sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Trem Mireo Plus H - Hidrogênio

A operadora ferroviária nacional alemã Deutsche Bahn (DB) anunciou que está desenvolvendo um trem movido a hidrogênio com o objetivo de substituir os trens a diesel, informou a CNBC. A empresa está se unindo à Siemens Mobility em um novo trem, chamado Mireo Plus H, que será movido por células de combustível de hidrogênio e baterias de íon-lítio. Ele viajará entre Tübingen, Horb e Pforzheim, no estado alemão de Baden-Württemberg, com testes programados para começar em 2024.

O Mireo Plus H terá um alcance de até 600 km, ou cerca de 373 milhas, e atingirá uma velocidade máxima de cerca de 100 MPH. A Deutsche Bahn calcula que apenas o teste impedirá que cerca de 330 toneladas de dióxido de carbono entrem na atmosfera.

Além do elemento de transporte, a Deutsche Bahn também está procurando desenvolver e testar a infraestrutura de trens de hidrogênio. Para isso, está reformando uma de suas instalações de manutenção para servir de posto de abastecimento e manutenção do trem.

A empresa planeja criar hidrogênio por eletrólise, usando eletricidade para dividir a água em oxigênio e hidrogênio. Embora esse processo seja totalmente ecológico (dependendo da fonte de eletricidade), é altamente ineficiente em comparação com a tecnologia moderna BEV (veículo elétrico a bateria). Também é caro transportar e armazenar hidrogênio.

Mesmo assim, os trens a hidrogênio foram testados com sucesso e estão ganhando força rapidamente em partes da Europa. Como está agora, a Alstrom já está operando um serviço comercial de trem a hidrogênio para passageiros na Áustria e também fez testes bem-sucedidos na Holanda . Além disso, os trens de hidrogênio Coradia iLint da Alstom concluíram com sucesso os testes na Alemanha e estão em serviço regional de passageiros na Alemanha desde 2018.

Os testes de 2024 são um grande negócio, no entanto, já que a DB é uma transportadora nacional e um teste bem-sucedido é a chave para seus planos de carbono neutro. Atualmente, opera 1.300 trens a diesel em serviço regional e 40 por cento de sua rede ferroviária de 33.000 km não é eletrificada, observou a empresa. “Precisamos reduzir nosso consumo de combustível fóssil a zero”, disse Sabina Jeschke, membro do conselho do DB. “Só então o DB poderá ser neutro para o clima até 2050. Nesse ponto, não teremos um único trem movido a diesel operando em nossa frota.” Fonte Siemens