quarta-feira, 6 de julho de 2016

Senadores querem acelerar construção da Ferrovia Transcontinental uma ponte para a China

Em audiência pública conjunta nesta quarta-feira (29), entre as Comissões de Serviços de Infraestrutura (CI), de Assuntos Econômicos (CAE) e de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), os senadores ressaltaram a importância de acelerar o processo de construção da Ferrovia Transcontinental, também chamada de Ferrovia Intercontinental (Fico). Segundo os senadores, a obra é uma das mais importantes para o país, porque vai permitir a ligação do Brasil com os portos do Oceano Pacífico.


A ferrovia, que terá cerca de 5 mil quilômetros, será construída por meio de uma parceria entre Brasil, Peru e China, firmada em maio de 2015, por ocasião da vinda do primeiro-ministro chinês ao Brasil e ao Peru. De acordo com os expositores, ainda há divergências sobre o traçado da ferrovia, que passa por regiões muito importantes como áreas de proteção ambiental, reservas indígenas e de outras tradições culturais. Além disso, as bitolas — que são as larguras entre as faces interiores das cabeças de dois trilhos — no Brasil e no Peru são de tipos diferentes, o que também precisa ser acertado para dar andamento ao projeto. Essa ferrovia nos coloca de frente para os portos do Pacífico. É um velho e histórico sonho nosso: chegar ao Pacífico sem passar pela volta ao canal do Panamá. Fonte: Senado 

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Veículo Leve Sobre Trilhos - VLT Lyon

Com uma população urbana na área metropolitana de Lyon de mais de 2,6 milhões, com  uma estimativa de 50.000 turistas em Lyon, de acordo com a Agência de Desenvolvimento Aderly Lyon Espaço Econômico. Ao lado de profissionais trabalhando em Lyon, a cidade recebe cerca de 16.000 alunos todos os anos dentro de uma população estudantil de cerca de 120.000. O VLT é mais uma entre várias opções de transporte na cidade francesa. Fonte: Graduate Lyon



segunda-feira, 27 de junho de 2016

Esmerilhadora de Trilhos Linsinger Áustria

Linsinger Áustria é uma empresa que se tornou global através da inovação, estabelecendo assim uma posição de liderança em um nicho de mercado altamente especializado. Linsinger exportações mundiais da Áustria na Europa, onde mais de 300 funcionários são baseados na sede e fábrica. As entregas para o continente americano estão crescendo, ao lado dos mercados bem estabelecidos na Ásia e Europa.


Linsinger papel de liderança mundial baseia-se em mais de 6 décadas de experiência técnica, e com base em parcerias de investigação e desenvolvimento com uma vasta gama dos principais clientes. Estas parcerias permitiram Linsinger afirmar ainda mais a posição de liderança na face aos desafios globais. Fonte: Linsinger Maschinenbau GmbH


sexta-feira, 24 de junho de 2016

Metrô Linha 4 - Estação Jardim Oceânico - Barra

As noites da Barra da Tijuca terão uma luz diferente, a partir da inauguração da Linha 4 do Metrô. Contemplada com um dos últimos projetos do artista das luzes Peter Gasper, falecido em maio de 2014, a ponte estaiada da nova linha metroviária terá uma decoração cênica, que trará leveza à chegada ao bairro.


Com tons de branco, o detalhe está na temperatura das cores: fria, mais branca, quase azulada, ou quente, que será mais amarelada. Já na operação, a iluminação poderá ficar estática ou em movimento, com efeito que lembrará as cordas de uma harpa.

Os testes foram feitos de forma escalonada e a iluminação da ponte já está em sua configuração final: nos últimos dias, a decoração cênica da ponte estaiada tem sido acesa por completo, para os últimos ajustes. Ao longo da estrutura, para iluminar os 26 conjuntos de cabos de aço (estais), há 120 projetores distribuídos e fixados à ponte. A iluminação será feita de baixo para cima. Os dois pilares também têm refletores no seu contorno.


Acima vemos a foto da entrada da estação Jardim Oceânico na Barra da Tijuca, em destaque o sinal de aviso A10 na via 1 da mesma estação ainda em testes. A chegada na Barra da Tijuca é um marco histórico para os cariocas. Fonte: Linha 4/TransTrilhos

segunda-feira, 20 de junho de 2016

O metrô de Santiago, no Chile, pode ser o primeiro do mundo abastecido a partir de energia solar

O metrô de Santiago, no Chile, pode ser o primeiro do mundo abastecido a partir de energia solar. O projeto foi anunciado recentemente pela empresa SunPower, uma das patrocinadoras da ideia. O acordo inclui o fornecimento de 300 GWk por ano de energia renovável obtida a partir do sol à companhia de metrô de Santiago. Com este projeto, o sistema de transporte público, que atende a 2,2 milhões de passageiros diariamente, pode se tornar ainda mais sustentável.



Para gerar esse montante de energia, a SunPower conta com o apoio da Total Energy, uma empresa parceira na construção de uma usina solar de alta eficiência. O projeto El Pelícano deve produzir sozinho cem megawatts de energia. A construção começa ainda neste ano e está prevista para ser concluída no final de 2017.

“Este contrato está expressando o compromisso do Chile com um mundo mais sustentável. Estamos orgulhosos da parceria com o metrô no desenvolvimento de uma nova maneira de alimentar sistemas de transporte público através de uma energia competitiva, confiável e limpa”, comentou Bernard Clément, vice-presidente sênior do setor de Negócios e Operações da Total Energy, em informativo oficial.

O sistema aplicado na usina solar é conhecido como Oasis. Trata-se de um bloco modular totalmente integrado. O formato tem implementação rápida e de baixo custo, ideal para produzir energia limpa em grande escala, sem usar muito espaço. A tecnologia ainda um processo de limpeza automatizado dos painéis, que reduz em 75% a quantidade de água usada, em comparação aos tradicionais, e ainda melhora a eficiência do sistema em até 15%. Fonte: Redação CicloVivo