terça-feira, 2 de março de 2021

Trem utiliza os trilhos do Ferry Boat

Este pequeno país de pouco mais de 5 milhões de habitantes, localizado ao norte da Europa, tem motivos de sobra para ser considerado o país mais feliz do mundo. E não todos os dias se pode visitar um lugar dessas características e que, ademais, parece imerso numa grande fotografia. Dinamarca não é só Copenhague. Há bem mais por descobrir.


Chegar de trem na Dinamarca é o mais recomendável. Tire qualquer um dos passes disponíveis na Eurail (Global, National ou Passe Dinamarca) e chegue dos pontos mais importantes da Europa.

Da Espanha, por exemplo, o Talgo Trenhotel sai todos os dias, como também o Eurocity Barcelona-Paris (Joan Miró) ou o Eurocity Madri-Paris (Francisco de Goya). Estes trens chegam à estação Austerlitz.

De lá se pega o metrô até Gare du Nord, onde é possível abordar o serviço expresso noturno a Copenhague, com transbordo em Colônia ou Hamburgo na Alemanha. Soa cansativo… mas é um passeio realmente recomendável!

Os trens TGV percorrem os trechos Espanha-Dinamarca, Itália-Dinamarca, França-Dinamarca e Alemanha-Dinamarca. O trajeto Copenhague-Hamburgo pode ser percorrido em pouco menos de 4 horas e meia. Fonte: Divulgação

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Conheça o primeiro trem do mundo 100% movido a energia solar

O primeiro trem do mundo movido 100% a energia solar já existe e está circulando em fase de testes pelos trilhos de Byron Bay, na Austrália. A companhia ferroviária da cidade remodelou um trecho de três quilômetros e restaurou uma antiga locomotiva dos anos 70, equipando-a com painéis solares flexíveis de 6,5 kilowatts (kW).


O passeio foi inaugurado em dezembro de 2017, com serviço parcial. O funcionamento total começou em janeiro de 2018 e já é um sucesso. Já nos primeiros 19 dias, a novidade já tinha transportado 10 mil pessoas.


O trem comporta 100 passageiros sentados, com espaço para outros tantos em pé, além de bagagem, motos e pranchas de surfe. A tarifa para uma viagem de ida é de US $ 3 para pessoas maiores de 14 anos, US $ 2 crianças de 6 a 13 anos e gratuita para crianças até cinco anos. Fonte: Australian Trains




domingo, 14 de fevereiro de 2021

Estação da Luz - São Paulo

Aberta ao público em 1º de março de 1901, a Estação da Luz ocupa 7,5 mil m² do Jardim da Luz, onde se encontram as estruturas trazidas da Inglaterra que copiam o Big Ben e a abadia de Westminter. Não houve inauguração, já que o tráfego foi sendo deslocado aos poucos, mas não demorou muito para que o novo marco da cidade fosse considerado uma sala de visitas de São Paulo.


Todas as personalidades ilustres que tinham a capital como destino eram obrigadas a desembarcar no local. Empresários, intelectuais, políticos, diplomatas e reis foram recepcionados em seu saguão e por lá passavam ao se despedirem. Fonte: cidadedesaopaulo 



quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021

Governo do Rio aposta em metrô leve para o Aeroporto do Galeão

A aposta do governo do Rio de Janeiro para aumentar o número de passageiros do Aeroporto Internacional do Galeão (Tom Jobim) é implantar um sistema leve sobre trilhos com 17 km de extensão até o centro.


O projeto é ambicioso, e custa R$ 2 bilhões e depende de um acordo com a União para a utilização de recurso federal oriundo da outorga paga pela concessionária RioGaleão, que administra o Aeroporto Tom Jobim.

A proposta da concessionária é uma linha com sete estações que ligaria o Terminal 2 do Aeroporto Tom Jobim à estação de Metrô do Estácio, a viagem levará cerca de 15 minutos ao longo dos 17 quilômetros de extensão.
As imagens divulgadas pela concessionária mostram um sistema parecido com o VLT que opera no centro da capital fluminense, no entanto, no artigo oficial da RioGaleão não está especificado qual será o tipo de modal.


O projeto têm o apoio do secretário de Transporte Delmo Pinho, que entende que a medida sugere os padrões dos principais aeroporto do mundo: “Um aeroporto internacional é um motor econômico, mas ele precisa ser alimentado. Esse projeto vai aumentar a demanda de passageiros e facilitar o acesso ao aeroporto. Esse modelo reproduz o que acontece nos aeroportos mundo afora. Se a União permitir, esse recurso será empregado para melhorar a operação de um equipamento que pertence a ela mesma, o aeroporto”, afirma.

O percurso será feito às margens da Linha Vermelha, próximo a áreas conflagradas. De acordo com o secretário, o serviço envolverá um forte esquema de segurança, para que os passageiros se sintam totalmente protegidos.

Para que o processo saia do papel, a concessionária RioGaleão terá que passar pelo mesmo trâmite da GRU Airport, que administra o Aeroporto de Guarulhos e vai implantar um people mover para chegar até a estação da Linha 13-Jade da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, obter um aditivo no contrato de concessão que seja aprovado pelo TCU (Tribunal de Contas da União). Fonte Divulgação



sexta-feira, 5 de fevereiro de 2021

Metrô do Porto vai trazer mais 33 mil passageiros diários - Linha Rosa

As obras em curso, para a extensão da linha Amarela e para a construção da linha Rosa, implicam um investimento global de cerca de 365 milhões de euros e deverão estar concluídas em 2023.


As extensões em curso de duas linhas do Metro do Porto irão trazer cerca de mais 33 mil passageiros por dia a este sistema de transporte da área metropolitana do Porto, revelou esta terça-feira Tiago Braga, presidente da Metro do Porto, numa intervenção durante a ‘Portugal Railway Summit 2021’, que está a decorrer entre hoje e amanhã.

As obras em curso implicam um investimento global de cerca de 365 milhões de euros e deverão estar concluídas em 2023. Em causa está a construção de uma nova linha, a Rosa, circular, com uma extensão de cerca de três quilómetros.

A nova linha Rosa ligará São Bento/Praça da Liberdade à Casa da Música e terá quatro estações, incluindo no Hospital de Santo António e na Praça de Galiza. O investimento previsto nesta nova linha do Metro do Porto é de cerca de 235 milhões de euros. Por seu turno, a extensão da linha Amarela ligará Santo Ovídio a Vila d’Este e também terá uma extensão de cerca de três quilómetros.

O investimento estimado para o prolongamento da linha Amarela do Metro do Porto, com a construção prevista de outras três estações, é de cerca de 130 milhões de euros. Tiago Braga destacou ainda o investimento que a Metro do Porto está a fazer na aquisição de 18 novas composições, ou seja, comboios e carruagens. Fonte: Sapo PT