sábado, 13 de outubro de 2012

Tatuzão será utilizado no Rio de Janeiro


O tatuzão será utilizado na construção da linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro, foi projetado para concluir cerca de 15 metros de túnel por dia a uma profundidade de 30 metros. Seu avanço se dá por meio de telemetria a distância, através de cilindros macacos hidráulicos apoiados nas placas de concreto que ele mesmo instala.

Nesse percurso, é monitorado online por especialistas, no Brasil e na Europa. Com recursos tecnológicos que o caracterizam como “inteligente”, o comando de operação é feito de forma computadorizada de uma cabine que tem comunicação direta com o túnel e o fabricante europeu. 


Assim, qualquer falha eventual pode ser sanada a distância, via satélite. O sistema informatizado permite ainda antever as condições do solo com que a máquina se deparará logo adiante.

Já foi utilizado em outros países como a Austrália, foi projetado especialmente para áreas densamente povoadas, sem oferecer riscos as construções já existentes.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Bondes para todos os gostos




Foi um festival de bondes e trens regionais. Nada menos de catorze modelos produzidos por igual número de fabricantes mostraram na InnoTrans que não é só no Brasil que as cidades estão querendo voltar aos trilhos. Havia naturalmente trens Alstom e Siemens, e Stadler e Skoda. Mas havia também fabricantes desconhecidos, que nem na InnoTrans se tinha ouvido falar: Zos Vrutky, da Eslováquia, com seu Movia diesel-hidráulico;  Durmazlar Machinery, da Turquia, com o VLT Silkworm de piso baixo,  ou ainda Pojazdy Szynowe PESA Bydgoszcz, da Polônia, com o TUD Link, para velocidade até 140 km/h.

Nenhuma crise, nenhuma dívida grega diminuiu o interesse do público e dos expositores da maior feira ferroviária do mundo, onde o Brasil por sinal teve presença destacada, com um pavilhão de 42 expositores, organizado por iniciativa da ANTF e da Abifer.

Clique para ampliar

O VLT Tango, da Stadler, ao lado do TAV Avril, da Talgo

“Estamos trabalhando no setor que mais cresce no mundo”, dizia, exultante, Georg Andreas, da Panfer, trading austríaca especializada em comércio de material ferroviário. “Na cidade do Porto – contava – estão quebrando o asfalto para repor em tráfego os bondes que circulavam no passado. Fato semelhante está acontecendo em dezenas e dezenas de cidades em muitos países, o que explica tantos novos fabricantes de material para transporte urbano”.


      TUD Link, da Pesa polonesa, com dois carros, capacidade para 126 passageiros sentados e velocidade máxima de 140 km/h.

Se a crise afetou algum segmento, foi nos trens de alta velocidade. Só havia um lançamento este ano, o Avril, da Talgo, capaz de alcançar 380 km/h, com tração distribuída (inclusive nos truques) e mantendo a tecnologia de rodas independentes, sem eixos, como em todos os Talgos (donde Alta Velocidad Rueda Independiente Ligero – AVRIL). Os outros dois modelos estavam em mock-up: o Frecciarossa 1000, um cruzamento entre o Zefiro da Bombardier e o ETR da AnsaldoBreda, para 400 km/h, multicorrente, previsto para entrar em serviço em 2013; e o ICE, que vem a representar  a maior encomenda já assinada pela Siemens nos 160 anos de sua história, com 300 unidades a serem fornecidas para a Deutsche Bahn, a partir de 2016. Como as versões anteriores do ICE, a preocupação não é velocidade – que não vai além de 250 km/h – mas economicidade, conforto e flexibilidade, podendo ser usado tanto em linhas dedicadas como em linhas convencionais.  A exposição de equipamento de carga foi inexpressiva.
Veja a seguir a galeria dos VLTs e trens regionais apresentados na InnoTrans 2012. A feira termina hoje para o público profissional, mas permanece aberta até o dia 26 para o público em geral.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Novo Trem de Alta Velocidade da Bombardier Exibido na Itália


O primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, visitou o modelo em tamanho real do Frecciarossa 1000, o mais novo membro da família de trens de alta velocidade da família BOMBARDIER ZEFIRO. O revolucionário trem que combina eficiência de custos com alta capacidade de transporte será também exibido na feira InnoTrans 2012, em Berlim.

A operadora italiana de trens Trenitalia apresentou o modelo em tamanho real doFrecciarossa 1000, trem de alta velocidade que está sendo fabricado pela líder em tecnologia ferroviária Bombardier Transportation, em consórcio com a sua parceira AnsaldoBreda. O Frecciarossa 1000 é o mais novo membro da família de trens de alta velocidade ZEFIRO da Bombardier, conhecido como modeloV300ZEFIRO.

A apresentação ocorreu na cidade de Rimini, no domingo, 19 de agosto, para coincidir com a XXXIII Reunião Anual para a Amizade Entre os Povos, realizada nesta cidade. O primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, compareceu ao evento juntamente com o Diretor Presidente da Ferrovie dello Stato, Mauro Moretti, o Diretor Presidente da AnsaldoBreda, Maurizio Manfellotto e o Presidente da Bombardier Transportation na Itália, Roberto Tazzioli.

Primeiro Ministro da Itália, Mário Monti (ao centro)
na apresentação do novo trem junto ao Presidente da
Bombardier na Itália, Roberto Tazzioli (à direita)
“Além de seu belo design, o nosso trem representa uma virada para a indústria ferroviária” disse Tazzioli. “Ele oferece não apenas velocidades muito elevadas, possibilidade de atingir 360 km/h, mas também alta eficiência em relação ao custo, com capacidade de até 600 passageiros, confiabilidade, segurança e durabilidade. A família ZEFIROestabeleceu também um novo benchmark para mobilidade sustentável por oferecer o mais baixo consumo de energia por assento em relação a qualquer outro trem de alta velocidade existente no mundo hoje. Este desempenho ambiental e econômico sem paralelo faz com que o trem de alta velocidade seja uma alternativa atraente em relação às viagens individuais de automóvel.”

O novo trem também possui uma aceleração excepcional que assegura um tempo de viagem excelente, mesmo em percursos sinuosos. Em setembro de 2010, a Bombardier e a AnsaldoBreda receberam um pedido para a entrega de 50 trens. As primeiras unidades já estão em produção e os testes de linha ocorrerão até o final de 2012.

Depois da exposição em Rimini, o modelo em tamanho real do Frecciarossa 1000será levado para Berlim, na Alemanha, para ser exibido na maior feira mundial de negócios ferroviários, a InnoTrans, que ocorrerá entre os dias 18 e 21 de setembro próximo.

A Bombardier no setor de trens de alta velocidade
A Bombardier Transportation detém uma experiência sem paralelo neste setor, com mais de 1.000 trens de alta velocidade e veículos ferroviários entregues em todo o mundo, como fornecedora individual ou em parcerias com outras empresas. A Bombardier participou no desenvolvimento de muitos dos principais sistemas de trens de alta velocidade em operação no mundo, incluindo quatro diferentes gerações do TGV na França, a família de trens ICE utilizados na Alemanha e Holanda, o ETR500 e o Frecciarossa 1000, na Itália, além do AVE 102, AVE 112, AVE 130 e AVE 730 na Espanha, do Xinshisu na China, a famíliaBOMBARDIER ZEFIRO de trens de alta velocidade e o trem Acela, nos Estados Unidos.

Sobre a Bombardier Transportation no Brasil 
A sede da Bombadier Transportation do Brasil, bem como duas instalações de manutenção de frota, localizam-se em São Paulo. A empresa opera também uma fábrica de produção de monotrilhos de alta capacidade e um centro de renovação de veículos ferroviários em Hortolândia, Campinas. A Bombardier investe fortemente no Brasil e já é uma das mais importantes companhias do setor ferroviário nacional, ocupando a liderança no setor de mercado de modernização de veículos. O plano de investimentos iniciado em 2009 tem o objetivo de triplicar o número local de funcionários, chegando a 600 pessoas em 2012, e de quadruplicar a área industrial em Hortolândia. Além da capacidade existente de renovação, a planta de Hortolândia está sendo equipada para produzir novos veículos.

Fonte:News Bombardier España

domingo, 19 de agosto de 2012

Problemas no transporte aéreo levam mais americanos a optar por trens

Durante muito tempo este serviço foi desconsiderado pelos viajantes da região Nordeste dos Estados Unidos, mas hoje a companhia de trem Amtrak está dominando a frequência de viagens comerciais que fazem conexão entre as cidades de Washington, Nova York e Boston. Neste verão (inverno no Brasil), seus trens estão lotados.
Há uma década, os voos da Delta Airlines e US Airways eram a forma preferida de se transitar entre as cidades. Mas as tarifas elevadas, o lento procedimento de segurança dos aeroportos e os atrasos frequentes desagradam os viajantes, conquistados por trens de alta velocidade Acela da Amtrak, além de passagens que podem ser emitidas online.

  
Segundo a Amtrak, 75% dos passageiros que viajam entre Nova York e Washington usam trem. Uma grande parte destes clientes apareceu desde que o modelo Acela foi introduzido em 2000 e a segurança dos aeroportos foi reforçada depois de 2001. Antes, a Amtrak tinha apenas cerca de um terço do negócio entre Nova York e Washington. Nacionalmente, o número de passageiros da Amtrak bateu seu recorde com 30 milhões de pessoas.

"No trem, você tem tomadas para ligar aparelhos elétricos e wi-fi, pode falar ao telefone e otimizar seu tempo", disse George Hamlin, um escritor e consultor de aviação aérea que frequentemente viaja com a Amtrak entre Washington e Nova York. "Até eu tenho de reconhecer isso."
Fonte: Último Segundo

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Trem de Passageiros entre Belo Horizonte e Vitória.

A Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) tem 905 km de extensão e é uma das mais modernas e produtivas ferrovias do Brasil.

São 2 trens de passageiros circulando diariamente e é o único trem de passageiros diário no Brasil e liga duas importantes capitais brasileiras: Vitória-ES e Belo Horizonte-MG.

Em funcionamento desde 1907, o serviço incentiva o turismo e transporta cerca de um milhão de passageiros por ano com segurança e conforto. 

O trajeto percorre regiões de belas paisagens e importância histórica, passando por cidades coloniais às margens do Rio Piracicaba e do Rio Doce, em Minas Gerais, até chegar às praias do Espírito Santo. A viagem de 664 km dura aproximadamente 13 horas.


Um trem parte de Vitória às 7 horas da manhã e chega a Belo Horizonte por volta de 19 horas e 40 minutos. O outro trem sai de Belo Horizonte às 7 horas e 30 minutos e chega a Vitória às 20 horas e 10 minutos.


O trem conta com 3 vagões-restaurantes, 32 carros na classe econômica e 10 na classe executiva. Na classe executiva tem ar condicionado e serviço de bordo.


O preço da passagem de Belo Horizonte para Vitória na classe executiva custa R$ 82,00*. Já na classe econômica, o valor é de R$ 54,00* cada passagem.

As passagens devem ser adquiridas diretamente nas estações de trem e a venda dos bilhetes pode ser feita até 30 dias antes da viagem. As passagens costumam esgotar rapidamente, principalmente nos finais de semana e feriados.

* Os valores citados acima estão atualizados de acordo com a Vale e podem sofrer reajuste anual.


Fonte : http://www.turismocapixaba.com.br/