segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

Marcopolo Rail Avança no Setor Metroferroviário com lançamento do seu VLT

Caxias do Sul (Rio Grande do Sul) – 16 de dezembro de 2020 – Alinhada com o propósito de melhorar a experiência de vida por meio da mobilidade, a Marcopolo Rail, spin-off da Marcopolo Next focada no desenvolvimento de novos Modais Sobre Trilhos, lançou hoje o seu primeiro veículo leve sobre trilhos (VLT), que operará em uma rota turística do cliente Giordani Turismo, no sul do País. Chamado Prosper VLT, o modelo será produzido junto ao complexo industrial da Marcopolo, em Caxias do Sul (RS), em fábrica específica para trens, e terá versões para atender também aos sistemas de transporte urbanos e intercidades.


“Com este lançamento, avançamos na nossa nova frente de negócios relacionada ao setor metroferroviário, em linha com as atuais demandas de mobilidade do Brasil, no sentido de promover deslocamentos de alta capacidade com velocidade, eficiência e conforto, ampliando nosso portfólio de modais”, afirma James Bellini, CEO da Marcopolo.

“Aportamos a nossa expertise global em transporte coletivo neste novo projeto, pois acreditamos que os vários meios de transporte podem se complementar, contribuindo para a gestão pública da mobilidade, a redução de custos e tarifas e a melhoria da fluidez do trânsito nas cidades”, acrescenta.

A Marcopolo Rail é uma spin-off da Marcopolo Next, divisão de novos negócios da companhia focada no futuro da mobilidade. O primeiro produto sobre trilhos do grupo nasceu com o desenvolvimento de caixa para o People Mover Aeromóvel (tecnologia para vias elevadas), finalizada em novembro de 2017.

Em 2019, integrada à Next, a Marcopolo Rail iniciou um novo ciclo de ampliação de seu portfólio, que começará com este lançamento do Prosper VLT e seguirá pelos próximos anos com novas soluções.

Na visão da empresa, trata-se de um mercado com grande potencial. O transporte metroferroviário está presente em apenas 13 regiões metropolitanas, de um total de 63 de médio e grande porte no País. E, apesar de atender mais de 11 milhões de passageiros por dia, ainda assim, apresenta capacidade abaixo da demanda, segundo o estudo Setor Metroferroviário Brasileiro da ANPTrilhos.

“Com o Prosper VLT, preenchemos uma lacuna no mercado brasileiro por meio da fabricação de um veículo 100% nacional nesta categoria e, portanto, bastante competitivo tanto no Brasil quanto para a América Latina”, relata Petras Amaral, business head da Marcopolo Next e executivo responsável pela Marcopolo Rail.

De acordo com o executivo, o Prosper VLT é fruto de uma ampla pesquisa de mercado realizada no Brasil e América Latina e deverá atender aos segmentos urbano, intercidades e turístico. O produto apresenta diversas vantagens como baixo custo de operação, longa vida útil e alta capacidade de transporte de passageiros. Uma composição de 4 carros poderá levar até 760 passageiros na versão urbana.

“Com uma grande capacidade de customização, a Marcopolo Rail terá várias frentes de atuação: fabricação de People Movers, VLTs, carros de passageiros e uma divisão de Projetos Especiais para reformas e modernização de trens”, complementa Amaral.

A concepção do produto teve como foco a sinergia com as instalações industriais, com a cadeia de fornecedores de matérias primas e peças, além de mão-de-obra especializada. O desenvolvimento do projeto envolveu profissionais com know-how ferroviário e times multidisciplinares de várias áreas da Marcopolo, para garantir o atendimento dos padrões internacionais desta indústria. 

“O Prosper VLT entregue à Giordani Turismo foi configurado para o atendimento ao transporte turístico ferroviário. Foi fator determinante para essa escolha a trajetória de qualidade dos produtos e a tradição da Marcopolo”, afirma Susana Giordani, diretora da Giordani Turismo.

Prosper VLT: moderno e versátil

O Prosper VLT é um veículo leve sobre trilhos de embarque em nível, versátil e desenvolvido para atender os mais diversos projetos de transporte ferroviário de passageiros. Foi desenvolvido com foco em baixos custos de implementação ou recuperação de sistemas existentes e baixos custos de operação, aliados a design moderno e conforto.

As propulsões podem ser a diesel, com baixa emissão ou híbrido (diesel ou GNV + elétrico). Pode ser constituído por composições de até quatro carros de 18 metros de comprimento, nas versões urbanas, turismo e intercidades. É bidirecional e pode ser produzido para circular em bitola métrica, standard ou larga.

Dados técnicos do Prosper VLT

• Altura interna: 2.384 mm

• Largura interna: 2.700 mm

• Sistema Automotriz

• Plataforma de embarque: 1,10m

• Posto para cadeirante: um em cada carro (0,8 m X 1,2 m)

• Número de portas: até 6 portas laterais de cada carro (1.750 mm x 1.930 mm)

• Saídas de emergência: 4

• Conformidade com as normas internacionais

• Interface em tempo real: rotas, mídia, GPS, ethernet, telas etc


Capacidade de Passageiros por composição de quatro carros


Versão Urbana -760

Versão Intercidades - 280


Sobre a Marcopolo

Fundada há 71 anos em Caxias do Sul (RS), o Grupo Marcopolo é líder na fabricação de carrocerias de ônibus no Brasil e posiciona-se entre as maiores fabricantes do mundo. A companhia investe de forma contínua em aprimoramento, tecnologia, design e expansão, produzindo soluções que contribuem para o desenvolvimento do transporte coletivo de passageiros. Com fábricas nos cinco continentes, os veículos produzidos pela empresa rodam nas estradas de mais de cem países.


Sobre a Giordani Turismo

A Giordani Turismo foi fundada há 28 anos e desde então atua no turismo ferroviário cultural. Opera o passeio turístico entre Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa, proporcionando experiências memoráveis aos turistas que vem a serra gaúcha. Opera também o Parque Cultural Epopeia Italiana, que conta a saga da imigração italiana em nosso país. A agência prima pela excelência dos seus produtos e serviços. Crédito das imagens: Julio Soares Fonte: Marcopolo

terça-feira, 8 de dezembro de 2020

Trem de metrô Alstom

Composição Alstom Metropolis, metrô de Riyadh em sua fábrica de Katowice, na Polônia, o trem Metropolis destinada à Linha 6 é a quinta que a Alstom produziu para Riade. A Alstom está fornecendo 69 trens de dois carros para as linhas 4, 5 e 6 como parte do consórcio FAST, que também inclui FCC, Samsung C & T, Freyssinet Arábia Saudita, Strukton, Setec e Typsa. A parte da Alstom de € 1, 2 bilhões em um total de € 6 bilhões, também inclui o fornecimento de sinalização Urbalis CBTC, fontes de alimentação e seu sistema de recuperação de energia HESOP.


Os trens com 36 m de comprimento e 2 710 mm de largura, a decoração externa e interna corresponderá às cores das linhas: amarelo para a linha 4, verde para a linha 5 e roxo para a linha 6. Isto destina-se a tornar o metrô mais fácil de usar para os residentes que não estão habituados a este modo de transporte. Fonte: Alstom


sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Trem Mireo Plus H - Hidrogênio

A operadora ferroviária nacional alemã Deutsche Bahn (DB) anunciou que está desenvolvendo um trem movido a hidrogênio com o objetivo de substituir os trens a diesel, informou a CNBC. A empresa está se unindo à Siemens Mobility em um novo trem, chamado Mireo Plus H, que será movido por células de combustível de hidrogênio e baterias de íon-lítio. Ele viajará entre Tübingen, Horb e Pforzheim, no estado alemão de Baden-Württemberg, com testes programados para começar em 2024.

O Mireo Plus H terá um alcance de até 600 km, ou cerca de 373 milhas, e atingirá uma velocidade máxima de cerca de 100 MPH. A Deutsche Bahn calcula que apenas o teste impedirá que cerca de 330 toneladas de dióxido de carbono entrem na atmosfera.

Além do elemento de transporte, a Deutsche Bahn também está procurando desenvolver e testar a infraestrutura de trens de hidrogênio. Para isso, está reformando uma de suas instalações de manutenção para servir de posto de abastecimento e manutenção do trem.

A empresa planeja criar hidrogênio por eletrólise, usando eletricidade para dividir a água em oxigênio e hidrogênio. Embora esse processo seja totalmente ecológico (dependendo da fonte de eletricidade), é altamente ineficiente em comparação com a tecnologia moderna BEV (veículo elétrico a bateria). Também é caro transportar e armazenar hidrogênio.

Mesmo assim, os trens a hidrogênio foram testados com sucesso e estão ganhando força rapidamente em partes da Europa. Como está agora, a Alstrom já está operando um serviço comercial de trem a hidrogênio para passageiros na Áustria e também fez testes bem-sucedidos na Holanda . Além disso, os trens de hidrogênio Coradia iLint da Alstom concluíram com sucesso os testes na Alemanha e estão em serviço regional de passageiros na Alemanha desde 2018.

Os testes de 2024 são um grande negócio, no entanto, já que a DB é uma transportadora nacional e um teste bem-sucedido é a chave para seus planos de carbono neutro. Atualmente, opera 1.300 trens a diesel em serviço regional e 40 por cento de sua rede ferroviária de 33.000 km não é eletrificada, observou a empresa. “Precisamos reduzir nosso consumo de combustível fóssil a zero”, disse Sabina Jeschke, membro do conselho do DB. “Só então o DB poderá ser neutro para o clima até 2050. Nesse ponto, não teremos um único trem movido a diesel operando em nossa frota.” Fonte Siemens

sábado, 14 de novembro de 2020

Nova Esmirilhadora de Trilhos Metrô de São Paulo

O novo trem esmerilhador que vai servir três linhas do Metrô de São Paulo foi entregue para a operação na quarta-feira, 11 de novembro. Em um evento simbólico que contou com a participação do presidente da Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô, Silvani Pereira, no pátio do Jabaquara. Além da entrega do novo equipamento, três operadores foram simbolicamente homenageados pela empresa. Os colaboradores irão trabalhar diretamente com o novo trem.


Em comparação ao antigo trem que presta o mesmo serviço, o novo equipamento conta com melhorias tecnológicas. Além disso, esse trem poderá prestar serviços remunerados para outras empresas, como por exemplo para a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, o que poderá ajudar no caixa da empresa.

O equipamento terá vida útil de 30 anos e vai servir para:
Corrigir ondulação/corrugação de 2mm em 100 m de via por hora de trabalho;
Reperfilamento de 1mm de profundidade em 100 de via por hora de trabalho;
Executar rebarbação de 600 m de via por hora de trabalho;
Após a correção, o acabamento superficial do trilho deverá possuir rugosidade mázima de 15mm, independente da condição inicial do trabalho.
O veículo deverá ainda, estar apto a executar os trabalhos em áreas de amv (aparelho de mudança de via) de qualquer tipo de procedência. Fonte: Metrô de São Paulo


segunda-feira, 2 de novembro de 2020

Trem de passageiros no Ártico - Rússia

O primeiro trem de passageiros passando pela região russa do Ártico com destino à Noruega está previsto para sair da estação de São Petersburgo nesta quarta-feira (5) levando 91 passageiros em uma viagem de testes inaugural. "O Ártico fascina todo mundo", disse Nurlan Mukash, diretor-executivo do grupo turístico alemão Lernidee Erlebnisreisen, por trás do projeto.


"O destino já foi explorado por agências de turismo canadenses e norueguesas, mas não foi o caso da Rússia", acrescentou. O trem, denominado "Zarengold" ("O ouro dos czares", em alemão), dotado inclusive de dois vagões restaurantes, fará o trajeto a partir de São Petersburgo passando por Petrozavodsk, a cidade histórica de Kem e Murmansk.

Em Murmansk, de longe a maior cidade do norte do Círculo Ártico, os turistas vão desembarcar e seguir de ônibus para Kirkenes, na Noruega, antes de terminar a viagem de barco até Oslo ou de avião até a ilha de Spitsbergen. A viagem completa levará 11 dias e permitirá aos passageiros conhecer áreas de difícil acesso por outros meios, segundo os organizadores.

Para a viagem de teste inaugural, os 91 turistas vieram de sete países, incluindo Estados Unidos, Alemanha, Noruega e Rússia. "No futuro, esperamos a partida regular de trens", disse Mukash, acrescentando que a composição deve sair duas vezes por ano e quatro vezes em 2021.

Com o derretimento das geleiras provocado pelo aquecimento global, a Rússia espera se tornar a maior potência econômica e militar do Ártico, com a exploração de novas rotas comerciais. Fonte: AFP/EM


segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Veículo Leve Sobre Trilhos ACR - Acumuladores de Carga Rápida

Trem Leve Sobre Trilhos ACR - Acumuladores de Carga Rápida - capaz de operar sem catenária, sem terceiro trilho, sem alimentação pelo solo e sem baterias convencionais. O veículo - que já opera em Sevilha e em Saragoça -possui um pantógrafo que só se eleva durante as paradas, para uma carga rápida de 20 segundos.


A carga é feita em uma seção de catenária com o mesmo comprimento do VLT. Uma vez carregados, os acumuladores dão ao veículo autonomia de 1.400 metros, mais que suficiente para chegar à próxima estação e carregar de novo. Um sistema de recuperação de energia na frenagem complementa a alimentação dos motores de tração. O ACR foi desenvolvido pela Trainelec, empresa do grupo CAF. Fonte: CAF Vídeo/Foto: Silvério Borges




quarta-feira, 7 de outubro de 2020

Via Rail Trains

VIA Rail Canada popularmente chamada de VIA Rail ou VIA é uma corporação pública controlada pelo governo do Canadá. A empresa é responsável por administrar a maior parte do transporte ferroviário interurbano de passageiros no país.

A VIA Rail opera trens em oito províncias canadenses - todas com exceção da Terra Nova e Labrador e a Ilha do Príncipe Eduardo. numa rede que compreende 12.500 km de trilhos. Anualmente são transportados 4,1 milhões de passageiros, a maioria dos quais no corredor Quebec City - Windsor. Fonte: Via Rail


quarta-feira, 16 de setembro de 2020

Amtrak quase 50 anos de história americana

A Amtrak tem mais de 40 anos de história americana, estamos orgulhosos dos esforços que colocamos no serviço ferroviário de passageiros. Desde o início das operações em 1971, trabalhamos incessantemente para transformar uma forma clássica de transporte, preservando os aspectos da viagem ferroviária que são intemporais, enquanto modernizamos aqueles que estão mais tempo em serviço para isso. O ano fiscal de 2015 marcou o quinto ano consecutivo em que o número de passageiros excedeu 30 milhões de passageiros - prova, se for necessário, de que o amor de longa data da América ainda abraça nosso modo de transporte clássico e moderno em sua forma moderna. Fonte: Amtrak



sábado, 12 de setembro de 2020

Operação automática

Veja parte do automatismo e simulação de pilotagem no tráfego de trens do metrô de São Paulo, na linha 4 amarela mais precisamente, os trens são totalmente automatizados sendo monitorados a distância pelos controladores de tráfegos ou condutores de trens a distância conforme enfatizado na reportagem.


Os simuladores de treinamento leva aos funcionários a mais próxima realidade do dia a dia das composições em circulação e de como atuar em caso de pane e avaria. Em caso extremo de pane ou algum tipo de avaria, um piloto de metrô ou condutor de trem, pode pilotar o trem localmente com total segurança, continuando a viagem normalmente. O Metrô Rio também conta com simulador de pilotagem como treinamento. Fonte: Metrô de São Paulo/Olhar Digital


domingo, 23 de agosto de 2020

Metrô da China começa a instalar displays transparentes da LG em seus trens

Aos poucos aproximamo-nos daquele futuro que foi desenhado por filmes de ficção cientifica nos anos 2000. Os ecrãs (ou televisões) transparentes, parece algo tirado o "Minority Report" e que agora começa a ser implementado no nosso mundo.

Aliás, ainda há pouco a Xiaomi revelou-nos uma televisão totalmente transparente. Inicialmente não vemos muitas vantagens neste tipo de gadget, contudo, basta pensar um pouco mais para percebermos a sua utilidade.
Ecrã transparente da LG chega aos trens na China


As primeiras cidades que se gabarão de ter ecrãs transparentes nos seus comboios será Pequim e Shenzhen. O objetivo é que estes ecrãs sejam dispostos nos locais das janelas e mostrem informações importantes sobre a viagem. Além de termos as paragens do comboio, os passageiros terão informações como tempo, notícias ou até informações de voos.

O painel de 55" polegadas será perfeito para este cenário informativo. Não só a televisão é grande como as informações serão mais visíveis que os típicos autocolantes que temos nos nossos comboios.
O futuro dos ecrãs transparentes

A LG acredita que estes ecrãs OLED transparentes serão parte do nosso futuro. Não só nos trens como em carros autónomos, aviões, em casas inteligentes ou até em escritórios inteligentes.

Verdade seja dita, não me importava de ter uma paisagem interativa. Algo que pudesse ver televisão e quando a desligasse fosse uma autêntica janela para a rua.

As possibilidades são inúmeras e este é o início de algo novo. Mais uma vez, a China é vanguardista tecnológica. Ainda que a LG seja sul-coreana, os chineses são aqueles que mais querem viver no futuro. Exemplo disso é o formato de pagamento a dinheiro que está praticamente esquecido num país de mil milhões de habitantes. Fonte: Filipe Alves 4gnews



sábado, 22 de agosto de 2020

Conheça as mais Incríveis Estações de Trens Pelo Mundo

Nos séculos passados, viajar de trem costumava ser a única opção e muito era investido nas estações para parecerem as maiores e mais imponentes possíveis, tornando-se símbolos do império e da riqueza de cada cidade e país. Hoje em dia, muitas estações de trem tornam-se não só um ponto de chegadas e partidas durante uma viagem, mas viram mesmo atrações turísticas por si só. Fonte: TransTrilhos/Divulgação


 Estação Central da Antuérpia, Bélgica


 Estação de Dunedin, Nova Zelândia


 Estação Central de Helsinque, Finlândia


 Estação de São Bento, Porto, Portugal


 Gare du Nord, Paris, França


 Grand Central Station, Nova York, EUA


 Union Station, Los Angeles, EUA


King’s Cross Station, Londres, Inglaterra


 Estação de Sirkeci, Istambul, Turquia


 Estação Ferroviária do Rossio, Lisboa, Portugal


 Estação de Atocha, Madrid, Espanha


 Estação Central de Amsterdam, Holanda


 Estação Chhatrapati Shivaji, Mumbai, Índia


 Denver Union Station, Colorado, EUA


 Halifax Railway Station, Inglaterra


 Tren del Fin del Mundo, Ushuaia, Argentina


 Estação de Kanazawa, Japão


 Estação Central de Maputo, Moçambique


 Estação de Haydarpasa, Istambul, Turquia


 Estação Central de Berlim (Hauptbahnhof), Alemanha


 Estação da Luz, São Paulo, Brasil


 Estação Ferroviária de Kuala Lumpur, Malásia


 Gare de Strasbourg, Estrasburgo, França


 Estação Central de Lviv, Ucrânia


 Estação Keleti, Budapeste, Hungria


 Estação Central de Groningen, Holanda


 Estação de Calatrava, Liège, Bélgica


Gare de Limoges-Bénédictins, Limoges, França


 Estação de Hua Hin, Tailândia


 Southern Cross Station, Melbourne, Austrália



terça-feira, 18 de agosto de 2020

Metrô de São Paulo alta tecnologia transportando milhões diariamente

A Companhia do Metropolitano de São Paulo - Metrô foi constituída no dia 24 de abril de 1968. As obras da Linha Norte-Sul foram iniciadas oito meses depois. Em 1972, a primeira viagem de trem foi realizada entre as estações Jabaquara e Saúde. Em 1974, o trecho Jabaquara - Vila Mariana começou a operar comercialmente.


O Metrô de São Paulo possui cinco linhas em operação. Ao todo são 68,5 quilômetros de rede, 61 estações e 154 trens. Em 2015 foram transportados 1,117 bilhão de passageiros no sistema.

Em 2010, foi inaugurado o primeiro trecho da Linha 4-Amarela, a primeira a ser operada em regime de concessão pelo Consórcio Via Quatro. Em 2011, outras quatro estações foram entregues e a Linha 4-Amarela passou a funcionar entre Luz e Butantã. Em 2014, foi entregue a Estação Fradique Coutinho. Atualmente, a linha possui 7 estações, 8,9 quilômetros de extensão, 14 trens e transportou, em 2014, 194 milhões de passageiros.

Em 2014 foi entregue a estação Adolfo Pinheiro da Linha 5-Lilás, ampliando a malha metroviária em 0,9 quilômetros.

Em agosto de 2015 teve início a operação comercial do Monotrilho da Linha 15 – Prata, um sistema de transporte inédito no Brasil. A linha opera diariamente das 4h40 às 00h00, no trecho entre as estações Oratório e Vila Prudente, onde faz integração com a Linha 2 – Verde do Metrô, e possui 2,3 km de extensão. Com isso, a Malha Metroviária da cidade, incluindo a Linha 4 – Amarela, chega a 77,4 quilômetros de extensão e 68 estações.

As Linhas 1-Azul (Jabaquara - Tucuruvi), 2-Verde (Vila Prudente - Vila Madalena), 3-Vermelha (Corinthians-Itaquera - Palmeiras-Barra Funda) e 4-Amarela (Butantã-Luz) funcionam de domingo a sexta das 4h40 à meia-noite e aos sábados das 4h40 à 1h de domingo (consulte os horários de fechamento de cada estação). A Linha 5-Lilás (Capão Redondo – Adolfo Pinheiro) funciona todos os dias (segunda a domingo) entre 4h40 e 00h10. Fonte: Metrô de São Paulo


quarta-feira, 29 de julho de 2020

Japão inaugurou o mais novo trem de alta velocidade com baterias de íons de lítio

O Japão inaugurou no início deste mês o mais novo modelo de trem-bala para ligar Tóquio a Osaka. O N700S é o trem mais rápido do mundo, atingindo 360 km/h durante testes. No entanto, por motivos de segurança, não irá correr mais que 285 km/h com passageiros a bordo em modo de cruzeiro.

O novo trem também tem uma excelente nova bateria de íons de lítio que permitirá que funcione até mesmo em caso de terremotos ou outras situações de emergência. A ideia é permitir que o veículo saia de áreas de risco nestas situações, em especial túneis e pontes, para manter os passageiros em segurança.


A estreia do N700S foi programada para coincidir com a iminência dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. A Olimpíada, porém, foi adiada para 2021 por conta da pandemia do novo coronavírus.

Os Jogos Olímpicos e o transporte ferroviário de alta velocidade têm uma história muito próxima no Japão. A linha Tokaido Shinkansen, na qual o N700S está transportando passageiros, foi inaugurada para a Olimpíada de Tóquio de 1964.

Além da bateria, o modelo traz novos confortos para passageiros. Todas as poltronas têm maior reclinação e uma tomada própria. O espaço de armazenamento de bagagem também foi ampliado, um conforto a mais para os passageiros. Fonte: Divulgação

domingo, 12 de julho de 2020

Itália transforma pneus usados em dormentes e trilhos sustentáveis para produção de energia limpa

A Greenrail, com sede em Milão, desenvolveu uma tecnologia que permite a fabricação de dormentes ferroviários com “matérias-primas secundárias”.
Essa solução usa energia solar e reduz sensivelmente a poluição causada ao meio ambiente por plásticos usados e pneus, além de transformar e melhorar a qualidade da mobilidade urbana.


Em todo o mundo, viajar de trem é uma forma de transporte incrivelmente popular. Na melhor das hipóteses, pegar o trem pode ser uma maneira prática, relaxante e gentil de viajar, e muitos milhões de pessoas confiam nas ferrovias para levá-las ao trabalho todos os dias, principalmente as pessoas da Europa. 

Os dormentes Greenrail são dormentes ferroviários que têm as mesmas características mecânicas que os dormentes tradicionais de concreto armado, que representam o padrão no mercado atual”, Giovanni de Lisi, CEO da empresa, disse à CNBC “Sustainable Energy”.

“Eles são feitos principalmente de plástico reciclado: plástico urbano e pneus velhos reciclados”, acrescentou De Lisi. Ele afirmou ainda que cada quilômetro de linha ferroviária fabricado pela Greenrail permitia a reciclagem de 35 toneladas de plástico e pneus usados.

A empresa também diz que um trilho da Greenail pode incorporar painéis fotovoltaicos para permitir a captação de energia solar. “A idéia do Greenrail Solar nasceu da vontade de transformar as infraestruturas ferroviárias de infraestruturas passivas em infraestruturas ativas”, acrescentou de Lisi.

“Os trilhos da ferrovia são expostos ao sol 90% das vezes – daí vem a ideia de coletar energia solar e transformá-la em eletricidade”, acrescentou.

O Ceo da Greenrail, Firas Bunni, disse à CNBC que, para cada quilômetro de trilhos solares, uma quantidade estimada de 30 a 35 megawatts / hora por ano de energia pode ser produzida, o suficiente para atender às necessidades médias de 10 casas italianas anualmente.

Assim sendo, com esta brilhante iniciativa, o meio ambiente sairá ganhando e muito, pois os resíduos plásticos e borrachas de pneus descartados serão reduzidos e reciclados no país. Com esta inovação tecnológica teremos a criação de energia limpa, progressos que ajudarão a termos um mundo bem mais sustentável. Fonte: Revista Sensivelmente

domingo, 5 de julho de 2020

Locomotivas são utilizadas no Canal do Panamá

Os navios são dirigidos no interior das eclusas por potentes locomotivas ferroviárias para não se chocarem com as paredes laterais das eclusas. A travessia do Canal é feita por três comportas, onde a água funciona como uma espécie de elevador. Vindo do Atlântico, por exemplo, o navio entra na comporta, com a água no mesmo nível do oceano. As eclusas são fechadas e as válvulas de enchimento são abertas.


A água entra através de poços do piso, elevando o navio 26 metros, até o nível do Lago de Gatún. As válvulas são fechadas novamente e os portões superiores abertos. O navio sai da comporta para o lago. E segue para as outras comportas, onde acontece o processo inverso de descida até o nível do oceano Pacífico. As portas das eclusas são maciças e de aço, sendo as eclusas triplas no lago de Gatún com 140 metros de altura e pesam 745 toneladas cada uma, mas são tão bem contrabalançadas que um motor de 56 kW é suficiente para abri-las.


O lago Gatún está à 26 metros acima do nível do mar, é alimentado pelo rio Chagres, onde foi construída uma barragem para a formação do lago. Do lago Gatún, o canal passa pela falha de Gaillard e desce em direção ao Pacífico, primeiramente através de um conjunto de eclusas em Pedro Miguel, no lago Miraflores, a 16,5 metros acima do nível do mar, e depois, através de um conjunto duplo de eclusas em Miraflores. Todas as eclusas do canal são duplas, assim as embarcações podem passar nos dois sentidos simultaneamente. Fonte: Divulgação




domingo, 21 de junho de 2020

Estação PATH do World Trade Center

A Estação PATH do World Trade Center foi originalmente inaugurada em 19 de julho 1909 como Terminal Hudson. Quando o Terminal Hudson foi demolido para abrir caminho para o World Trade Center, uma nova estação foi construída, inaugurada em 1971. Esta estação serviu de terminal para as linhas Newark-World Trade Center e Hoboken-World Trade Center até que foi destruída durante os ataques de 11 de setembro de 2001.

A estação foi reconstruída em uma estrutura temporária que foi inaugurada em 23 de novembro de 2003. A estação projetada por Santiago Calatrava, ganhou novo nome World Trade Hub Transportation Center, uma estação metroferroviária. Fonte: Capitalnewyork



sábado, 6 de junho de 2020

Trem de Alta Velocidade Lisboa Madrid

Um novo balde de água fria nas expectativas do comboio de alta velocidade entre Lisboa e Madrid, isto segundo o relatório apresentado pela plataforma privada e independente “Sudoeste Ibérico en Redes”. Segundo o seu coordenador, António García Salas: “gostaríamos de poder apontar horizontes mais próximos e estamos conscientes de que muitos podem achar estas datas distantes algo desmoralizadoras”.



A espera de uma reação de ambos os governos, a incerteza quanto aos prazos para a construção da ligação ferroviária entre Lisboa e Madrid (via Estremadura) aumenta devido à pandemia. No entanto, reduzir o número de voos e assentos, bem como as exigências médio ambientais, pode aumentar a competitividade dos comboios como meio de locomoção.

Esta plataforma pretende levantar o ânimo e continuar uma campanha de pressão junto aos poderes públicos. Como objectivo imediato, García Salas propõe que ambos os governos assumam o compromisso de uma linha de comboio adicional a diesel que ligue, por Badajoz, Lisboa a Madrid até 2021. Este pedido deverá fazer parte da “agenda da Cimeira Ibérica de 2020 na Guarda”.

A duração da viagem ferroviária Madrid-Lisboa, cujo actual serviço é prestado pela Lusitânia Express tem uma duração de 11 horas (comboio noturno a diesel por Salamanca). Esta duração poderia ser reduzida para 8 horas em 2021 (se o mesmo partisse por Badajoz), em 2022/2023 seria de 6 horas e meia (com um híbrido diesel/eléctrico), em 2024 esta mesma viagem teria uma duração de cinco horas (comboio eléctrico) e em 2028 o mesmo caminho seria feito em apenas quatro horas (num comboio de alta velocidade). Além disso, a linha atual de Aveiro para a Guarda está programada para ser cortada para obras e os trabalhos de reestruturação da estrada alternativa de Castelo Branco para a Guarda, através da Serra da Estrela, estão muito atrasadas.

O relatório indica que “este novo serviço entre Lisboa e Madrid poderia ser realizado em duas fases: primeiro Badajoz-Madrid em meados do ano de 2021 e depois, no último trimestre de 2021, a conexão completa Lisboa-Madrid”. No entanto, se os atrasos decorrentes da crise afetassem esses prazos, outra opção a tomar seria “estender a rota do actual traço Madrid-Badajoz para Lisboa, sem esperar para poder usar as novas infra-estruturas. Isso já pode ser feito”.

Comboio a hidrogênio

A plataforma sugeriu que “seria muito oportuno e importante propor um projeto piloto, ao nível europeu, com um troço entre o Entroncamento e Puertollano, de um comboio que permita a conexão ferroviária entre Lisboa e Madrid através de fontes eléctricas e renováveis imediatamente. Este projeto pioneiro na Península Ibérica, mas já desenvolvido em outros países europeus, pode abrir caminho para a inovação e o desenvolvimento da mobilidade do hidrogênio com o apoio financeiro de diferentes fontes de grande importância para o Corredor do Sudoeste Ibérico”.

O que é o Corredor do Sudoeste Ibérico?

O Corredor do Sudoeste Ibérico é um espaço transnacional europeu, de fronteiras difusas, que aproximadamente coincide com as planícies do Tejo e Guadiana, caminhando do centro da península até ao Atlântico. Esta é a conexão mais direta entre Lisboa e Madrid e os portos e cidades do Corredor Mediterrânico. O seu eixo ferroviário central faz parte do Corredor Atlântico da Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T).

Atualmente, devido à crise do coronavírus, o serviço de comboio noturno da Lusitânia Express entre Lisboa e Madrid foi temporariamente cancelado. Fonte: Divulgação



quarta-feira, 27 de maio de 2020

Glacial Express

O Glacial Express é uma lendária ferrovia entre as cidades de St. Morits e Zermatt na Suiça. Desde 1930, trens a vapor são conduzidos pelo percurso panorâmico sobre montanhas e vales dos Alpes Suíços. Desde 1993, carros luxuosos de primeira classe fazem a travessia alpina no Glacial Express uma experiência espetacular. Durante o percurso de 07:30 horas você passará por nada menos que 291 pontes, 91 túneis e o Oberalp Pass com 2.033 m de altitude. Fonte: Divulgação