústria ferroviária da Europa, podemos projetar e construir locomotivas, bem como comboios de passageiros. Intimamente ligada com a herança industrial de ferrovias e com o benefício de mais de um século de experiência, nosso objetivo é projetar e fabricar tecnologia avançada, locomotivas de alta performance para presentes e futuras redes de transportes públicos, para criar novos conceitos de veículos de passageiros e para prestar serviços de manutenção abrangentes.


quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Trens ficam verdes: foco na bateria e hidrogênio

Em fevereiro de 2020, recebemos um pedido de onze trens regionais com bateria para o Zweckverband Verkehrsverbund Mittelsachsen (VMS) na Alemanha. Estes são os primeiros trens a bateria encomendados à Alstom. A oferta de hidrogênio e bateria é um marco importante para a Alstom, pois prova ainda mais nosso papel central no mercado de mobilidade livre de emissões. Alcançamos nossos marcos e as próximas etapas para soluções sem emissões com a Brahim Soua, VP Regional Rolling Stock Platform.


Nosso foco em energia sustentável trouxe soluções verdes para a vanguarda da atenção. O pedido da Zweckverband Verkehrsverbund Mittelsachsen (VMS) na Alemanha é o primeiro da Alstom. A oferta de soluções de hidrogênio e bateria representa um marco importante para a empresa, pois comprova ainda nosso papel central no mercado de mobilidade livre de emissões. Ao mesmo tempo, já estamos trabalhando para levar nosso Coradia iLinta diferentes países: por exemplo, ele será testado na Holanda. Isso demonstra que a tecnologia de hidrogênio da Alstom é totalmente adaptável a diferentes países, pronta para atender à crescente demanda por transporte ecológico.

Podemos ter muito orgulho de ser pioneiros neste campo. A Alstom tem dois trens pré-seriais que estão em serviço comercial na Alemanha há mais de um ano. A experiência que adquirimos nos permitiu oferecer um sistema otimizado de hidrogênio completo, que inclui material circulante, manutenção e suprimento de hidrogênio com um parceiro. A Alstom assinou dois contratos para trens movidos a células a combustível de hidrogênio. O primeiro é para 14 trens na região alemã da Baixa Saxônia. O segundo, também na Alemanha, para 27 trens para a área metropolitana de Frankfurt. Falando sobre soluções de bateria, já temos muita experiência com nosso Coradia iLint. Nós adaptamos a linha Coradia para operar com todos os sistemas de energia livres de emissão disponíveis, de células de combustível elétricas a baterias e de hidrogênio. O Coradia iLint é alimentado por células de combustível e oferece um desempenho comparável a um trem a diesel, emitindo apenas água. Embora o trem iLint seja movido a hidrogênio, ele usa baterias como parte do sistema de tração. Outros exemplos incluem o bonde Citadis em Nice, por exemplo, a locomotiva Prima H3 e nossos ônibus elétricos Fonte: Alstom
 .