terça-feira, 12 de novembro de 2019

Trem intercidades entre São Paulo e Campinas será licitado em 2020 e será movido a biodiesel

O projeto do governo paulista de fazer um trem intermunicipal de passageiros será viabilizado com a renovação antecipada de ferrovias federais, como as da Rumo e da MRS, de acordo com o vice-governador do Estado, Rodrigo Garcia (DEM). “Há uma previsão expressa da obrigatoriedade de compartilhar trilhos com governo do Estado, isso é uma premissa”.


A linha ferroviária deverá ligar São Paulo a Campinas, e depois, chegar até a cidade de Americana.“O objetivo é licitar o trem intercidades até o fim de 2020. Poderá ser uma concessão ou até mesmo uma PPP, Parceria Público Privada, mas acredito que há viabilidade para uma concessão”, comenta Garcia.
O projeto será realizado pela concessionária do aeroporto de Guarulhos, em troca de descontos no pagamento de outorgas ao poder concedente, ainda de acordo com o vice-governador.

Já o secretário Alexandre Baldy, responsável pela secretaria dos Transportes Metropolitanos, e o presidente da CPTM, Pedro Moro, postaram no Instagram uma experiência a bordo de um trem da ex-Brightline (atual Virgin), ferrovia da Flórida que utiliza biodiesel como combustível. De acordo com eles, a tecnologia pode ser usada no Trem Intercidades (TIC), projeto iniciado no Governo Geraldo Alckmin e assumido pelo atual governador, João Doria, como uma de suas prioridades no setor ferroviário.

A adoção de locomotivas a biodiesel não só parece tornar o projeto mais barato em tempos de orçamento curto. Ela também denota um prazo mais rápido para ser executado o projeto Trem Intercidades, o que pode ser ótimo para a população. Fonte: Engenharia é/Ademilson Ramos