quarta-feira, 31 de julho de 2019

Ferrovia Norte Sul - Assinatura de Contrato

O presidente do Brasil vai assinar nesta quarta-feira (31) o contrato de concessão da EF-151, conhecida como Ferrovia Norte-Sul, em Anápolis (GO). Considerada pelo governo a espinha dorsal do sistema ferroviário brasileiro, a ferrovia é aposta para a redução do custo logístico do transporte de carga no país.


A ferrovia engloba 1.537km no trecho entre Porto Nacional (TO) e Estrela d’Oeste (SP). A estimativa é que, ao final da concessão de 30 anos, o trecho ferroviário possa capturar uma demanda equivalente a 22,7 milhões de toneladas.

O consórcio Rumo S.A., que arrematou o leilão em março por R$ 2.719.530,00, terá de investir R$ 2,7 bilhões no trecho.

A empresa será responsável pela exploração, manutenção e conservação da infraestrutura do trecho ao longo da concessão, além de prestação do serviço de transporte ferroviário, investimento na execução de planos ambientais e aquisição de equipamentos ferroviários e material rodante, os quais serão avaliados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) por meio de indicadores e parâmetros técnicos.


O trecho conhecido como Tramo Central da Norte-Sul vai de Palmas (TO) até Anápolis (GO) e tem 855 km de extensão. Atualmente, ele está em operação, com movimentação de carga pela VALEC Engenharia, Construções e Ferrovias S.A. O Tramo Sul da ferrovia compreende os municípios de Ouro Verde de Goiás (GO) e Estrela d’Oeste e tem 682 km de extensão. Nesse trecho, as obras estão em fase final.

Já o Tramo Norte, entre Açailândia (MA) e Porto Nacional (TO), tem 720 km de extensão e está em operação comercial pela subconcessionária Ferrovia Norte Sul S.A desde 2007. Esse trecho não está incluso na concessão.

De acordo com o Plano Nacional de Viação, existem 47,7 mil km de vias ferroviárias no país. Destes, 30,6 mil km já estão implantados e 17,1 mil km planejados. Em 2017, o volume total de cargas transportadas foi de 538,8 milhões de toneladas, segundo dados do Ministério da Infraestrutura. Fonte: R7


segunda-feira, 29 de julho de 2019

Trem de carga totalmente autônomo

Na Austrália foi realizada a primeira viagem ferroviária completamente autônoma. A região árida e pouco povoada no noroeste da Austrália é uma área de mineração crucial. A empresa de mineração de minério de ferro planeja criar uma rede envolvendo vários trens desse tipo na região.

Trens autônomos: Austrália possui o maior robô do mundo

domingo, 28 de julho de 2019

Acela sem escalas

A Amtrak começará a rodar trens Acela sem escalas entre Washington e Nova York em setembro, um teste inicial de planos para oferecer um serviço mais frequente em sua linha de classe executiva quando uma nova frota de trens chegar em 2021.


O serviço sem escalas realizará uma única viagem de ida e volta nos dias de semana a partir de 23 de setembro, saindo de Nova York às 6:35 h e partindo de Washington às 16:30 h. A ferrovia diz que pular paradas entre as duas estações - as duas mais movimentadas no Nordeste Corredor - economiza cerca de 15 minutos, colocando o tempo de viagem em pouco mais de 2 horas e meia.

A ferrovia também espera que o trem adicional aumente a capacidade de seus outros trens Acela, absorvendo clientes de Nova York a Washington que prefeririam rodar sem escalas. Outras cidades atendidas pelos trens regulares Acela incluem Baltimore e Filadélfia.

A viagem sem escalas também ajudará a Amtrak a testar a demanda do mercado por serviços ininterruptos ao longo de sua rota mais movimentada e mais lucrativa, disse Roger Harris, diretor de marketing e receita da ferrovia. Quando a nova frota de trens Acela estiver totalmente entregue, a Amtrak terá 40% a mais de trens para trabalhar, oferecendo maior flexibilidade para executar serviços de parada limitada, bem como saídas diárias mais frequentes entre Nova York e Boston, disse ele.

"Acreditamos que o novo produto e o novo cronograma criarão demanda", disse Harris.

A adição de partidas adicionais é complicada pela natureza ocupada do Corredor Nordeste, onde a Amtrak deve se coordenar com operadores de trens urbanos como a NJ Transit, a Septa e a MARC que operam centenas de trens por dia. Fonte: WSJ

domingo, 21 de julho de 2019

Trens de Cargas no Japão

O transporte ferroviário no Japão não se limita somente aos trens de passageiros e trens de alta velocidade, há também muitos trens de cargas que entregam mercadorias em todo o país. Este trem é da linha principal Hakodate em Ebetsu no norte da ilha de Hokkaido.

O Japão foi o país que lançou o primeiro Shinkansen, trem de alta velocidade, mais conhecido como trem bala na década de 60.

domingo, 14 de julho de 2019

Túneis do metrô de Londres

O metrô de Londres é feito de um dos mais complexos sistemas de túneis do mundo. Como uma pessoa que se desloca diariamente de casa para o trabalho, é difícil enxergar a beleza dessa complexa corrida entre labirintos durante todas as manhãs. No entanto, este pequeno vídeo consegue colocar esses túneis praticamente infinitos como uma obra de arte.


Utilizando travellings lentos e métodos, o vídeo Deeper Underground revela a beleza simétrica dos túneis de Londres. Mas como qualquer pessoa que dependa do metrô diariamente pode confirmar, é mais fácil apreciar toda essa arquitetura e infraestrutura quando não é você que está lutando contra hordas de pessoas atrasadas para o trabalho. Fonte: Gizmodo