sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Trem Mireo Plus H - Hidrogênio

A operadora ferroviária nacional alemã Deutsche Bahn (DB) anunciou que está desenvolvendo um trem movido a hidrogênio com o objetivo de substituir os trens a diesel, informou a CNBC. A empresa está se unindo à Siemens Mobility em um novo trem, chamado Mireo Plus H, que será movido por células de combustível de hidrogênio e baterias de íon-lítio. Ele viajará entre Tübingen, Horb e Pforzheim, no estado alemão de Baden-Württemberg, com testes programados para começar em 2024.

O Mireo Plus H terá um alcance de até 600 km, ou cerca de 373 milhas, e atingirá uma velocidade máxima de cerca de 100 MPH. A Deutsche Bahn calcula que apenas o teste impedirá que cerca de 330 toneladas de dióxido de carbono entrem na atmosfera.

Além do elemento de transporte, a Deutsche Bahn também está procurando desenvolver e testar a infraestrutura de trens de hidrogênio. Para isso, está reformando uma de suas instalações de manutenção para servir de posto de abastecimento e manutenção do trem.

A empresa planeja criar hidrogênio por eletrólise, usando eletricidade para dividir a água em oxigênio e hidrogênio. Embora esse processo seja totalmente ecológico (dependendo da fonte de eletricidade), é altamente ineficiente em comparação com a tecnologia moderna BEV (veículo elétrico a bateria). Também é caro transportar e armazenar hidrogênio.

Mesmo assim, os trens a hidrogênio foram testados com sucesso e estão ganhando força rapidamente em partes da Europa. Como está agora, a Alstrom já está operando um serviço comercial de trem a hidrogênio para passageiros na Áustria e também fez testes bem-sucedidos na Holanda . Além disso, os trens de hidrogênio Coradia iLint da Alstom concluíram com sucesso os testes na Alemanha e estão em serviço regional de passageiros na Alemanha desde 2018.

Os testes de 2024 são um grande negócio, no entanto, já que a DB é uma transportadora nacional e um teste bem-sucedido é a chave para seus planos de carbono neutro. Atualmente, opera 1.300 trens a diesel em serviço regional e 40 por cento de sua rede ferroviária de 33.000 km não é eletrificada, observou a empresa. “Precisamos reduzir nosso consumo de combustível fóssil a zero”, disse Sabina Jeschke, membro do conselho do DB. “Só então o DB poderá ser neutro para o clima até 2050. Nesse ponto, não teremos um único trem movido a diesel operando em nossa frota.” Fonte Siemens

sábado, 14 de novembro de 2020

Nova Esmirilhadora de Trilhos Metrô de São Paulo

O novo trem esmerilhador que vai servir três linhas do Metrô de São Paulo foi entregue para a operação na quarta-feira, 11 de novembro. Em um evento simbólico que contou com a participação do presidente da Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô, Silvani Pereira, no pátio do Jabaquara. Além da entrega do novo equipamento, três operadores foram simbolicamente homenageados pela empresa. Os colaboradores irão trabalhar diretamente com o novo trem.


Em comparação ao antigo trem que presta o mesmo serviço, o novo equipamento conta com melhorias tecnológicas. Além disso, esse trem poderá prestar serviços remunerados para outras empresas, como por exemplo para a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, o que poderá ajudar no caixa da empresa.

O equipamento terá vida útil de 30 anos e vai servir para:
Corrigir ondulação/corrugação de 2mm em 100 m de via por hora de trabalho;
Reperfilamento de 1mm de profundidade em 100 de via por hora de trabalho;
Executar rebarbação de 600 m de via por hora de trabalho;
Após a correção, o acabamento superficial do trilho deverá possuir rugosidade mázima de 15mm, independente da condição inicial do trabalho.
O veículo deverá ainda, estar apto a executar os trabalhos em áreas de amv (aparelho de mudança de via) de qualquer tipo de procedência. Fonte: Metrô de São Paulo


segunda-feira, 2 de novembro de 2020

Trem de passageiros no Ártico - Rússia

O primeiro trem de passageiros passando pela região russa do Ártico com destino à Noruega está previsto para sair da estação de São Petersburgo nesta quarta-feira (5) levando 91 passageiros em uma viagem de testes inaugural. "O Ártico fascina todo mundo", disse Nurlan Mukash, diretor-executivo do grupo turístico alemão Lernidee Erlebnisreisen, por trás do projeto.


"O destino já foi explorado por agências de turismo canadenses e norueguesas, mas não foi o caso da Rússia", acrescentou. O trem, denominado "Zarengold" ("O ouro dos czares", em alemão), dotado inclusive de dois vagões restaurantes, fará o trajeto a partir de São Petersburgo passando por Petrozavodsk, a cidade histórica de Kem e Murmansk.

Em Murmansk, de longe a maior cidade do norte do Círculo Ártico, os turistas vão desembarcar e seguir de ônibus para Kirkenes, na Noruega, antes de terminar a viagem de barco até Oslo ou de avião até a ilha de Spitsbergen. A viagem completa levará 11 dias e permitirá aos passageiros conhecer áreas de difícil acesso por outros meios, segundo os organizadores.

Para a viagem de teste inaugural, os 91 turistas vieram de sete países, incluindo Estados Unidos, Alemanha, Noruega e Rússia. "No futuro, esperamos a partida regular de trens", disse Mukash, acrescentando que a composição deve sair duas vezes por ano e quatro vezes em 2021.

Com o derretimento das geleiras provocado pelo aquecimento global, a Rússia espera se tornar a maior potência econômica e militar do Ártico, com a exploração de novas rotas comerciais. Fonte: AFP/EM