quinta-feira, 9 de maio de 2013

Gare Intermodal de Lisboa

A Gare do Oriente, também conhecida como Gare Intermodal de Lisboa (GIL) ou Estação Ferroviária de Lisboa - Oriente, é uma das estações ferroviárias e rodoviárias mais importantes de Lisboa, em Portugal. Projetada pelo arquitecto e engenheiro espanhol Santiago Calatrava, ficou concluída em 1998 para servir a Expo'98, e, posteriormente, o Parque das Nações. 

Concluída em 1998, para atender aos visitantes da então EXPO 98, serve hoje ao Parque das Nações, sendo um ponto terminal de interligação com o Metrô e garante interligações urbanas, nacionais e internacionais, centralizando os vários meios de transporte presentes na área de Lisboa. Globalmente, a estação ou "Gare Intermodal de Lisboa", se distingue como uma peça arquitetônica única, e um marco para a cidade.


As partes que formam a estação são: o sistema de cobertura, que dá proteção às plataformas de passageiros, e a laje ou sistema misto de suporte das plataformas e arcos. Fundada sobre 15 estacas de concreto de 90 cm de diâmetro, se estrutura em forma de uma ponte, cujas lajes de 30 cm de espessura suportam os carris e os cais dos comboios. A ponte é uma estrutura em concreto composta por um vão central de 34 m, dois intermédios de 51 m outros dois de 42,50 m, e com uma largura de 80 m. 

O tabuleiro é misto de concreto na zona comprimida superior, composta, uma parte por lajes de concreto armado de 8 m de largura para suporte das vias, de 65 cm de espessura no centro e 60 cm nos extremos; e por outro lado por uma laje nervurada, composta por vigas longitudinais ocas de concreto armado, que servem também para canalização de instalações e por vigas transversais que suportam a estrutura arborescente que forma a cobertura do cais, sendo o ladrilho de vidro de 22 x 22 cm. Fonte: CP

_____________________Revista Eletrônica Transportes Sobre Trilhos - O Futuro da Mobilidade - RETT_____________________
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...