segunda-feira, 18 de março de 2019

Locomotiva de manobra TEM28 diesel

Um protótipo da locomotiva diesel de manobra TEM28 produzido na fábrica de Engenharia Bryansk, que faz parte da ZAO Transmash, está passando por testes comparativos no Penza Operacional Locomotive Depot. Viagens experimentais estão previstas na área de Penza, durante o qual especialistas irão avaliar as capacidades técnicas da nova locomotiva e compará-los com o modelo anterior TEM18, que também foi testada anteriormente em Penza.


Durante os testes, que estão sendo realizadas sob condições operacionais idênticas, será avaliada a eficiência da unidade de gerador a diesel e óleo e consumo de combustível, bem como confiabilidade técnica da locomotiva como um todo. Além disso, os engenheiros vão avaliar nova e mais confortável cabine da locomotiva, que é climatizado e oferece visibilidade a toda a volta.

Os testes com a nova máquina em Penza será realizada ao longo de quatro meses, durante os quais os especialistas do depósito irão analisar os parâmetros de funcionamento e resultados de testes e preparar uma conclusão para o fabricante. A Companhia participa ativamente no desenvolvimento de material circulante confiável e moderno.

De acordo com a estratégia de renovação da frota da Companhia, as locomotivas devem incorporar características técnicas melhoradas e custos de funcionamento, oferecer condições confortáveis ​​para os de locomotivas, um alto grau de eficiência energética e ser ambientalmente amigável. Fonte: RZD


sábado, 16 de março de 2019

Intercidades de dois andares - Alemanha

É difícil deixar de ver as enormes torres gêmeas da histórica catedral gótica de Colônia. Mas, para saber o que realmente faz esta cidade alemã se agitar, escolha uma confortável hospedaria junto ao rio Reno, peça uma cerveja kölsch e converse com os alegres habitantes locais.

Quatorze museus estão à disposição para serem visitados na quarta maior cidade da Alemanha, incluindo o Museu Farina Fragrance, lugar de nascimento da famosa Eau-de Cologne. Todos precisam de um descanso, depois de tanto passeio. Colônia é conhecida como a cidade alemã com muitos bares e restaurantes.


Fortemente danificada durante a Segunda Guerra Mundial, Colônia ainda mostra algumas construções históricas ao lado de muitos lugares reconstruídos. Também oferece muitas construções de arquitetura moderna, incluindo pontes e arranha-céus.

Com seu famoso Carnaval de novembro (um dos maiores festivais de rua da Europa), e sua tradição de música, mídias e tecnologia, Colônia mostra inúmeras facetas com animado charme. Fonte: Cidade Colonia Foto: Silvério Borges


quinta-feira, 14 de março de 2019

Veículo Leve Sobre Trilhos ACR - Acumuladores de Carga Rápida

Trem Leve Sobre Trilhos ACR - Acumuladores de Carga Rápida - capaz de operar sem catenária, sem terceiro trilho, sem alimentação pelo solo e sem baterias convencionais. O veículo - que já opera em Sevilha e em Saragoça -possui um pantógrafo que só se eleva durante as paradas, para uma carga rápida de 20 segundos.


A carga é feita em uma seção de catenária com o mesmo comprimento do VLT. Uma vez carregados, os acumuladores dão ao veículo autonomia de 1.400 metros, mais que suficiente para chegar à próxima estação e carregar de novo. Um sistema de recuperação de energia na frenagem complementa a alimentação dos motores de tração. O ACR foi desenvolvido pela Trainelec, empresa do grupo CAF. Fonte: CAF Vídeo/Foto: Silvério Borges




segunda-feira, 11 de março de 2019

Estação da Luz

A Estação da Luz, que se encontra em um espaço de 7.500 metros quadrados do antigamente bem frequentado Jardim da Luz, em São Paulo, foi projetada pelo Barão de Mauá para suceder a primeira estação, a qual data de 1867. Foi edificada entre os anos de 1895 e 1901 e hoje é parte integrante da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e do Metrô de São Paulo, constituindo-se em um dos principais centros metroferroviário da cidade.


Idealizada na estética vitoriana, a Estação foi construída sob a supervisão do engenheiro James Ford, com matéria-prima vinda da Inglaterra. Seu propósito era abrigar a nova Companhia São Paulo Railway, empresa natural da Bretanha. Na época ela também foi utilizada para o transporte do café, então o principal produto brasileiro, para o porto de Santos. Seu relógio foi, desde o início, um ponto de referência para que todos mantivessem seus horários ajustados.

A linha que atravessava a Estação da Luz ia de Santos, cidade litorânea paulista, a Jundiaí, localizada no interior do Estado. Através dela São Paulo recebia todos os produtos importados de que necessitava, tanto para o consumo quanto para a produção, em uma era na qual a industrialização ainda não avançara o suficiente. Por este tronco ainda transitam, hoje, as mais variadas linhas ferroviárias e metroviárias.

A estrutura desta Estação foi toda importada da Inglaterra. Mecanismos pré-moldados desembarcaram em São Paulo e aí foram montados. O material de alvenaria, porém, é de origem brasileira. Ela foi inspirada em uma estação australiana, a Flinders Street Station, localizada em Melbourne. Fonte: Infoescola






sábado, 9 de março de 2019

Trem de carga com 330 vagões e 3,3 quilômetros de extensão

Estrada de Ferro Carajás Transporta a Maior Extração de Minério do Mundo - Brasil, ela tem 892 quilômetros de extensão, ligando a maior mina de minério de ferro a céu aberto do mundo, em Carajás, no sudeste do Pará, ao Porto de Ponta da Madeira, em São Luís (MA). Por seus trilhos, são transportados 120 milhões de toneladas de carga e 350 mil passageiros por ano. Circulam cerca de 35 composições simultaneamente, entre os quais um dos maiores trens de carga em operação regular do mundo, com 330 vagões e 3,3 quilômetros de extensão. 


Inaugurada em 1985, a Estrada de Ferro Carajás não é só grande: ela também lidera o ranking das ferrovias mais eficientes do Brasil graças ao nosso constante investimento em tecnologia.

Os trilhos dos primeiros 15 km da Estrada de Ferro Carajás foram instalados em agosto de 1982. A ferrovia teve seus estudos de viabilidade, juntamente com os projetos de engenharia, iniciados quase uma década antes, em 1974. Mas a inauguração oficial só ocorreria 11 anos depois, no dia 28 de fevereiro de 1985.

Em março de 1986, chegaram os primeiros passageiros. No ano seguinte, foi a vez da soja. Os trens da ferrovia passaram a fazer o transporte de grãos e, no mesmo ano, os produtos derivados de petróleo entraram para a lista de materiais transportados pelas composições.
Hoje, os trens carregam granéis sólidos (soja e outros grãos), líquidos (combustíveis e fertilizantes, entre outros), além do minério de ferro.

A EFC está ainda interligada com outras duas ferrovias: a Companhia Ferroviária do Nordeste (CFN) e a Ferrovia Norte-Sul. A primeira atravessa, principalmente, sete estados da região Nordeste e a segunda corta os estados de Goiás, Tocantins e Maranhão, facilitando a exportação de grãos produzidos no norte do estado do Tocantins pelo Porto de Ponta da Madeira, no Maranhão. Fonte: Vale


sexta-feira, 8 de março de 2019

Metrô de Londres desde 1863

Aberto em 1863, lém de ser o mais velho, também é o mais extenso, seus trilhos subterrâneos se espalham hoje por 408 quilômetros (6 quilômetros a mais que a rodovia Rio-São Paulo), com paradas em 275 estações.


O metrô londrino precisou ser construído porque, em meados do século 19, o trânsito já havia se tornado insuportável – veículos de tração animal se amontoavam no centro da cidade –, prejudicando o andamento dos negócios na capital do Império Britânico. Era preciso criar um meio rápido de transportar os “executivos” de então, que moravam em vizinhanças afastadas e agradáveis, até o centro financeiro, na época um ambiente pestilento.

Logo no primeiro dia de funcionamento, os primeiros trens subterrâneos do mundo transportaram 40 mil pessoas. Esse metrô ancestral usava locomotivas a vapor, com caldeiras aquecidas a carvão: embora a rede fosse dotada de um sistema de exaustão de último tipo, ele não bastava para acabar com todo o fumacê. O problema só foi 100% resolvido em 1905, quando o sistema metroviário passou a operar apenas com trens elétricos.

Nessa época, o metrô de Londres já tinha dois concorrentes de peso: o de Paris (o 2º mais antigo, inaugurado em 1900) e o de Nova York (o campeão em número de estações – 468 –, funcionando desde 1904). O sistema de Tóquio, recordista em número de passageiros (2,8 bilhões de viagens anuais), começou a operar em 1927. Fonte: Super Interessante/Marcos  Foto: Divulgação

Metrô de Londres na Atualidade

_____________________Revista Eletrônica Transportes Sobre Trilhos - O Futuro da Mobilidade - RETT_____________________
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...