segunda-feira, 5 de maio de 2014

Na Carolina do Norte expansão e investimentos

Dois contratos que totalizam quase um quarto de bilhão de dólares aprovado, a cidade de Charlotte, na Carolina do Norte, EUA, vai aumentar a sua rede de metropolitano. Recentemente, o Conselho Municipal de Charlotte aprovou dois contratos de construção de tamanho considerável, totalizando quase um quarto de bilhão de dólares para o projeto de nove milhas.

Os contratos permitirá trabalhar em sistemas de drenagem, pontes e sinais de trânsito ao redor da linha. A Linha Azul Extensão (BLE) deverá abrir no início de 2017.



terça-feira, 29 de abril de 2014

A DB está em busca do transporte ecologicamente correto

A DB irá estabelecer metas ambiciosas em três dimensões, ele quer ser uma líder de mercado rentável, a top empregador e uma eco pioneira em 2020.

Isto significa que a DB irá reduzir as emissões de CO2 e poluição sonora, 50% de aumento gerado pelo transporte ferroviário em 2020. Como um eco pioneira a DB promete estabelecer padrões no uso eficiente dos recursos disponíveis. Respeito pelo ambiente é parte da promessa da marca e da missão da DB, que atualmente já é substancialmente eco amigável do que outros modos de transportes.


O principal objetivo da DB como parte desse direcionamento estratégico é reduzir as emissões específicas globais da empresa de CO2 por 20% dos valores de 2006 até 2020. A DB também pretende aumentar a participação de fontes de energia renováveis ​​no mix atual de tração para pelo menos 35% até 2020 .

A DB tem atraído novos clientes e ajudou a reduzir as emissões de CO2 com seus produtos verdes, seus "Umwelt-Plus" serviços de passageiros e Eco Solutions na área de transporte e logística. Ela pretende reforçar a sua comercialização de produtos verdes para estabelecê-los ainda mais e gerar demanda.

A empresa está trabalhando duro para reduzir a poluição sonora com uma vasta gama de medidas. Destina-se a reduzir pela metade a quantidade de ruído associado ao transporte ferroviário em 2020, em comparação com 2000.


quinta-feira, 24 de abril de 2014

Aeroporto Internacional de Miami ganhará mini metrô

Empresa Poma instalará a solução Mini Metrô no aeroporto internacional de Miami no estado da Florida.
O aeroporto internacional de Miami receberá em 2016 um APM (Automated People Mover) em suas instalações, o Mini Metrô da empresa Poma conectará o Terminal E com o seu terminal satélite. A linha tem um percurso de 375 metros e o APM é constituído por duas cabinas que transportarão 12.000 passageiros por hora.


O Mini Metrô utiliza a tração por cabo, uma tecnologia desenvolvida especificamente para aeroportos e ambientes urbanos. A solução substituirá o equipamento automotor existente no terminal desde 1980.

O contrato, cujo valor alcança os US$ 76 milhões, foi adjudicado recentemente pelo Miami Dade Aviation Department, a entidade gestora do aeroporto, à joint venture formada pela Beauchamp Construction e a filial da POMA, Leitner Poma of America (LPOA).

Criado em 1928, o Miami International Airport (MIA) é a principal porta de intercâmbio entre os Estados Unidos e a América Latina. Situado nos arredores de Miami, o Miami International Airport é uma das plataformas com maior tráfego aéreo do mundo.


O Mini Metrô já existe nas cidades de Detroit, Minneapolis, Frankfurt, Zurique e Cairo.

Características técnicas:

• Comprimento: 375 metros (1.230 pés) entre o terminal E e o satélite E
• Número de trens tracionados por cabo: 2
• Capacidade de cada trem: 150 pessoas
• Capacidade de transporte: 5.600 passageiros / hora /sentido
• Velocidade nominal: 11 m/s (40 km/h)
• Frequência: 3 minutos aprox.
Fonte: RF

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Projeto da GE permite 25% de combustível biodiesel em trens

Com cerca de 70% da frota de trens no Brasil, a GE Transportation acaba de concluir um projeto de validação do uso de uma mistura de 25% de biodiesel no combustível que abastece suas locomotivas. Hoje, a lei exige que as empresas usem no mínimo 5% de biodiesel.

Segundo o presidente da GE Transportation para a América Latina, Rogério Mendonça, os testes para a validação do uso de biodiesel nas locomotivas partiram de um pedido de clientes. "O uso de biocombustíveis é tendência global. As empresas querem estar prontas tecnologicamente", afirma o executivo.


Os fabricantes de biodiesel têm pressionado o governo para ampliar a mistura obrigatória do combustível "verde" no diesel, hoje em 5%. O próprio ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse no fim de 2013 que a elevação do porcentual está em estudo pelo governo.

Os testes da GE foram feitos por dois anos em trens em operação e na fábrica da empresa em Contagem (MG). O resultado habilita as cerca de 2 mil locomotivas no País a usarem uma mistura maior do biodiesel.

Custo. Apesar da habilitação técnica, as operadoras de carga não devem ampliar no curto prazo o uso do biocombustível, já que ele é cerca de 20% mais caro do que o diesel, segundo estimativas de mercado.

A MRS Logística, por exemplo, usa em suas locomotivas a mistura obrigatória de biodiesel no diesel, de 5%, e diz que o entrave para ampliar o porcentual é o custo. O combustível representa 25% do custo operacional total da concessionária.

Os produtores de biodiesel dizem que o problema de competitividade do combustível verde é um reflexo da política de preços do diesel da Petrobrás. A estatal vem importando diesel a preços menores do que vende no País, atendendo à pressão do governo para segurar a inflação.

"É uma questão de política macroeconômica. A Petrobrás pratica no Brasil um preço 18% mais barato do que o preço de compra. Não dá para competir com preços artificiais", afirma o diretor-superintendente da Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (AproBio), Júlio Minelli. Fonte: O Estado de S. Paulo/GE

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Revitalização Ferroviária na África

A terceira sessão da Conferência de Ministros Africano dos Transportes (CAMT) realizada em 2014, organizada sob os auspícios da Comissão da União Africana (AUC), foi realizada em Malabo, Guiné Equatorial. A conferência reuniu Ministros Africanos dos Transportes.

A primeira sessão da Conferência de Ministros Africanos dos Transportes, que teve lugar em Abril de 2008 na Argélia, foi uma conferência histórica que estabeleceu o CAMT como uma conferência legal da União Africano.

O objectivo desta Conferência Ministerial foi revisar a implementação dos vários planos de subsetor de atuação, com resultados específicos, bem como novos desafios para facilitar a rápida implementação das atividades de desenvolvimento dos transportes.