quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Trens ficam verdes: foco na bateria e hidrogênio

Em fevereiro de 2020, recebemos um pedido de onze trens regionais com bateria para o Zweckverband Verkehrsverbund Mittelsachsen (VMS) na Alemanha. Estes são os primeiros trens a bateria encomendados à Alstom. A oferta de hidrogênio e bateria é um marco importante para a Alstom, pois prova ainda mais nosso papel central no mercado de mobilidade livre de emissões. Alcançamos nossos marcos e as próximas etapas para soluções sem emissões com a Brahim Soua, VP Regional Rolling Stock Platform.


Nosso foco em energia sustentável trouxe soluções verdes para a vanguarda da atenção. O pedido da Zweckverband Verkehrsverbund Mittelsachsen (VMS) na Alemanha é o primeiro da Alstom. A oferta de soluções de hidrogênio e bateria representa um marco importante para a empresa, pois comprova ainda nosso papel central no mercado de mobilidade livre de emissões. Ao mesmo tempo, já estamos trabalhando para levar nosso Coradia iLinta diferentes países: por exemplo, ele será testado na Holanda. Isso demonstra que a tecnologia de hidrogênio da Alstom é totalmente adaptável a diferentes países, pronta para atender à crescente demanda por transporte ecológico.

Podemos ter muito orgulho de ser pioneiros neste campo. A Alstom tem dois trens pré-seriais que estão em serviço comercial na Alemanha há mais de um ano. A experiência que adquirimos nos permitiu oferecer um sistema otimizado de hidrogênio completo, que inclui material circulante, manutenção e suprimento de hidrogênio com um parceiro. A Alstom assinou dois contratos para trens movidos a células a combustível de hidrogênio. O primeiro é para 14 trens na região alemã da Baixa Saxônia. O segundo, também na Alemanha, para 27 trens para a área metropolitana de Frankfurt. Falando sobre soluções de bateria, já temos muita experiência com nosso Coradia iLint. Nós adaptamos a linha Coradia para operar com todos os sistemas de energia livres de emissão disponíveis, de células de combustível elétricas a baterias e de hidrogênio. O Coradia iLint é alimentado por células de combustível e oferece um desempenho comparável a um trem a diesel, emitindo apenas água. Embora o trem iLint seja movido a hidrogênio, ele usa baterias como parte do sistema de tração. Outros exemplos incluem o bonde Citadis em Nice, por exemplo, a locomotiva Prima H3 e nossos ônibus elétricos Fonte: Alstom
 .

terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

China fará 5 linhas de Maglev até 2020 - Testes executados

A China operará mais de cinco linhas ferroviárias de levitação magnética com uma velocidade máxima de 160 quilômetros por hora em cidades como Chengdu, Wuhan e Guangzhou até 2020, disse a CRRC Dalian Co Ltd. Uma nova geração de trens chineses de baixa/média velocidade fabricada pela CRRC Dalian, uma subsidiária da China Railway Rolling Stock Corp, completou testes a uma velocidade de teste de 120 km/h em Xangai neste mês. Espera-se que os veículos entrem no mercado dentro de um ano.


"Mesmo que os trens do metrô possam atender a demanda para transportar um grande número de passageiros de um local para outro, é muito caro construir sua infraestrutura e difícil controlar o ruído", disse Qu Tianwei, engenheiro-chefe da CRRC Dalian. "Além disso, eles não podem trafegar muito rápido". Fonte: Chinadaily


sábado, 25 de janeiro de 2020

Locomotivas do Passado

A Locomotiva a vapor é um trem propulsionado por um motor a vapor que compõe-se de três partes principais: a caldeira, produzindo o vapor usando a energia do combustível, a máquina térmica, transformando a energia do vapor em trabalho mecânico e a carroçaria, carregando a construção. O vagão-reboque (também chamado "tender") de uma locomotiva a vapor transporta o combustível e a água necessários para a alimentação da máquina.



domingo, 12 de janeiro de 2020

Gare do Oriente - Lisboa

Conhecido mundialmente por seus projetos de pontes e edifícios institucionais, Santiago Calatrava é, atualmente, um dos maiores nomes no campo da arquitetura e engenharia. A beleza de seus edifícios prove de sua própria solução estrutural. Calatrava explora em seus projetos todo potencial construtivo do aço, dando-lhe curvas e formas orgânicas. Ele utiliza a natureza como sua principal fonte de inspiração. A Gare do Oriente estação intermodal também foi obra do espanhol. Fonte: CP Foto: Silvério Borges


terça-feira, 7 de janeiro de 2020

Trens intercidades na Espanha

A estação Madrid Atocha é a maior estação ferroviária da cidade espanhola de Madri. Está localizada a poucos metros do Real Jardín Botánico de Madrid, no bairro de Atocha. A estação fica em frente da Plaza del Emperador Carlos V. O interior da estação ferroviária é caracterizado por uma decoração natural, com plantas e uma grande praça. Duas estações de metrô também se conectam com Atocha Madrid - Atocha e Atocha Renfe.


A Atocha Madrid é servida por trens de passageiros, trens intermunicipais, trens regionais do sul da Espanha e pelo trem de alta velocidade AVE de Barcelona, Zaragoza, Sevilha e Valência. Os trens de alta velocidade AVE são todos operados pela companhia ferroviária nacional da Espanha – a Renfe. A estação serve como um centro de conexão para todos os trens intercity da Espanha, junto com os trens AVE. As rotas mais importantes são: Madri-Valência, Madri-Barcelona e Madri-Sevilha.

A estação ferroviária de Atocha oferece muitas facilidades, como um balcão de informações turísticas, sanitários, cabines de telefone público, restaurantes e guarda-volumes. Existe uma conexão de ônibus que sai da Madrid Atocha para o aeroporto de Madri.

Trens operados de/para esta estação:
Trens de alta velocidade (AVE), trens regionais e de longa distância (RENFE), trens Intercity
Serviços:
Ponto de Informações Turísticas, achados e perdidos, estação de polícia, restaurantes, banheiros, guarda volumes, internet wi-fi, caixas eletrônicos e cabines telefônicas. Foto: Silvério Borges Fonte: Rail Europe